A forma da água tem várias acusações de plágio
forma da agua A forma da água tem várias acusações de plágio A forma da água tem várias acusações de plágio

Discussões, reflexões, plágio – O saldo de uma Hollywoodiana noite

Publicado em Sem categoria

Quando palpites a favor e contra em uma premiação podem se transformar no grande saldo de uma hollywoodiana noite!

Apesar de já estar na bica de comemorar aniversário de uma semana, a entrega do Oscar de melhor filme para A forma da água ainda é assunto. Notícia recém-divulgada sobre o laureado filme provoca certo auê nos meios de comunicação que ouso dizer, prejudicou um pouco o saldo da hollywoodiana noite de 2018.

Já assumi minha posição em relação a tal filme na coluna anterior e a mantenho – depois dos 10 primeiros minutos de exibição já dá para adivinhar o final e só por isso não o assistiria novamente. Tinha certeza que em poucos dias ninguém mais se lembraria da bobinha e batida história de amor entre a carente, ingênua e romântica faxineira Elisa Esposito e o ser aquático-desprovido-de-beleza-porém-dotado-de-alma-e-pureza-de-sentimentos.

Qual o quê, não é que denunciaram tardiamente que do premiadíssimo quem-ama-o-feio-bonito-lhe-parece constavam cenas, de relevante importância, chupadas de obras alheias, mais precisamente de Let me hear your whisper (David Zindel, 1969, peça teatral), Delicatessen e Amelie (Jean-Pierre Jeunet, 1991 e 2001 respectivamente). Se não bastassem as três obras alheias, surgiram comentários online que um curta de 2015, The space between us, dirigido e escrito por Marc Nollkaemper, também entrou na “plagiação” do diretor Guillermo Del Toro. O trabalho de Marc rolou quando o rapaz era ainda estudante e foi apresentado na Netherlands Film Academy.

Pelos primeiros minutos de A forma da água já sabemos o fim do filme
Pelos primeiros minutos de A forma da água já sabemos o fim do filme

Uma tragédia? Creio que não. Pelo contrário – a curiosidade, somada à premiação máxima, deverá aumentar em muito as filas nas bilheterias dos cinemas e, com isso, quem lucra com a exibição de filmes vai rir de orelha a orelha; Guillermo Del Toro será incensadíssimo e os atores da obra controversa sofrerão (no bom sentido) assédio nas ruas, supermercados e por aí vai, sem falar nos contratos que deverão assinar daqui pra frente. A britânica Sally Hawkins (Elisa Esposito) vai continuar atuando porque já foi premiada uma vez por ser excelente atriz.

O rapaz que passou duas horas com guelras, escamas gigantescas, olhos esbugalhadamente pretos e um corpitcho de causar inveja em qualquer um, todo certinho e definido, sem um pingo sequer de gordura tampouco terá problemas em atuar – seu nome é Doug Jones, é americano, tem 57 anos de idade e 1,92m de altura. É ator, contorcionista e familiarizadíssimo com papéis em obras de ficção científica, fantasias e filmes de horror. Claro que fui ao Google pesquisar porque no filme de Guillermo, o casal romântico central não pronuncia palavra e a voz pode em alguns casos fornecer pistas. Vide Anthony Quinn e Sean Connery, apenas para citar dois.
Bem que podiam ter deixado Doug Jones ir à cerimônia do Oscar caracterizado como no filme. Seria certamente entrevistado na porta e talvez o reconhecêssemos pelo jeito de falar.


Se fosse possível, telefonaria agora para Guillermo Del Toro e sugeriria que pedisse desculpas aos plagiados. Num mundo perfeito, o mexicano dividiria o lucro com os que escreveram a história antes dele. Mas, nos Estados Unidos funciona bem demais a política dos processos judiciais por indenização. Mas acho que todos os envolvidos sabem disso.

118 thoughts on “Discussões, reflexões, plágio – O saldo de uma Hollywoodiana noite

  1. An outstanding share! I have just forwarded this onto a colleague who has been doing a
    little research on this. And he actually bought me lunch simply
    because I stumbled upon it for him… lol. So let me reword this….
    Thanks for the meal!! But yeah, thanks for spending the time to
    talk about this matter here on your blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*