Feliz dia das mães para mães de bicho e de gente

Publicado em Sem categoria

Que nesse dia das mães tenhamos a sabedoria dos índios e dos animais, que não se furtam de amar, cuidar e criar como filhos aqueles que pertencem a outras espécies

 

 

A generosidade do amor de uma índia ianomami na Venezuela Crédito: Mark Edwards/Reprodução da internet
A generosidade do amor de uma índia ianomami na Venezuela Crédito: Mark Edwards/Reprodução da internet

Na natureza, é comum os animais “adotarem” bichos de outras espécies, um comportamento visto não só entre os domesticados, mas também, ocasionalmente, na vida selvagem. No best seller Unlikely Loves (Amores Improváveis), a escritora de ciência Jennifer Holland conta inúmeros casos do tipo, como o de uma cadelinha que amamentou um esquilo, o de macacos cativos que tratam gatos como filhos e até de um cão que se tornou “pai” de uma coruja bebê.

A ciência ainda tenta encontrar uma explicação para esse comportamento e, recentemente, tem-se sugerido que o hormônio ocitocina, também chamado de “hormônio do amor” pode estar por trás disso. Essa substância é liberada durante o parto, aliviando a dor da mãe e ajudando a criar laços com o bebê. Porém, não é exclusiva do organismo de humanos. Pelo contrário, estudos recentes constataram que, quando trocam olhares, cães e seus tutores produzem a ocitocina, em uma clara demonstração de amor.

Diferentemente do homem “civilizado”, que para tudo quer explicação, muitos indígenas isolados, como os ianomami e os awá-guajá, agem com naturalidade no trato com os bichos. Mulheres dessas tribos amamentam macaquinhos nos mesmos seios que fornecem alimento a seus filhos.

No nosso afã de controlar o planeta e de nos posicionar no topo da árvore da vida, nos esquecemos que somos bichos e que, na natureza, tudo está conectado. Somos animais do reino Animalia, da classe Mammalia e da ordem Primata. É claro que, agraciados pela evolução das espécies, atingimos um nível cognitivo como nenhum outro ser.

Porém, nem sempre usamos com generosidade nossa habilidade de raciocínio e argumentação. Se somos capazes de construir prédios, fabricar carros e colonizar o espaço, por vezes nos falta a sabedoria dos animais com cérebros menos complexos e dos humanos não aculturados, e passamos a atacar relações que nos parecem inferiores.

Nas redes sociais, onde o lado mais raivoso do Homo sapiens parece aflorar, mulheres enfurecidas têm se manifestado contra aquelas que se intitulam “mães de pets”, reivindicando para si a exclusividade das relações maternais. Se dizem ofendidas com comparações, muito embora as mamães de cachorros, gatos, calopsitas e o que mais quiserem não estejam afirmando que seus filhos bichos sejam iguais a crianças humanas. Mães (e pais) de pet os amam pelo que são: animais — com necessidades, especificidades e características fisiológicas e comportamentais diferentes das de humanos. Mães de pets não se sentem inferiorizadas por amar como a um filho uma espécie diferente da dela.

Os ataques de ódio nas postagens de feliz dia das mães para mamães de pets são assustadores e desafiam a ideia de que somos mais inteligentes que outros animais. Qual o sentido de odiar uma manifestação de amor? Vamos atacar a injustiça social, a violência, a destruição do meio ambiente. Mas, jamais, odiar o amor.

Que nesse dia das mães, ninguém se ofenda com o amor alheio. Que ninguém se coloque no direito de se apoderar do amor, considerando legítimo apenas o seu.

Feliz dia das mães para todas as mães que genuinamente amam seus filhinhos, sejam eles bicho ou gente.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

 

  • Rani

    Ameiiiiiii 😍

  • Yael Costa

    Que linda matéria! E que o amor de toda e qual forma prevaleça, pois torná-lo discutível, o empobrece, não acrescenta, não soma. Bobagem, perda de tempo! Viva nosso amor por humanos e animais!! ♥️🙏🏼🎉

  • Jussiara Rocha

    Que texto maravilhoso!! 😍😍😍

  • Cris Tavares Lange

    Texto pleno de amor. Mãe de pet,sim. Avó de humana. Espaço pra todos

  • Day Siqueira

    Aonde eu aplaudo mil vezes!!!!! O Amor não é palpável e muito menos pode ser medido… se as pessoas se preocupasse nais em amar e respeitar o próximo o mundo estaria um pouco melhor!!!! PALOMAAA OLIVETO, VOCÊ É DO BARALHOOO!!! AMEI 💖💖😍😍

  • Ana Paula Lisboa

    Texto maravilhoso, bela e válida reflexão

  • Carlos Borges

    Às vezes nos perdemos em discussões até ingênuas… ao querer nivelar comportamentos humanos. Há funções vitais, naturais, características próprias, genéticas, biológicas, etc…
    A mulher tem características que a configuram como, quem sabe, mais carinhosa… mais sentimento, mais partilhadora, coisas assim.
    Criei dois filhos, desde pequenos, sem a presença física da mãe, que partiu prematuramente dessa vida.
    Eu os amei e continuarei amando, como pai/mãe.
    Posso assegurar que a mulher foi mais talhada para partilhar, do que o homem.
    Ela se condói até pela carência dos animais sim.
    E mesmo as fêmeas animais conseguem realizar esse partilhamento.
    Belo texto.

  • Maraci Sant’Ana

    Lindo! É de nos fazer pensar! Vou compartilhar no Consultório Sentimental!

  • Leide Silva

    Texto perfeito!
    Sou mãe de uma criança linda e de 5 pets lindos também.
    TODOS são meus filhos sim e amo todos da mesma forma.

  • Paula Leon de Abreu

    Texto lindo e verdadeiro! Feliz dia das mães a todas, seja como for, de quem for! <3