co-fundador-do-mercado-livre-stelleo-tolda-ministra-palestra-acerca-de-mobilidade-no-spin-summit-brazil-2018

Co-fundador do Mercado Livre Stelleo Tolda ministra palestra acerca de mobilidade no SPIN Summit Brazil 2018

Publicado em Eventos

O SPIN Summit é a culminação de uma semana imersiva que envolve o estímulo de negócios em tecnologia e inovação no país e a fora. Estimando 2 mil pessoas presentes, esse ano, reuniremos 60+ líderes de suas respectivas áreas para conduzirem palestras e painéis em diversos assuntos pertinentes sobre Como Navegar um Mundo em Transição.

Nos dias 28 e 29 de novembro, a assessoria financeira Harpia Capital realiza a terceira edição do SPIN Summit Brazil 2018, evento de inovação e tecnologia voltado para CEOs, CTOs, presidentes, empresários, fundadores de startups, mercado financeiro, além de investidores. O evento será realizado na AMCHAM Business Center, um dos principais centros de eventos da América Latina.

 

O Palestrante

O Chief Operating Officer (COO) e co-fundador do Mercado Livre, Stelleo Tolda, será um dos principais palestrantes do SPIN Summit Brazil 2018, evento de inovação e tecnologia que reúne executivos do Brasil, Estados Unidos e Israel para discutir o ecossistema de startups e para fomentar negócios entre os três países. No encontro, o diretor de operações da empresa de tecnologia falará em painel sobre mobilidade do futuro.

Para Tolda, o mercado eletrônico tem acompanhado os avanços da tecnologia e da mobilidade, impulsionando de forma orgânica o uso dos smartphones para comprar produtos. Ele destaca que as vendas do e-commerce no Brasil ainda têm um grande potencial de crescimento, mas ainda representam apenas 5% do total de negócios realizados no varejo brasileiro, em comparação com os 20% da China.

Mobilidade

Sobre a mobilidade urbana no comércio digital, afirma que a expectativa das pessoas passa por uma entrega mais rápida dos produtos adquiridos pela internet. “No caso do Mercado Livre, que é um marketplace, muitas vezes o produto sai do vendedor diretamente para o comprador, principalmente quando o vendedor é uma pessoa física que está comercializando um determinado item. Essa operação traz um benefício muito grande no que diz respeito ao tempo de entrega”, explica.

Em outros casos, quando se trata de um grande vendedor, os itens vão para um centro de triagem ou para um centro de distribuição antes de serem enviados a quem os adquiriu. “Em todas essas hipóteses, independentemente de a negociação ser feita via celular ou computador, estamos sempre focados em desenvolver ferramentas para proporcionar cada vez mais uma melhor experiência, tanto para o comprador quanto para o vendedor”, ressalta.

O Mercado Livre

Empresa de tecnologia com R$ 17 bilhões de faturamento em vendas. É o maior e-commerce do Brasil, oferecendo mais de 100 milhões de produtos. São 10 milhões de vendedores, contando pessoas físicas e grandes varejistas, além de estarem presentes em 18 países, sendo que o Brasil é o principal mercado, à frente de Argentina e México.

Na operação do Mercado Livre no Brasil, principal país em que a empresa atua, 50% das mercadorias são entregues em 48 horas, segundo o COO. A companhia está avaliada em R$ 15 bilhões e mais de 100 mil pessoas no Brasil se sustentam vendendo produtos no Mercado Livre atualmente. Todos os anos o Mercado Livre investe entre 4% e 5% de sua receita líquida em Pesquisa e Desenvolvimento. Considerando a natureza da nossa operação, o investimento em tecnologia é constante.

O site é o líder em tráfego, ou seja, é maior site de visitas. Para cada transação ganham em torno de 11% a 16%. Atualmente o Mercado Livre está presente em 18 países, com um total de 6 mil colaboradores dos quais, 2 mil estão no Brasil. Trinta milhões de brasileiros são consumidores ativos do Mercado Livre e 50 milhões adquirem produtos na América Latina.

Na Argentina, o número é um pouco superior, principalmente em virtude da concentração de vendedores e compradores na região de Buenos Aires. O México lidera com 80% de produtos entregues nesse prazo, e isso ocorre por alguns motivos — além da presença consolidada de empresa globais de entrega como FedEx e DHL, utilizam outras malhas, como a ferroviária e a aérea.

De acordo com o executivo do Mercado Livre, a logística de transporte de mercadorias por meio de drones ainda é uma utopia. Tolda destaca que a entrega de mercadoria com esse tipo de plataforma vai demorar muito tempo para chegar nas regiões urbanas.

Fintechs

Área em franco desenvolvimento, o acesso ao dinheiro de forma mais democrática, fora do sistema bancário tradicional, também recebe a atenção do Mercado Livre. De acordo com o COO, a empresa já atua no financiamento aos vendedores, com tecnologia que permite o uso do celular como carteira digital. A novidade é que, em breve, passará a oferecer empréstimo também aos compradores. Dessa forma, possibilitará a compra de um produto no momento em que ele desejar — mesmo que ultrapasse seu limite do cartão de crédito, por exemplo.