Frio piora osteoartrite

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria

Durante os meses mais frios do ano, os músculos ficam mais contraídos. Além disso, ocorre o espessamento do líquido sinovial, responsável pela lubrificação das articulações, levando ao aumento da dor

 

Crédito: reprodução

A osteoartrite é uma enfermidade crônica e degenerativa que promove desgaste das cartilagens e ossos das articulações, causando dor e inflamação da área afetada. Consequentemente, há diminuição da amplitude de movimento. O problema acomete cães de todas as idades, sendo frequente em idosos, obesos e entre aqueles que sofreram lesões traumáticas ou tiveram complicações pós-operatórias de cirurgias ortopédicas. “Os cães podem suportar dores intensas sem demonstrar. Por isso, o tutor precisa estar atento aos mínimos sinais. Em caso de suspeita, ele deve levar o animal para uma avaliação que deverá ser realizada por um médico-veterinário”, orienta Jaime Dias, médico-veterinário e coordenador técnico da área pet da Vetoquinol.

O mais comum dos sintomas da osteoartrite é a dificuldade de se levantar, resultado da dor intensa nas articulações. “É comum, por exemplo, que ele manque quando sofre dessa enfermidade. Por não se movimentar como antes, há uma diminuição das atividades físicas, levando o cão a ganhar peso, o que já é outro sintoma a ser considerado”, explica Jaime Dias. O pet também pode ficar mais quieto, apático, irritado, sem interesse por passeios e brincadeiras.

Durante os meses mais frios do ano – normalmente, até o final de setembro –, os sintomas tendem a piorar devido à maior contração muscular e ao espessamento do líquido sinovial. Além disso, o frio desestimula o animal a se movimentar, diminuindo suas atividades físicas, que são práticas importantes para o controle dessa doença. Além da medicação recomendada por um médico-veterinário, Jaime Dias sugere ao tutor “o uso de camas confortáveis, roupinhas, deixar os animais abrigados e longe do frio, chuva e locais úmidos”.

Como possível prevenção, o tutor deve controlar o peso do animal, tomar cuidados para que ele não sofra lesões e levá-lo com periodicidade ao médico veterinário para check-up. Porém, nos casos de predisposição genética, não há como evitar o surgimento da osteoartrite nos cães. Independentemente da causa, o tutor deverá, portanto, buscar o melhor tratamento quando necessário, melhorando a qualidade de vida do pet.

Chico presenteado com um novo colchão

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria

Startup brasileira doou um colchão novo para a tutora de Chico, que viralizou destruindo uma cama de casal. Ele também ganhou uma caminha nova. Será que vão durar?

O destruidor mais fofo do Brasil Crédito: Reprodução

 

Depois de ter o colchão destruído pelo cachorro Chico, Patrícia Barros, gerente de uma empresa de telefonia, recebeu um colchão de uma startup brasileira que desenvolve produtos de alto padrão para o sono. Além do novo colchão, a empresa enviou duas camas de cachorro, uma para o Chico e outra para seu companheiro, Luke. O vídeo alcançou os fundadores da companhia, que se solidarizaram com o caso e enviaram os produtos para Bauru, interior de São Paulo.

“Nos comovemos com a Patrícia e com o Chico. Além dos produtos, disponibilizamos para eles uma terapeuta animal para orientar a Patrícia em relação ao Chico, dando algumas dicas para que ele fique mais zen”, explica Ilan Vasserman, um dos fundadores da startup Zissou, ao lado dos sócios Amit Eisler e Andreas Burmeister.

Patrícia e Chico recebem os presentes Crédito: Divulgação

Apesar de comum, esse tipo de comportamento requer atenção por parte dos donos. Segundo a terapeuta animal Kathi Drisner, que participará da visita, o excesso de energia gera ansiedade no animal e ele pode acabar descontando nos móveis de casa. “Os cães têm necessidades básicas que precisam ser supridas no seu dia a dia, tais como alimentação, passeio, exercícios físicos e cognitivos, além de alguns instintos genéticos que eles carregam, como morder, cavar, roer e destroçar. É de nossa responsabilidade prevenir, educar, e oferecer opções para eles suprirem isso. Aplicar enriquecimento ambiental, gastar a energia e ensinar comandos e truques dão ótimos resultados”, diz.

