TRE do Pará define banca de novo concurso para técnicos e analistas

Publicado em Deixe um comentárioJustiça Eleitoral

Foi publicado no Diário Oficial da União (DOU), desta terça-feira (8/10), o contrato com a banca organizadora responsável pelo novo concurso público do Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE/PA)! O Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC) foi a examinadora escolhida para realização e organização do certame.

No final de junho, a comissão organizadora do concurso havia sido definida. Serão ofertadas vagas para cargos efetivos de técnicos e analista judiciário. As remunerações atuais para os cargos podem variar de R$ 3.163,07 a R$ 7.792,30. 

O último concurso foi realizado em 2013, ofertando oito vagas imediatas e formação de cadastro reserva para os cargos de técnico e analista judiciário. O Instituto Americano de Desenvolvimento (Iades) foi a banca organizadora do certame.

A seleção foi realizada por prova objetiva e discursiva. Para o cargo de taquígrafo também houve prova prática. O concurso público teve validade de dois anos, contados a partir da data da publicação da homologação da classificação final, sendo prorrogado uma única vez, por igual período.

Os candidatos puderam optar entre as áreas de técnico – administrativo, de operação de computadores e de programação de sistema, analista – administrativo, judiciário, em engenharia elétrica, análise de sistemas, em medicina e em taquigrafia. Os aprovados exercerão jornadas de trabalho de 20 e 40 horas semanais para receberem remunerações variando entre R$ 4.635,02 e R$ 7.566,41.

TRE do Pará esclarece dúvidas sobre próximo concurso público para técnicos e analistas

Publicado em Deixe um comentárioJustiça Eleitoral

Em junho, o Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE/PA) publicou, no Diário Oficial da União (DOU), a definição da comissão organizadora que será responsável por seu novo concurso público. O grupo é formado pelo secretário de Gestão de Pessoas, Rodrigo Valdez, como presidente, e os servidores Márcia Nascimento e Renato Alves como membros. O certame vai ofertar vagas para cargos efetivos de técnico e analista judiciário, que detêm remunerações atuais que podem variar de R$ 3.163,07 a R$ 7.792,30.

 

E, nesta semana, o TRE/PA veio a público esclarecer algumas dúvidas sobre o concurso. Segundo o órgão, foi solicitada autorização do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para realização do concurso, o que foi atendido no último 9 de agosto, com autorização de orçamento.

 

De acordo com Valdez, ainda não é possível precisar a quantidade de vagas que serão abertas, já que neste momento um detalhado levantamento interno está sendo realizado. O que se sabe é que haverá formação de cadastro reserva, com cuidado para não disponibilizar, neste momento, vagas cujo provimento está suspenso como parte dos cargos vagos em razão de aposentarias, por exemplo.

 

O presidente da comissão confirmou que haverá vagas para níveis médio e superior e ainda detalhou que as vagas para analista judiciário serão para a área Judiciária (para formados em direito) e para técnico judiciário as chances serão para área administrativa, que pode ser exercida por quem tem nível médio, ambos com lotação inicial em zonas eleitorais do interior do estado.

 

“Algumas pessoas têm perguntado se haverá vagas para engenheiros, médicos, e posso adiantar que nosso quadro nesse sentido já foi suprido com o concurso anterior. Possivelmente haverá vagas para outros cargos, mas ainda não é possível especificar quais,” completou.

 

Sobre a possibilidade de o edital ser lançado ainda este ano, Valdez disse que “a intenção é realizar o concurso o quanto antes, inclusive para já termos o reforço desses novos colegas no pleito das eleições municipais do ano que vem. Os procedimentos adotados no momento são a definição do quadro, a confecção do projeto básico e a contratação da organizadora”.

