Bebê prematuro também deve ser amamentado. Confira orientações

Publicado em Sem categoria

A amamentação é aliada indispensável da saúde da criança. No entanto, apesar dos inúmeros benefícios multifuncionais, como nutrição e prevenção de doenças, de acordo com dados da Opas (Organização Pan-Americana de Saúde), as taxas mundiais de aleitamento materno ainda estão muito abaixo do ideal. A cada três crianças nascidas no mundo, duas não são alimentadas exclusivamente com leite materno até os seis meses de vida. Quando se trata de bebês prematuros, as dificuldades são ainda maiores.

O leite materno é essencial para o pleno desenvolvimento do bebê, especialmente o prematuro

A prematuridade é, hoje, a principal causa de mortalidade infantil no Brasil, de acordo com o estudo Carga Global de Doença (Global Burden of Disease, GBD) de 2015. Dados do relatório Every Child Alive – The urgent need to end newborn deaths (Toda Criança Viva – a necessidade urgente de acabar com as mortes de recém-nascidos, em tradução livre), do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) do ano passado, mostram que, a cada mil crianças nascidas no país, 7,8 morrem com até um mês de vida.

Nesse sentido, a Associação Brasileira de Pais e Familiares de Bebês Prematuros, a ONG Prematuridade.com, reforça o papel essencial que a amamentação e o leite materno têm para a saúde dos prematuros, com impacto positivo para o crescimento e o desenvolvimento saudável do neném, além da qualidade de vida durante a primeira infância até a fase adulta, evitando doenças como diabetes e hipertensão.

Existem diferenças no leite de mães de bebês prematuros, mas elas devem amamentar, sim

Diferenças no leite

Segundo a Rede Nacional Primeira Infância, articulação de organizações da sociedade civil, do governo e do setor privado, o leite materno das mães de prematuros é diferente do leite produzido pelas mães de bebês que nascem a termo, principalmente no que diz respeito à quantidade de proteínas, calorias e fatores de proteção da imunidade. A amamentação do prematuro, além de fortalecer o vínculo mãe-filho, muitas vezes abalado por longas permanências na UTI Neonatal, é responsável por favorecer a maturação gastrointestinal e aumentar o desempenho neuropsicomotor dessas crianças.

Para ajudar as mamães de prematuros na importante etapa da amamentação, a ONG Prematuridade.com listou 10 dicas para o aleitamento materno de bebês pré-termo:

1. Apesar de nem tudo correr como planejado, é preciso estar calma e ser perseverante para que o bebê prematuro possa usufruir todos os benefícios da amamentação e se desenvolva com mais saúde.

2. As mamães não podem se esquecer da qualidade de sua alimentação, pois o bebê vai necessitar de gorduras, proteínas e outros componentes do leite. Então, é importante manter uma alimentação saudável. Também não se esqueça de beber muita água, no mínimo 2 litros por dia!

3. Tão logo seja possível, a equipe de profissionais de saúde deve estimular a mama da mãe, extraindo o colostro, de preferência nas primeiras 24 horas após o parto.

4. A ordenha pode ser feita com as mãos (solicite ajuda de um profissional na primeira ordenha e sempre que necessário) ou com uma bombinha (manual ou elétrica). Não tenha vergonha de procurar ajuda.

5. Faça a extração do leite com uma frequência aproximada de três em três horas, de seis a oito vezes por dia. No começo, a quantidade de leite que sai pode parecer pequena, mas não desista. Mantenha a ordenha do leite: quanto mais você ordenhar, mais leite vai produzir!

Quanto mais leite tirar, mais a mãe vai produzir

6. Tente não ficar mais de seis horas sem tirar leite. Quanto mais regulares forem as ordenhas, maior será a produção.

7. Já é possível encontrar bombinhas elétricas para comprar ou alugar, visando facilitar a retirada do leite em casa após a alta. Informe-se no próprio hospital.

8. Para os prematuros que não têm condições de sugar adequadamente, a equipe de saúde deve orientar sobre qual a melhor forma de oferecer o leite materno por outras vias: sonda, seringa               ou copinho.

9. Com o passar dos dias, à medida que desenvolve os reflexos naturais de sucção e de deglutição, o bebê fica apto a se alimentar por via oral. Daí cabe à equipe da UTI Neonatal avaliar a                       viabilidade do início da amamentação.

10. Já em casa, amamente exclusivamente, evite o uso de mamadeiras e chupetas. Se precisar sair de casa sem o bebê, peça para alguém oferecer seu leite ao bebê utilizando um copinho.