Se for preciso deixar o animal sozinho, a especialista recomenda que ele fique num ambiente preparado para que não “desconte” sua energia em objetos que não sejam adequados. “É preciso tornar o ambiente onde seu cão vive em um lugar mais dinâmico, complexo e interativo, estimulando o seu cão a apresentar comportamentos que são naturais da espécie, elevando assim a sua qualidade de vida e bem estar animal”, finaliza Drisner.

Zoonoses faz feira de adoção

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria

Pela primeira vez, evento é realizado em parceria com protetores de animais. Os cães e gatos estão saudáveis e aguardam um novo lar

 

Em parceria com a Associação Protetora dos Animais do DF, a A Diretoria de Vigilância Ambiental promove uma feira de adoção de cães e gatos amanhã (dia 20). Os pets estarão disponíveis no estacionamento da Gerência de Zoonoses (ao lado do Hospital da Criança), das 9h às 13h.

Para adotar, é preciso ter mais de 21 anos de idade, levar documento de identificação e comprovante de endereço, além de assinar um termo de posse responsável. Os animais não têm raça definida e estão com a vacinação antirrábica atualizada.

“O objetivo maior, além de arrumar um bom lar para os animais, é aproximar a população do DF da Gerência de Zoonoses, para eles entenderem nosso trabalho, quebrar o estigma e mostrar que as portas estão abertas”, afirma o gerente de Vigilância Ambiental de Zoonoses, Jadir Costa Filho.

Os animais que não forem adotados durante a feira continuarão disponíveis na Zoonoses. Quem tiver interesse em adotar pode ir ao local, de segunda-sexta-feira, das 8h às 17h, cumprindo os mesmos requisitos exigidos durante a feirinha.

Evento de motociclistas tem programa pet

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria

Brasília Capital Moto Week terá pela primeira vez adoção de pets, além de produtos que serão vendidos para custear o trabalho com animais abandonados

 

Crédito: Adriana Fortes/Divulgação

O maior evento de motociclismo da América Latina, Brasília Capital Moto Week traz na sua 16ª edição mais do que motos, arte, rock ‘n roll e muita música. Dessa vez,  terá a primeira Feira de Adoção de animais, com a presença de veterinários para tirar dúvidas dos futuros papais e mamães de pets.

Nos dias 20, 21, 26 e 27 de julho, de 10h às 16h, vários cachorros e gatos acolhidos em situação de abandono, rejeição, entre outros, estarão disponíveis para ganharem um novo lar cheio de amor e afeto.

Além da feira de adoção, o evento também receberá doação de ração e roupas (mantinhas, cobertas) para pets, além de ajuda de custo para manter o trabalho de acolhimento dos animais abandonados.

O Brasília Capital Moto Week também terá lojinhas com acessórios para os amiguinhos de quatro patas. Elas funcionarão durante todo o festival, de 18 a 27 de julho, nos fins de semana – 10h à 0h e, durante a semana, de 12h à meia noite.

Veja a programação completa.

 

 

É amanhã! Cinema e pipoca com o melhor amigo

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria

Organizadores do evento esperam uma tarde de muita diversão, com interação dos pets, expositores exclusivos e exibição de Pets 2 e Toy Story 4

 

O primeiro foi um sucesso, com 3 mil participantes. Três anos depois, a sessão do filme Pets 2, no cine drive in, promete repetir a animação de 2016, quando filas imensas se formaram nas proximidades do cinema. A ideia, segundo a organizadora do evento, a engenheira Day Siqueira, é promover uma grande confraternização entre tutores e seus melhores amigos, enquanto, na telona a céu aberto, eles podem curtir as novas aventuras do cãozinho Max e de seus companheiros.

