Desgraças musicais

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

O rádio do carro estava no modo aleatório (shuffle), procurando uma emissora, quando começou a tocar uma canção sobre uma menina de olhos tristes, presa a uma cadeira de rodas; um drama. A música é de Fernando Mendes, especialista em tragédias musicadas –chegou a ser censurado em 1974 por Meu Pequeno Amigo, que tinha como tema o sequestro do menino Carlinhos, um […]

Lendas brasilienses

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

                Com tão pouco tempo de vida, Brasília vem acumulando um bocado de estórias na sua História. Alias, nada é mais apropriado do que um termo que não existe para definir um caso que não pode ser comprovado. Estória é um neologismo criado por João Ribeiro, imortal sergipano da Academia Brasileira de Letras, em 1919, para designar os contos e […]

A música que não existia

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria

As festas de aniversário de Brasília já foram mais animadas.Eram os anos 1980 e o então secretário de Comunicação do GDF, Marcos Vinicius Bucar, queria fazer uma festa em grande estilo, com a contratação de um nome importante da música brasileira – que seria Gal Costa – para um show gratuito. Quem conhece a figura esfuziante do Marcos Vinicius sabe […]

Nossos olhos azuis

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Por muitos anos, e graças à pena de Nelson Rodrigues, acreditamos que um simples jogo de futebol havia nos livrado do complexo de vira-latas que pesava sobre os ombros brasileiros desde sempre. Ou pelo menos desde que o conde francês Arthur de Gobineau desembarcou no Rio de Janeiro, em 1845, e chamou os cariocas de “macacos”. O inapelável placar de […]

Não quero saber

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Até hoje lamento o dia em que soube que torresmo faz mal à saúde. Além de ajudar a entupir as coronárias, agora sei que aquela delícia aumenta em 19% o risco de câncer no pâncreas. E que o croquete velho de guerra prejudica o trabalho do intestino, engarrafando a saída, além de maltratar o coração. Também já sei que a […]

Adeus ao Inferno

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

O colégio era católico e o monsenhor parecia se regozijar quando ameaçava os alunos – todos adolescentes – com sua descrição do Inferno. Iríamos todos para lá se a algazarra não cessasse, vaticinava. Tições ardendo com fogo eterno, seres com patas de bode espetando os pecadores, equipamentos de tortura, gritos de horror e corpos dilacerados. A riqueza de detalhes fazia […]

Caras de pau

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Os caras de pau são fascinantes. São figuras destemidas; mas, ao contrário de muitos, ainda acho que não ter medo de nada é apenas o grau mais alto da escala da ignorância. Não sei onde inventaram que o destemor é uma virtude, embora acredite firmemente que a covardia é um dos piores defeitos do bípede humano. Não tem nada a […]