Mariza de Macedo-Soares em duas fases da vida, mas sempre alegre
mariza_capa Mariza de Macedo-Soares em duas fases da vida, mas sempre alegre Mariza de Macedo-Soares em duas fases da vida, mas sempre alegre

Muito prazer, sou Mariza de Macedo-Soares!

Publicado em Comportamento

Palpites sobre tudo: moda, comportamento, gastronomia, estilo. Bem vindo ao Blog da Mariza!

Sou a Mariza de Macedo-Soares jornalista, crítica de moda, estilo e comportamento. Sem bisbilhotar a vida alheia, consigo “palpitar” sobre assuntos que algumas (muitas…) vezes não me dizem respeito, porém, se perguntada, respondo.

Ou seja, divido com o inquiridor a responsabilidade de opiniões que nem sempre agradam, uma vez que ninguém é unanimidade na difícil arte do deleite. Eu, como não poderia deixar de ser, não sou a exceção que confirma a regra. Nem pretendo.

Vamos em frente – sou paulistana, frequento em bancos, aeroportos e caixas de supermercados as filas lentas e cada dia maiores destinadas aos que já viveram mais de 6 décadas. Nasci em junho na hora exata em que Gêmeos muda para Câncer, o que me permite usar – para me justificar ou “fazer média” – o signo que em melhor condição me coloque.

O sorriso aberto acompanha Mariza desde a infância
O sorriso aberto acompanha Mariza desde a infância

Dessa forma, me favorecem dois infernos astrais, o grande recurso para melhorar atitudes pouco sociais, descorteses, sobretudo crises de mau humor. A frase – sol em gêmeos (ou em câncer) me tira do sério, mas já, já passa – é um quebra-galho que funciona; ou não…

“Mania de ser feliz”

Apesar disso tudo, por incrível que possa parecer, sou alegre e tenho a terrível mania de ser feliz. Perrengues, como todos nós, já passei e deles consegui sair ilesa. Aliás, nesse momento ando superando um que pode ser considerado “danado”. Explico.

Sem aviso prévio, sem sinais externos, há dois anos fui diagnosticada com câncer. A doença, descoberta num resultado de rotineiro e prosaico exame de sangue, me fez sentir, por um breve momento, um desapontamento com a vida, uma sensação de injustiça que podia me levar à autopiedade.

Comigo não, violão!!!!! Se sou alegre e tenho mania de ser feliz, “vamos em frente que atrás vem gente”. E funcionou a postura que aparentemente poderia ser rotulada de irresponsável ou dissimulada.

Mariza nos dias de hoje: nada a tira a felicidade
Mariza nos dias de hoje: nada a tira a felicidade

Há que se esclarecer que apenas a postura não produziria resultado de deixar contentes os médicos que me acompanham até hoje – foram meses e meses de sessões de quimioterapia, radioterapia e de não interromper a rotina jamais.

Efeitos colaterais? Quase nenhum, a não ser pela queda de cabelos que, ao primeiro sinal de sua inevitabilidade, me levou a tomar rápida e firme decisão: raspei a cabeleira que não era feia, pelo contrário, bem cuidada e sai por aí fazendo gênero, careca, sem lenço nem peruca como disfarce, apenas chapéu para proteger do sol a calva. Afinal, fazer gênero pode ser bom e lançar tendência (como aconteceu), melhor ainda.

Sigo a vida normalmente, encaro o que resta do tratamento sem dramas ou traumas e faço o que mais gosto: escrever criticando (para o bem e para o mal) moda, estilo e comportamento, sem pretender ser “mãe da verdade”, apenas tentando mostrar que tais temas se interligam e bem observados geram elegância, aquela que vem de dentro e influencia o lado de fora de todos nós.

Que não reste nenhuma dúvida: o ponto de vista sempre será o meu, baseado no que vejo e já vivi, nos estudos de quem tem autoridade para descrever e justificar psiques e atitudes alheias – os filósofos, os profissionais do corpo e da mente e… numa assumida não bisbilhotice, observando tudo o que rola por aí.

Até mais!

82 thoughts on “Muito prazer, sou Mariza de Macedo-Soares!

  1. I will immediately grasp your rss as I can’t find your email subscription hyperlink or e-newsletter service.
    Do you have any? Please let me know in order that I may subscribe.

    Thanks.

  2. Thanks on your marvelous posting! I seriously enjoyed reading it, you will be a great author.I will always
    bookmark your blog and will come back from now on. I want
    to encourage one to continue your great posts, have a nice day!

  3. Parece mentira, pero todavía vivimos en una sociedad en la que algunos temas relacionados con la salud física o emocional continúan siendo tabú. En muchos casos, el estrés es el factor subyacente, pero causa ansiedad que luego provoca más estrés, es un círculo vicioso. El líquido hemático crea presión en estas cámaras, el pene se ensancha y alcanza la erección.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*