Day Siqueira, com o golden Chico, ao centro: confraternização e conscientização Crédito: Antônio Cunha/CB/D.A Press.
“O CinePipocão voltou porque, mesmo o primeiro tendo sido há três anos, as pessoas sempre lembram dele e pedem um replay. Nada melhor que repetir com o mesmo filme, e Toystory4 a seguir. Nós gostamos de diversão e estar com os amigos fazendo coisas novas, indo a eventos que realmente tem diversão, não só um monte de stands de vendas. Também queremos fazer a conscientização de uma Brasília mais pet friendly, com socialização e educação canina. É o que mais amamos”, diz a tutora dos goldens Chico e Dom.

O CinePipocão é uma inciativa da ItDogs Brasília, da @auau.petshop e @doggatopet

SERVIÇO

Exibição de “Pets 2- A vida secreta dos bichos”

Para ficar ainda melhor, haverá entrega de brindes, de vários itens fantásticos, expositores exclusivos e muita comida gostosa

_________________

Data: 13/07/2019
Horário: das 15:30 às 21h

__________________
OBSERVAÇÕES:
O Cine drive-in abrirá suas portas a partir das 15:30 para o público geral, com o intuito de socializar animais e donos. Aconselha-se chegar o quanto antes para garantir seu lugar!
O filme começará às 18:30h.
E logo após ainda será apresentado Toy Story

Valor R$ 30
* Bilheteria apenas em dinheiro ou débito

Serão distribuídos na entrada dois saquinhos de porta caca para cada animal. Pede-se que zelem pela limpeza do local recolhendo toda e eventual sujeira do seu animal.
Quanto à alimentação, você poderá escolher entre as opções disponíveis no cardápio do Cine Drive-in ou dos food trucks, mas caso prefira trazer algo de casa, é permitida a entrada.

Melhor amigo no casamento

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria

Veja como incluir o melhor amigo no dia mais importante da vida dos noivos. É essencial que o bem-estar do pet esteja em primeiro lugar

 

Foto: Reprodução

 

Fofos, os pets se tornam o centro das atenções em casamentos. Organizar essa presença especial, no entanto, requer cuidados, tanto em relação ao bem-estar do bichinho quanto no papel que ele vai desempenhar na cerimônia, na preparação de um local para ele ficar após a aparição no altar e nos apetrechos que usará. Para ajudar os noivos, o iCasei (www.icasei.com.br) separa dicas para que o pet fique confortável e seguro.

“É preciso saber se o animal é calmo ou agitado e se está habituado a interagir com muita gente ou não. Por isso, o recomendado é levar um adestrador no grande dia ou alguém com quem ele conviva bastante e em quem confie”, diz Alê Loureiro, cerimonialista e parceira do iCasei. O ideal é que o convidado especial goste de estar perto de diversas pessoas, para que não se assuste e acabe causando problemas como fugir, avançar nos convidados ou pular na noiva e sujar seu vestido, por exemplo.

É importante chegar com antecedência ao local do casamento, para que o pet se ambiente com o espaço e até mesmo ensaie suas funções. Geralmente ele se torna o responsável por levar as alianças aos noivos, seja desfilando ou no colo de alguém, como fez a atriz Karina Dohme com seu cachorro. Ele também pode apenas fazer a caminhada e acompanhar o casal durante os dizeres no altar, dependendo de seu comportamento e do que está acostumado a vivenciar com os donos.

Alguns usam enfeites como coroa de flores ou gravatinha, mas há os que gostam de roupinhas mais requintadas. Normalmente eles não ficam alinhados por muito tempo, então, na hora das fotos, os animais têm que ser os primeiros da fila, a fim de liberá-los rapidamente antes de ficarem muito cansados ou estressados. Levar alguma comidinha ou brinquedo preferido para usar como isca ao olhar para a câmera ou fazer uma pose é uma boa estratégia.

