Leitura de férias: veja sugestões de livros para ler com as crianças

Publicado em Livros
A professora de literatura Luciana Carvalho de Aguiar com o filho Davi, de 4 anos (Foto: arquivo pessoal)

Por Wanessa Alves*

Segundo a cartilha Primeiros anos em suas mãos, distribuída pela Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal, o desenvolvimento infantil e a forma como uma pessoa lidará com o mundo estão ligados aos estímulos recebidos nos primeiros anos de vida. Falar, cantar, brincar e ler para e com crianças estão entre as opções mais efetivas para melhorar a aprendizagem e fazer com que meninas e meninos se tornem emocionalmente mais saudáveis e tenham boas habilidades intelectuais e motoras.

Ao entrar na escola, idealmente, o hábito da leitura começa a ser inserido na vida dos alunos de forma divertida, por meio de projetos, apresentações musicais e rodas de leitura, por exemplo. Ao longo da vida, esse costume deve ser mantido também pela família. Para a professora de literatura e doutoranda em crítica literária pelo Programa de Pós-Graduação em Literatura pela Universidade de Brasília (PósLit/UnB) Luciana Aguiar, “é em casa que os pais devem incentivar esse hábito, lendo com e para as crianças, comprando livros e levando-as à biblioteca”. E é isso que ela faz com o filho de 4 anos, Davi Aguiar.

Segundo Luciana, o hábito da leitura deve surgir em casa e ser reforçado na escola (Foto: arquivo pessoal)

Segundo ela, esse é o caminho para que o costume surja gradualmente. “Com o passar do tempo elas se apaixonam pela leitura”, afirma. Luciana explica que a leitura abre possibilidades de novas formas de pensar, de ver o mundo e de compreender as mudanças. A sugestão da pesquisadora é de que os pais também leiam para os filhos as obras de autores renomados no país. “Se a literatura tem essa conexão com a vida e se é por meio dela que nós entendemos a nossa realidade, é interessante ler os clássicos nacionais”, indica. Alguns exemplos são Memórias póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis (a sugestão é ler a obra na versão em quadrinhos), e A terra dos meninos pelados, de Graciliano Ramos.

Leia!

Memórias póstumas de Brás Cubas — em quadrinhos

Em um romance repleto de digressões filosóficas, o escritor se vale da posição privilegiada de Brás Cubas, como “defunto autor” ou “autor defunto”, para narrar as suas desventuras e revela as contradições da sociedade brasileira do século 19, especialmente por meio da análise aprofundada da psicologia das personagens.

Autor: Machado de Assis

Editora: Principis

80 páginas

R$ 10,90

 

A terra dos meninos pelados

Edição ilustrada de um clássico de Graciliano Ramos, A terra dos meninos pelados é o país de Tatipirun, onde não há cabelos e as pessoas têm um olho preto e outro azul. Mas este país é imaginário: criado por um menino diferente que, não tendo com quem se entender, falava sozinho. Raimundo Pelado, como era apelidado pelos vizinhos, tinha o olho direito preto, o esquerdo azul e a cabeça pelada. Nesta nova edição da clássica história de Graciliano Ramos, contamos com os traços e cores de outro Ramos, Jean-Claude, que apresenta um novo estilo para a obra.

Autor: Graciliano Ramos

Ilustrações: Jean-Claude Ramos Alphen

Editora: Galera Junior

88 páginas

R$ 49,90

 

Confira sugestões de lançamentos para ler nestas férias

As obras podem ser aproveitadas por crianças alfabetizadas, que poderão ler sozinhas, ou na companhia de outro leitor, que pode estimular meninos e meninas menores a curtirem a história mesmo sem ainda saberem ler

Pelo nariz

Quais aromas estão guardados na memória e que o fazem lembrar de algum lugar ou momento da vida? Por exemplo, você recorda do cheiro que sentiu quando viajou à praia? E do cheiro do pãozinho da padaria, você lembra? O livro Pelo nariz, escrito pelo brasileiro Arthur Nestrovski e ilustrado por Marcelo Cipis, instiga o leitor a relembrar ocasiões especiais a partir da memória olfativa.

