MasterChef
MasterChef

MasterChef Brasil: O crescimento repentino de Michele

Publicado em Reality show

Para quem vivia de dependência, Michele tem se saído uma aluna exemplar. O crescimento da participante do MasterChef tem surpreendido os jurados e conquistado o coração do público.

A hashtag #FicaMichele está bombando. A torcida para a cozinheira continuar no programa é maior do que a de todos os seus colegas. Muitos atribuem essa simpatia a postura humilde que ela vem demonstrado nas edições, quando comparada aos seus colegas. E parece que não foi só no gosto dos fãs que ela caiu. Até os jurados andam reparando na trajetória crescente da garota. E não é a toa. Ela já ficou até entre os piores em provas de eliminação, e nas últimas semanas tem sido destaque.

Nesta semana, Michele estava morrendo de medo da prova de eliminação, já que ela tem terror de rãs, proteína obrigatória na prova. “Qual a chance de uma pessoa que nunca comeu e nunca fez subir para o mezanino?” Pelo visto todas, Mi! A primeira vez que a participante preparou rã já rendeu imunidade! Ela apresentou o melhor prato e foi direto para o Top 4. Desde o dia em que Emmanuel Bassoleil passou pela cozinha do MasterChef, Paola vem elogiando a trajetória da concorrente, e nesta semana não foi diferente. Parabéns, Michele! E para ninguém dizer que é exagero meu, olha como anda a torcida:

Adeus ao menino prodígio

Desde o início estava claro que Leonardo era o menino prodígio da edição, nós até falamos disso neste post aqui. Mas a torcida lá dentro era tão forte contra ele, que parecia que os outros participantes não enxergavam as coisas do mesmo jeito. Quando o resultado da eliminação foi divulgado, ficou claro que todos estavam desejando a saída dele apenas por o enxergarem como uma grande ameaça. Os quatro participantes restantes reconheceram, no final do episódio, o esforço, a dedicação, o estudo e o talento do jovem, que ainda recebeu um convite de Jacquin para trabalhar com ele.

 

Ele foi eliminado em um dia diferente. Primeiro Victor Vieira ganhou a prova do “prato perfeito”, o primeiro episódio do MasterChef Brasil que não contou com uma contagem regressiva. Os primeiros a apresentar tinham a vantagem, mas Victor teve calma, foi o último a entregar o prato, e a paciência deu certo. Com um prato que honrou sua vivência na China, ele foi para o mezanino e acompanhou a segunda prova do dia, dividida em três “rounds”, todos com a rã como o ingrediente principal. A cada etapa, o concorrente que apresentava o melhor prato ganhava imunidade, e os restantes tinham que continuar na cozinha, cada vez com menos tempo e menos ingredientes. Os últimos operando o fogão foram Deborah e Leonardo, mas o jovem levou a pior, e agora seguem apenas quatro nos estúdios. A coisa está ficando cada vez mais quente!