Tudo tem de ser feito de forma personalizada e de acordo com cada família. “O local, a função desempenhada, a roupa e os acessórios são decisões importantes, mas tudo será perfeito se o animal não for forçado a fazer nada e se houver respeito”, destaca a parceira do iCasei.

Os noivos devem ficar atentos aos lugares que permitem a entrada de animais e, também, na locomoção dele, que não ficará para a festa madrugada adentro. Dessa forma a cerimônia contará com muito mais carinho e fofura.

Cinema com o melhor amigo

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria

Vem aí o CinePipocão 2! Tutores e seus melhores amigos estão convidados para uma sessão especial no drive-in do filme Pets 2, seguido por Toy Story 4

Na primeira edição, 3 mil pessoas se divertiram com seus pets no Drive in
Crédito: Antônio Cunha/CB/D.A Press. Brasil. Brasília – DF

 

O primeiro foi um sucesso, com 3 mil participantes. Três anos depois, a sessão do filme Pets 2, no cine drive in, promete repetir a animação de 2016, quando filas imensas se formaram nas proximidades do cinema. A ideia, segundo a organizadora do evento, a engenheira Day Siqueira, é promover uma grande confraternização entre tutores e seus melhores amigos, enquanto, na telona a céu aberto, eles podem curtir as novas aventuras do cãozinho Max e de seus companheiros.

Day Siqueira, com o golden Chico, ao centro: confraternização e conscientização Crédito: Antônio Cunha/CB/D.A Press.

“O CinePipocão voltou porque, mesmo o primeiro tendo sido há três anos, as pessoas sempre lembram dele e pedem um replay. Nada melhor que repetir com o mesmo filme, e Toystory4 a seguir. Nós gostamos de diversão e estar com os amigos fazendo coisas novas, indo a eventos que realmente tem diversão, não só um monte de stands de vendas. Também queremos fazer a conscientização de uma Brasília mais pet friendly, com socialização e educação canina. É o que mais amamos”, diz a tutora dos goldens Chico e Dom.

O CinePipocão é uma inciativa da ItDogs Brasília, da @auau.petshop e @doggatopet

SERVIÇO

Exibição de “Pets 2- A vida secreta dos bichos”

Para ficar ainda melhor, haverá entrega de brindes, de vários itens fantásticos, expositores exclusivos e muita comida gostosa

_________________

Data: 13/07/2019
Horário: das 15:30 às 21h

__________________
OBSERVAÇÕES:
O Cine drive-in abrirá suas portas a partir das 15:30 para o público geral, com o intuito de socializar animais e donos. Aconselha-se chegar o quanto antes para garantir seu lugar!
O filme começará às 18:30h.
E logo após ainda será apresentado Toy Story

Valores: R$ 15 (meia) � R$ 30(inteira)
* Bilheteria apenas em dinheiro ou débito

Serão distribuídos na entrada dois saquinhos de porta caca para cada animal. Pede-se que zelem pela limpeza do local recolhendo toda e eventual sujeira do seu animal.
Quanto à alimentação, você poderá escolher entre as opções disponíveis no cardápio do Cine Drive-in ou dos food trucks, mas caso prefira trazer algo de casa, é permitida a entrada.

Gatinha abandonada por família morre na rua

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria

A família se mudou de Taguatinga e deixou a gatinha para trás. Ela foi atacada por cachorros e morreu na rua. Essa é uma realidade cada vez mais comum no país

 

Gatinha abandonada: antes que as protetoras conseguissem o resgate, ela foi morta por cães Crédito: Divulgação 

 

No Brasil, há 30 milhões de animais abandonados, segundo estimativas da Organização das Nações Unidas (ONU). Com todo tipo de desculpa – mudança para apartamento menor, nascimento de filhos, alergias etc – muita gente, em vez de tentar encontrar outro tutor para cães, gatos e outros bichos, simplesmente os joga na rua, como objetos descartáveis.

