Ministério da Saúde vai reabrir seleção com 4.117 vagas

Publicado em Deixe um comentárioMinistério da Saúde

A reabertura estava prevista para acontecer até o dia 15 deste mês; apesar do atraso, a pasta confirma a intenção de prosseguir com a seleção

 

Karolini Bandeira* – Suspenso neste mês, a seleção simplificada lançada pelo Ministério da Saúde (MS) em maio deste ano, com 4.117 vagas, deverá ser reaberta ainda em agosto. Mesmo um pouco atrasado, já que a primeira previsão seria de reabertura até o último dia 15, a informação foi confirmada pelo coordenador-geral de gestão de pessoas da pasta, Ademir Lapa, em reunião com o Sindicato dos Trabalhadores Federais em Saúde e Previdência no Estado do Rio (Sindsprev/RJ) e como confirmou a assessoria de comunicação do ministério ao Papo de Concurseiro.

 

O concurso oferece vagas para profissionais com atuação no Rio de Janeiro. Existem chances de nível superior para médicos, enfermeiros, e atividades de gestão e manutenção hospitalar. As oportunidades dos níveis médio e técnico são para técnicos em enfermagem e atividades de suporte em gestão e manutenção hospitalar. A jornada de trabalho é de 24 a 40 horas semanais de trabalho, com salários que variam de R$ 1.700 a R$ 11.000.

 

Confira a distribuição de vagas por cargo:

  • Médico – 1.137 vagas
  • Enfermeiro – 996 vagas
  • Técnico de enfermagem – 865 vagas
  • Atividades de gestão e manutenção hospitalar (nível superior) – 604 vagas
  • Atividades de gestão e manutenção hospitalar (nível médio) – 515 vagas

 

Saiba mais sobre a seleção aqui! 

Covid-19: ministérios da Economia e Saúde autorizam contratação de mais de 5.000 profissionais

Publicado em Deixe um comentárioautorização, Coronavírus, DOU, Governo federal, Ministério da Economia, Ministério da Saúde

O secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia, Paulo Uebel; e o ministro de Saúde substituto, Eduardo Pazuello, resolveram autorizar a contratação, por tempo determinado, do quantitativo máximo de 5.158 profissionais de níveis médio e superior. O aval foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira (26/5).

Os profissionais poderão ser contratados a partir de maio de 2020 para atuar nas atividades de assistência e apoio à assistência à saúde, nas cidades do país que fazem frente ao combate do novo coronavírus (covid-19).

O Ministério da Saúde definirá a remuneração dos profissionais a serem contratados e a distribuição do quantitativo máximo de profissionais.

O prazo de validade dos contratos será de até seis meses, limitados os respectivos termos finais a 31 de dezembro de 2020.

As despesas com as contratações autorizadas correrão à conta das dotações orçamentárias consignadas no Grupo de Natureza de Despesa – GND “1 – Pessoal e Encargos Sociais”, tendo em vista que visam à substituição de servidores e empregados públicos, nos termos do § 1º do art. 105 da Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2020.

Enquanto perdurar o estado de calamidade pública, as contratações serão custeadas com recursos orçamentários oriundos da publicação de Medida Provisória destinada a abertura de credito extraordinário para enfrentamento do estado de calamidade pública.

 

 

Veja a portaria em sua íntegra aqui. 

Mandetta e Uebel autorizam contratação de 70 técnicos de enfermagem

Publicado em Deixe um comentárioautorização, Concursos, Coronavírus, DOU, Governo federal, Ministério da Economia, Ministério da Saúde, Poder Executivo

Um nova portaria interministerial foi publicada no Diário Oficial da União (DOU), desta quarta-feira (15/4), em que o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e o secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, do Ministério da Economia, Paulo Spencer Uebel, autorizam a contratação de 70 profissionais de nível médio/técnico para o cargo de técnico de enfermagem.

As chances são por tempo limitado, para atender necessidade temporária de excepcional interesse público durante seis meses. Prazo que tem a possibilidade de prorrogação, desde que justificada, e poderá ser pelo tempo necessário à superação da situação de calamidade pública ou das situações de emergências em saúde pública, sem que se exceda dois anos, contados da primeira contratação.

Segundo a portaria, compete ao Ministério da Saúde definir as remunerações dos profissionais, que serão contratados por meio de processo seletivo simplificado. As despesas com as contratações autorizadas pela portaria correrão à conta das dotações orçamentárias consignadas no Grupo de Natureza de Despesa – GND “1 – Pessoal e Encargos Sociais”, tendo em vista que visam à substituição de servidores e empregados públicos, nos termos do art. 98 da Lei nº 13.707, de 14 de agosto de 2018.

Poderá ainda ser contratado profissional selecionado em processo já realizado, desde que não tenha sido por exclusiva análise curricular.

Confira a portaria em sua íntegra aqui.

 

Compartilhe a notícia no Fórum CW!