O sommelier de pinga

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Toda vez que via um sommelier cuspindo o vinho que acabara de provar, meu amigo reclamava: “Que desperdício! Se fosse eu bebia tudo”. Era só um chiste, nunca gostou de vinho, jamais abandonou a dourada cerveja – antes a faixa azul da Antárctica, hoje dando preferência à Original ou Stella Artois. Não é apenas uma preferência; desde a adolescência derruba […]

Eu, o terrabolista

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Sentado, assistia a vida passar pela W3 Norte diante de uma garrafinha de cerveja, meio irritado porque haviam acabado os tremoços – não há bom botequim sem um estoque decente de tremoços, reclamei ao garçom. É duro ter que se contentar com cebolinhas em conserva; mas o mau humor foi interrompido. O Terraplanista havia chegado. Eu já havia me encontrado […]

O cortador de piada

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Contar piada é uma arte. Há o contador minucioso, que entra em detalhes, sai do trilho e, quando menos se espera, volta para o arremate, normalmente rindo mais do que quem ouve a história pela primeira vez; há o conciso, que usa poucas frases e normalmente é cortante, frequentemente maldoso; o histriônico, que muda a voz, se levanta, interpreta e […]

Poesia e poetas

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Não é raro ver um sujeito escrevendo num guardanapo, enquanto sorve uma cervejinha, um conhaque, um daiquiri… São os poetas de bar, movidos a álcool, inspirados pela musa que mora no fundo das garrafas. Ou não. Há também a poesia sóbria. Advogado de profissão, ele tem chegado para a etílica reunião meia hora mais cedo. É o tempo que tem […]

Tratando de chatos

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Ainda há cavalheiros. E meu amigo é um deles. Trata as pessoas com respeito, fala baixo, abre caminho para as moças, presta atenção em tudo o que dizem a ele, é solicito; enfim, é um homem meio perdido nesses tempos de falta de educação generalizada. É um sujeito fino. Mas até os cavalheiros perdem a fleuma. Me puxou num canto, […]

O último bastião

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

O melhor nos filmes de mafiosos não é quando tem um tiroteio no depósito de uísque e começa a vazar líquido dos barris. Muito menos quando os gângsteres saem em disparada naqueles sedans pretos para uma noite de terror. Nada bate o momento em que o chefão beija o rosto de um carcamano feioso, o condenando a morte. É a […]

Entre uivos e canções

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Os suspiros brasileiros iam para Clark Gable e Rita Hayworth, emoções se misturaram entre John Wayne e Ava Gardner – atores norte-americanos mandavam nos cinemas na virada dos anos 1930 para 1940, quando o pesadelo da Segunda Guerra Mundial se sobrepôs aos sonhos de Hollywood; os estúdios de cinema estavam envolvidos no esforço de guerra contra os nazistas. Mas é […]

O novo consultório

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Quando se fala em consultório médico todo mundo logo pensa numa estoica sala de branco imaculado, uma mesinha e uma maca; no canto, fica um armário com estetoscópio, aquela lanterna de cabeça e outros equipamentos para exames iniciais. Foi em ambientes assim que Dr. João Bosco Marinho passou mais de 50 anos, desde que chegou a Brasília, vindo da Paraíba. […]

Prisioneiro

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Tem uma história relativamente conhecida do homem que liga para o dono do bar e pergunta a que horas ele vai abrir o estabelecimento. Depois de ouvir que só abriria bem mais tarde, o homem insiste até provocar uma reação irritada do bodegueiro, dizendo que não vai abrir o bar mais cedo só porque ele quer entrar. Até que o […]

Direto do engradado

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

A moça estava ali improvisada, quebrando um galho. Se tem algo que frequentador de botequim não gosta é de novidade; fica todo mundo cheio de mania, até o mais descolado parece desenvolver o tal transtorno obsessivo  compulsivo (TOC) no último grau. Basta tirar a garrafa de Drink Dreher do lugar de sempre para chover reclamação; se as mesas estiverem fora […]