Hoje (2 de julho), um grupo de protetoras independentes se depararam com uma situação lamentável na QND 58 de Taguatinga. Uma família foi embora e deixou para trás uma gatinha que, sem estar acostumada a viver na rua, foi atacada por cachorros e morreu na rua. Na QE 19 do Guará II, outra gatinha abandonada pela família está vivendo debaixo de carros em um estacionamento, correndo risco de também ser agredida ou atropelada, pois também estava habituada a viver em ambiente doméstico.

Quem não está 100% comprometido com a vida de um animal, jamais deve adotar ou comprar um. Inúmeras pesquisas científicas já constataram que a ligação que eles têm com seus tutores é tão forte quanto a de um filho com um pai. Quem jogaria um filho no lixo? Lembrando que abandonar animais é crime, com detenção de 3 meses a um ano, segundo o Artigo 32 da Lei de Crimes Ambientais.

As protetoras pedem ajudam para o resgate da gatinha da QE19. Quem puder ajudar, falar com Gisele no 99129-7782.

 

 

Ceratoconjuntivite canina: conheça o problema

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria

Ressecamento da córnea pode atingir cães de todas as idades e tende a levar à cegueira se não diagnosticado a tempo

 

Foto: Reprodução

 

Apesar de ser pouco conhecida entre os tutores de pets, a Ceratoconjuntivite Seca Canina é uma doença comum entre os cães, que podem desenvolver o problema em qualquer fase da vida. Trata-se do ressecamento da córnea e da conjuntiva, causado pela diminuição da produção de lágrima. O problema pode se manifestar em qualquer cão, mas os das raças Cocker Spaniel Americano, Schnauzer miniatura, Pug, Buldogue Inglês, Yorkshire Terrier, Pequinês, West Highland White Terrier, English Springer Spaniel, Samoyeda e Shih-tzu são mais propensos a desenvolvê-lo.

Entre os principais sintomas estão coceira, incômodo, secreção ocular e olhos vermelhos. Por serem semelhantes aos sinais de conjuntivite, muitas vezes o seu diagnóstico pode ser tardio, o que dificulta o tratamento. Segundo Marcio Barboza, gerente técnicoPet MSD Saúde Animal, quando não tratada, a doença causa pigmentação da córnea – que fica com manchas escuras – e pode levar o cão a cegueira.

Herança genética, trauma na região dos olhos, botulismo, carência de vitamina A, doenças autoimunes e distúrbios endócrinos são alguns dos fatores que podem contribuir para o desenvolvimento da Ceratoconjuntivite Seca em cães. A forma mais eficaz de garantir o diagnóstico precoce é submetendo o seu cãozinho a check-ups regulares com um médico veterinário, que pode indicar o melhor tratamento ainda na fase inicial da doença.

“O diagnóstico da doença pode ser feito por meio de exame oftálmico realizado por um médico veterinário. O teste da lágrima é o mais comum nesses casos”, afirma Marcio que complementa “hoje o mercado já disponibiliza alternativas de tratamento tópicos rápidos e eficazes, que não atrapalham a rotina do cão”.

Alguns cuidados com os olhos

Alguns cuidados com os olhos do seu pet devem fazer parte da rotina de todos os tutores. Abaixo Marcio lista alguns deles:

  • Limpeza diária: sabe aquela sujeirinha que vai acumulando ao longo do dia no canto dos olhos do animal? Tente retirá-la suavemente todos os dias, de preferência com um pano de algodão.
  • Nada de pelo nos olhos: pets com pelos longos devem ter a região dos olhos tosada adequadamente para que a região não fique irritada. Para aqueles que demoram entre uma tosa e outra, o indicado é que o pelo da região seja preso em um rabinho no topo da cabeça.
  • Evite deixar o pet na janela do carro: embora seja fofo, deixar o seu animal andar com a cabeça de fora da janela nos passeios de carro pode causar ressecamento e danos à córnea do pet com o tempo. O mesmo vale para ventos causados pelo uso de secadores de cabelo, que não devem ser usados diretamente na face do animal.

