CBNFOT031020180576 03/10/2018. Crédito: Arquivo Pessoal. Brasil. Brasília - DF. Favas Contadas. Chef Adriano Lentini.

A volta de Adriano Lentini às cozinhas brasilienses

Publicado em

Na mesma época que nasceu esta coluna, surgiu, em 1998, na 109 Norte, o restaurante I Siciliani, comandado por um grupo de amigos autointitulados máfia siciliana. No começo, trabalharam juntos Antonino Di Giovanni, o Ninny; Adriano Lentini (foto) e Giovanni Spadula que, quando se separaram, abriu uma pizzaria com seu nome na QI 11, do Lago Sul. A eles se juntaram, dois anos mais tarde, Helio Gulina e Gianni Tasca.

Era irresistível frequentar a casa deles. Pela qualidade da comida simples, pela harmonização com bons tintos e pelo ambiente quase hilário com todos os donos falando ao mesmo tempo — isso quando não brigavam. Quando a experiência se esgotou, cada um seguiu carreira solo, como Ninny, que teve muito sucesso com sua cantina de massas na 309 Norte.

Já Adriano Lentin,i tomou o caminho do mar. Depois de comandar por 12 anos o I Siciliani Al Mare, no Porto das Dunas, Ceará, que funcionava seis meses por ano, o chef siciliano está de volta a Brasília. Aqui, ele se dedica ao serviço de cattering fornecendo algumas especialidades, como molhos sem conservantes nos sabores pesto, caponata, putanesca, tricolore, pomodoro secchi, amatriciana, ossobuco, funghi porcini, nero di seppia e bottarga. O preço dos molhos varia entre R$ 25 e R$ 40, conforme os ingredientes.

Chama-se Cotto e Mangiato a grife com a qual Lentini vai à casa de clientes — mínimo de oito e máximo de 30 pessoas — para servir massas frescas produzidas por ele. Além das massas e molhos, o chef produz limoncello. Sai por R$ 60 o licor numa bonita garrafa de 375ml. Telefone: 99337-5574.