Superstições

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Tenho um amigo que não fala a palavra ‘azar’, por achar que vai atrair alguma mandinga; outro camarada se recusa a ir ao cemitério – “quem não é visto não é lembrado”, repete, acreditando que a figura nefasta está sempre à espreita, de foice na mão. E também conheço um que não fala ‘desgraça’; prefere trocar por infortúnio – que […]

Galinhas felizes

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Foram os chineses, há oito mil anos, que domesticaram as galinhas. Desde então a humanidade vem comendo ovos, embora de uns anos para cá as discussões em torno do produto despertem mais cizânia que a briga de coxinhas e mortadelas. Ainda assim, há milênios que a embalagem é a mesma – parecido com a Maizena e o sabonete Phebo. Mas […]

Chutes discretos

Publicado em Deixe um comentárioCrônica, Sem categoria

Tite tinha acabado de anunciar a convocação do escrete nacional, mas o assunto não engrenava; ninguém reclamou da presença do Fagner na lista e só houve alguma estranheza quando foi falado o nome de Taison. Não houve o alvoroço que se esperava no boteco; das duas, uma: ou Tite está com crédito pelo bom retrospecto, ou o pessoal está mais […]

A capital de madeira

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

O mundo conhece Brasília por causa do concreto mas, logo depois do ermo, o que deu forma à cidade foi a madeira, que ergueu os prédios provisórios e vilas inteira – como a Cidade Livre, hoje Núcleo Bandeirante, e até a Vila Amaury, que está no fundo do lago Paranoá. E se o concreto já está rachando, imagine os pedaços […]

Noite fria, papo quente

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Nada como um polemista da velha escola. Provocar cizânia nas redes sociais é fácil; basta cavoucar os instintos mais primitivos e, freudianamente, despejar aleatoriamente o subproduto que vier à tona. E o fundamentalismo assume o comando, como vemos nessa insana disputa para decidir quem é o menos canalha da vida brasileira. Diferente é o polemista que desafina o coro dos […]

Onde andam os tremoços?

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Ainda bem que tem essas lojas que alugam roupa. Da próxima vez que me convidarem para ir num boteco que não conheça, passo por uma delas antes para pegar uma casaca, cartola e, quem sabe, polainas. Ainda mais se for um desses estabelecimento que participam do tal concurso Comida di Buteco, que de simples só tem letra ‘i’ no lugar […]

Mais do mesmo

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Maio trouxe o céu mais azul do mundo, o frio da noite – acompanhado dos bichinhos invisíveis que nos atacam por dentro – e o adeus à chuva. Já temos água na torneira, os gramados ainda vicejam e árvores estão cheias de frutos, especialmente amoreiras, mexeriqueiras e algumas pitangueiras mais teimosas. Mas a cidade ficou mais pobre. Não precisava ser […]

Sensações repetidas

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

Nunca havia ouvido falar em Arnór Ingvi Trautason. Mas foi ele, obscuro jogador islandês que está no futebol grego, o responsável pela alegria de um garoto de seus 10 anos de idade que, na Banca do Brito, da 106 norte, completou o álbum da Copa da Rússia, com sua figurinha – a de número 305 – mesmo pagando caro; teve […]

Como era doce a borracharia

Publicado em Deixe um comentárioCrônica

A tecnologia já resolveu um monte de problemas, mas alguns continuam a perturbar nosso juízo. Não é um absurdo pneu furar? Ex-leitor dos quadrinhos de Flash Gordon e Buck Rodgers (e só porque não publicam mais!), ex-telespectador de Os Jetsons, cheguei a sonhar que um dia viveria num mundo sem rodas. E, portanto, sem pneus furados. Já tiraram a câmara […]