Autor: Arthur Nestrovski

Ilustrador: Marcelo Cipis

Editora: Sesi-SP

48 páginas

R$ 44

Classificação indicativa: livre para todos os públicos

Quem quer este rinoceronte?

Do mesmo autor de A parte que falta — livro que ficou famoso nas redes sociais por abordar a busca incessante das pessoas em procurar a felicidade no outro —, Quem quer este rinoceronte? chega às livrarias com um estilo de escrita e ilustração leve e divertido. As páginas apresentam ao leitor as vantagens de criar um rinoceronte em casa. “Ele está à venda, bem barato, é enorme, o chifre, curvo e longo, é quietinho como um camundongo. Abana a cauda, contente, é bom de abraçar toda hora e muito útil ao redor da casa onde a gente mora”, descreve autor.

Autor e ilustrador: Shel Silverstein

Tradutor: Alípio Correia de Franca Neto

Editora: Companhia das Letrinhas

64 páginas

R$ 49,90

Classificação indicativa: livre para todos os públicos

Álbum de família

Escrito pela jornalista, documentarista e crítica teatral Gabriela Romeu, Álbum de família é uma biografia poética da trupe familiar Carroça de Mamulengos, uma das mais importantes companhias culturais do país. O grupo teatral surgiu há 40 anos em Brasília, com Babau e Schirley e, hoje, é formado por filhos, netos, genros e noras. A narrativa é escrita de forma simples e mistura fotos da família com as ilustrações de Catarina Bessell. A obra nos faz embarcar na história, assim como acontece quando vemos um álbum de família na casa de um amigo e ele vai nos contando o que aconteceu nos momentos em que a foto foi tirada. Confira um trecho do livro: “Era uma vez dois. Babau e Schirley, moça da saia rodada e olhar a plantar horizontes que ele encontrou nas primeiras curvas da estrada. Ela mais ele seguiram juntos, queriam formar uma trupe. Fizeram da estrada sua morada”.

Autora: Gabriela Romeu

Ilustradora: Catarina Bessell

Editora: Peirópolis

96 páginas

R$ 56

Classificação indicativa: livre para todos os públicos

Dó-Ré Mundo

O projeto musical Dó-Ré Mundo, presente na plataforma de conteúdos educativos PlayKids, lançou um livro com letras, cifras para violão e guitarra e QR code que levam direto para os videoclipes das canções. O projeto também pode ser acessado no YouTube [www.youtube.com/doremundo].

Todos os direitos reservados a Kbusiness

Brinquedos miúdos e graúdos, nascidos na barriga da língua portuguesa

Escrito e ilustrado pela poeta e pesquisadora Selma Maria Kuasne, o livro apresenta, em forma de versos, as brincadeiras, a cultura, rimas, trava-línguas e adivinhas vindas de outros países que também falam português. As ilustrações, feitas pela autora, lembram desenhos infantis feitos à mão, com lápis, giz de cera e caneta colorida, o que torna a leitura rimada ainda mais animada.

Autora e ilustradora: Selma Maria Kuasne

Editora: Estrela Cultural

64 páginas

R$ 30

Classificação indicativa: a partir dos 10 anos

A menina do dia

Este é o primeiro livro infantojuvenil escrito pela escritora e atriz paulista Renata Bortoleto. A narrativa conta a vida de Íris, uma adolescente que sofre de insônia. Em uma madrugada, um estranho ancião sem rosto surge no quarto dela e, juntos, eles embarcam em uma aventura. Os percalços do caminho fazem com que a garota, que está entrando na adolescência, sinta saudade da infância e da família — um sentimento com que muitos vão se identificar. “De repente, vem um desejo de estar sendo cuidada pelos pais e na companhia da irmã, mesmo sabendo que heróis eles também não são. E de voltar no tempo, quando suas necessidades eram tão poucas e tão triviais”, diz um trecho do livro. A história da jovem convida o leitor a refletir sobre dramas, emoções, dúvidas e descobertas que sempre estão presentes nesta fase da vida.

Autora: Renata Bortoleto

Ilustradora: Lais Oliveira

Editora: Estrela Cultural

80 páginas

R$ 49,90

Classificação indicativa: a partir dos 12 anos

 

*Estagiária sob supervisão de Ana Paula Lisboa