Torcida segura

Publicado em Deixe um comentárioSem categoria

Veja como proteger o pet do barulho típico dos dias de jogo. Muitos acabam fugindo e se acidentando durante as comemorações

Crédito: Reprodução

 

Com a temporada de jogos do Brasil e outras seleções, os brasileiros começam a organizar a torcida: vestem verde-amarelo, combinam de assistir os jogos reunidos e preparam seus apitos e cornetas para fazer muito barulho. E, é claro que o pet acaba não ficando de fora de toda essa movimentação. Sabemos que qualquer momento fica sempre mais especial tendo a companhia deles. Mas, será que eles estão preparados e o seu bem-estar sendo considerado?

É preciso tomar algumas precauções e cuidados com o pet para que ele não sinta medo, fique ansioso ou estressado com o barulho e movimentações das pessoas durante este período. Soma-se a isso o risco latente de fugas e acidentes, como atropelamentos, durante as comemorações, já que a mobilização em torno dos jogos é grande e muito atípica para os cães e gatos.

“Para evitar que o pet fique assustado com o barulho natural das comemorações, por exemplo, o ideal é acostumá-lo previamente. Devemos promover uma atividade prazerosa, como brincadeiras, e gradualmente expor o animal a estímulos barulhentos. Nas primeiras vezes em que o pet apresentar sinais de medo, tente associar o momento a algo positivo, oferecendo a ele um petisco ou seu brinquedo preferido como forma de carinho.”, explica a Dra. Flavia Rossi, Médica-Veterinária da Mars Petcare.

O Programa PEDIGREE® Adotar é Tudo de Bom, que há 10 anos promove a adoção consciente e a educação da população sobre a posse responsável de animais, preparou 6 dicas para preservar o bem-estar e a saúde do pet, deixando-o confortável durante o período dos jogos. Confira!

Mantenha os pets em um local seguro e acolhedor
Para evitar o desconforto e agitação do animal durante o momento de chegada e saída de pessoas em sua casa, procure um espaço confortável e mais isolado para que ele se sinta seguro, evitando a ansiedade e fugas. Para que o pet não se sinta deslocado, importante que o espaço escolhido seja familiar e que sua caminha, recipiente de água e alimento estejam lá.
Cuidado com a comida dos convidados
Embora o clima seja de descontração e animação, lembre seus convidados que compartilhar comida de humanos com o pet pode ter consequências graves. Alguns alimentos são tóxicos para eles, incluindo cebola, uva, alho, álcool, chocolate, abacate, entre outros. Por isso, tome cuidado para que o pet não tenha acesso aos quitutes da festa e, caso isso aconteça, o recomendado é procurar sempre um Médico-Veterinário. Se sua vontade é integrá-lo às comemorações, a recomendação é oferecer a ele um petisco próprio para pets.

Cuidado com o barulho
A audição dos animais é mais sensível que a nossa. Por esse motivo, barulhos altos tendem a causar medo e assustá-los. A dica é deixar o pet em um local familiar, com som ambiente como, por exemplo, TV ou rádio ligados em volumes apropriados. Isso reduz o stress e mascara o barulho.

Mantenha seu pet longe da sujeira da festa
É importante prestar atenção a objetos que o pet pode engolir. Copos plásticos, guardanapos e toda a sujeira da festa devem ser sempre jogados no lixo para que não gerem um problema sério caso o animal de estimação venha a engolir algo.

A ajuda dos convidados é sempre bem-vinda
Pedir para que seus convidados ajudem a acalmar o pet ou até mesmo brinquem com ele faz com que o animal se distraia e não se estresse tanto com o evento. Além disso, ele irá se familiarizar mais rapidamente com o ambiente.

Fim da festa
Ao terminar a festa certifique-se que o pet está em casa e não escapou durante a despedida dos convidados. A agitação da saída das pessoas pode confundir o pet e, caso ele esteja estressado, ser a oportunidade perfeita para uma possível fuga. Fique sempre atento.