Participação das mulheres no Judiciário ainda é menor que a de homens

Publicado em Deixe um comentárioCarreira judiciária, Justiça Eleitoral, Magistratura, Poder Judiciário, TRE, Tribunal de contas, Tribunal de Justiça, Tribunal do Trabalho, Tribunal Regional do Trabalho, Tribunal regional federal

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) divulgou, nesta quinta-feira (13/9), um novo relatório traçando o perfil sociodemográfico da magistratura brasileira. O estudo, que contou com a participação de 11.348 magistrados (número que representa 62,5% do total da categoria, hoje composta por 18.168 juízes, desembargadores e ministros dos tribunais superiores), demonstrou que a participação da mulher no Judiciário ainda é inferior a dos homens. Apenas 37% são mulheres.

O percentual teve um crescimento em comparação aos anos 1990, quando as mulheres magistradas representavam 25% da carreira, mas levou-se 28 anos para que a participação feminina na carreira subisse 12%.

Elas ainda progridem menos na carreira jurídica em comparação a eles. Segundo o CNJ, as mulheres representam 44% no primeiro estágio da carreira (juiz substituto), quando competem com os homens por meio de provas objetivas e passam a corresponder a 39% dos juízes titulares. Essa estatística ainda diminui com a progressão na carreira, pois elas ocupam apenas 23% das vagas de desembargadores e 16% de ministros dos tribunais superiores.

De acordo com Maria Tereza Sadek, diretora do Departamento de Pesquisas Judiciárias do CNJ, “é possível que haja uma dose de preconceito já que para entrar, mulheres e homens competem por meio de provas. No entanto, algumas progressões dependem de indicações. Mas não creio que seja só isso. As mulheres ainda têm muitas atribuições domésticas e isso gera impacto profissional. De qualquer forma, é um dado que precisa ser estudado, já que não fomos a fundo em relação aos motivos dessa diferença e ela pode ser observada também em outras carreiras”.

Maioria casados

A maior parte é casada ou possui união estável, 80%. Entre os homens, o percentual de casados é de 86%, e entre as mulheres, 72%. Os solteiros representam 10%; os divorciados, 9%; e os viúvos 1%. A maioria tem filhos (78%), sendo 74% das mulheres e 81% dos homens.

A maioria se declarou branca (80,3%), 18% negra (16,5% pardas e 1,6% pretas), e 1,6% de origem asiática. Apenas 11 magistrados se declararam indígenas.

O relatório ainda revelou que a idade média do magistrado brasileiro é de 47 anos. Os mais jovens estão na Justiça Federal, com 13% até 34 anos, 49% entre 35 e 45 anos e apenas 9% com 56 anos ou mais.

Confira a pesquisa completa aqui.

* Com informações do CNJ

TRE/TO escolhe banca para novo concurso com salários de até R$ 10,9 mil

Publicado em 2 ComentáriosJustiça Eleitoral, TRE

Do CorreioWeb – O edital para o novo concurso do Tribunal Regional Eleitoral de Tocantins (TRE/TO) já está próximo de ser lançado. Isso porque a comissão e a banca, responsáveis pela organização do certame, já estão escolhidas. A seleção para provimento de cargos efetivos vagos e formação de cadastro reserva ficará por conta do Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe).

A previsão é de que sejam oferecidas nove vagas, sendo sete para técnicos, de nível médio, e duas para analistas, com nível superior. A remuneração inicial desses cargos vai de R$ 7.044,75 a R$ 10.992,07, respectivamente.

Os candidatos ao cargo de técnico farão apenas uma prova objetiva, já os analistas, além dos exames objetivos, também farão uma prova discursiva.

Última seleção

O último concurso realizado pelo TRE/TO aconteceu em 2011, com a oferta de 32 oportunidades para cargos de nível médio e superior. A seleção foi organizada pela Fundação Carlos Chagas (FCC), e contou com salários que variavam de R$ 4.052,96 a R$ 6.611,39.

Os candidatos de nível médio disputaram uma vaga pelo cargo de técnico judiciário na área administrativa, já os graduados tentaram para o posto de analista judiciário nas áreas judiciária e administrativa. Todos os inscritos, 6.829 participantes, foram submetidos a avaliações objetivas nas cidades de Recife, Caruaru, Serra Talhada e Petrolina.

 

Veja também: Concursos de tribunais oferecem até R$ 27 mil para técnicos, analistas e juízes

300 classificados doam sangue para agradecer convocação