Crédito: Reprodução/Internet. Gleici comemorando a vitória no BBB 18
bbb18 gleici Crédito: Reprodução/Internet. Gleici comemorando a vitória no BBB 18

Opinião: BBB 18, uma edição com boas histórias e consagração de favoritos

Publicado em Reality show

A 18ª edição do Big brother Brasil mostrou um elenco comprometido com o jogo, que rendeu boas histórias, e com favoritos na final. Confira um balanço sobre o BBB 18!

Toda vez que começa uma nova edição do Big brother Brasil é difícil fazer uma projeção baseada apenas no elenco apresentado e na primeira semana. Porque BBB se joga semana a semana. E quem imaginaria que a 18ª edição terminaria com Gleici, Kaysar e Família Lima na final com uma história tão interessante e bonita contada na tela?

Talvez, pouca gente… Porque o BBB 18, por exemplo, teve início com uma polêmica: a inserção de uma família como um participante. Antes mesmo de o jogo começar a rolar, surgiu uma desconfiança em torno das vantagens do clã, mas depois isso foi abafado com as trocas de carícias entre pai e filha. Engraçado que esse foi o assunto mais falado da primeira semana e, agora, com a atração encerrada isso parece ter acontecido em outra vida, em outra temporada. A Família Lima deu a volta por cima, muito por conta do carisma de Ana Clara, e acabou em terceiro lugar.

família lima

O primeiro paredão também não mostrou nem de longe o rumo que o programa teria. Jéssica levou sete votos — o que era um caminho para que ela conquistasse o público (e não aconteceu) –, mas acabou se livrando da berlinda graças a Paula. A disputa ficou entre Mara, aliada da, agora vencedora, Gleici, e Ana Paula. A bruxinha ganhou o paredão. Mas, pasmem, semanas depois saiu da casa “escorraçada”, como diria sua xará da 16ª edição, com 89,95% dos votos. Ana Paula ficou antes pela promessa de movimentar a casa. E, cumpriu. O problema é que não agradou armar contra Gleici, que já despontava como favorita naquele momento.

Antes mesmo de o jogo começar, o sírio Kaysar apareceu como um dos favoritos. E o motivo era óbvio: quem não sentiu empatia pela história do refugiado? Mas, ao longo do programa, ele viveu altos e baixos e viu, aos poucos, o prêmio se afastar de sua mão. Acredito que o que atrapalhou o Papagaio no programa foi a combinação de voto em Gleici. Ele sempre se mostrou amigo da participante na casa e acabou escolhendo a acriana para a berlinda por influência de Patrícia, com quem estava se relacionando. Isso queimou o filme de Kaysar e o deixou mais longe do prêmio.

Crédito: Gshow/Divulgação
Crédito: Gshow/Divulgação

Mas, aos poucos, ele foi “voltando” a sua essência e novamente se colocou mais próximo do R$ 1,5 milhão. O problema é que Kaysar tinha uma concorrente que se mostrou constante na 18ª edição: Gleici. A acriana seguiu seu caminho de forma coerente desde a primeira semana. Permaneceu com os mesmos aliados — Paula, Família Lima, Mahmoud e Wagner — e ganhou um presentão da produção e também do público: o paredão falso. Isso movimentou o jogo e garantiu a Gleici uma empatia enorme com o público da internet. As reações e comentários da participante estavam impagáveis e renderam muitos memes. A relação de amizade com Ana Clara também garantiu uma torcida em apoio das duas: as Gleicianas.

As histórias do BBB 18

Como o próprio Tiago Leifert disse na final exibida na quinta-feira (19/4) é o elenco que dá início a história do BBB. Depois de uma edição tão pesada como a 17ª, o reality precisava de uma leveza. E foi isso que os participantes do BBB 18 ofereceram. Bem humorados, dinâmicos e diversos eles montaram uma história interessante que dava gosto de assistir.

Inclusive, até as vilanias e erros de alguns foram ótimos para história. Lucas, o tal Noivo de Taubaté, e Jéssica movimentaram a trama com o “romance mais não romance” da história do BBB. O jeito pegador de Breno deu pano para manga. Ele beijou Ana Clara, depois Jaqueline até no final engatar um namorico com Paula.

Crédito: TV Globo/Divulgação
Crédito: TV Globo/Divulgação

E mais uma série de situações fizeram desse um BBB com história: Ayrton sendo um pai superprotetor com Ana Clara; Patrícia, Diego e Ana Paula confabulando sobre paredões; a troca de lado de Wagner quebrando o trio, que antes era formado com Caruso e Viegas; Jéssica e suas frases motivações, que viraram memes; Jaqueline negando uma promessa a Mahmoud; e, claro, a volta de Gleici do falso paredão. Tudo isso ficará marcado na história da 18ª edição.

Se o elenco entregou uma história digna de novela (e uma boa novela, vai!), a produção em alguns momentos transformou tudo em um papelão. O que dizer da prova de resistência em que Ana Clara e Kaysar tiveram que decidir quem ficaria com a imunidade após a produção considerar um empate? Também foi um grande vacilo do programa decidir que um participante seria eliminado sem sequer contar com a votação do público — isso, foi revertido, graças a repercussão no Twitter. Houve ainda uma grande crítica em relação a postura de Leifert que entregava o favoritismo de alguns participantes.

Altos e baixos, problemas ou não, o saldo é positivo. O BBB 18 conseguiu enterrar a negatividade da 17ª edição e nos fez rir e também chorar, além de coroar a grande favorita Gleici Damasceno em uma final apenas com queridinhos do público. Que venha a 19ª edição!