sushi_san_blog Eduardo Viana exibe a centolla, iguaria servida no Sushi San Experience

Pratos do Sushi San Experience levam o cliente ao Oriente

Publicado em

A ideia que sustenta o novo Sushi San Experience é simples: oferecer comida japonesa com sofisticação. Recém-inaugurado no Bloco C da 107 Sul (onde funcionou o Gosto da Mata, de comida mineira por quilo), o restaurante está instalado em uma única loja e conta com três áreas para os clientes: o tatame, no andar superior, as mesas convencionais e o sushi bar, no térreo.

“À noite, quando o céu estiver limpo e estrelado, os clientes que optarem pelo tatame poderão apreciar a lua e as estrelas, já que parte do nosso telhado é de vidro”, observa Daniely Brito, sócia proprietária. Ela encontrou no talento do arquiteto André Alf o projeto ideal, desenvolvido com materiais diferenciados, como aço corten, madeira freijó e pedra de brita em estado bruto, além do vidro. As pedras estão colocadas na fachada e no interior da loja em coluna vertical com tela de andaime.

Impacto
Outra “descoberta” de Daniely e do irmão dela, Roberto Brito, foi o comandante da cozinha. Primeiro, eles focaram num chef japonês, que não quis sair de São Paulo. Imediatamente contrataram Eduardo Viana, de 37 anos, que há mais de 18 usa os hashis para cozinhar em vários endereços paulistanos, como os da rede Kapu Sushi, para dar consultoria e treinar a brigada. Edu, como é chamado até pelos clientes, quis ficar em Brasília quando foi convidado.

“O chef, extremamente exigente e antenado com os lançamentos da gastronomia mundial, tem o perfil que nós estávamos buscando”, explica Daniely, que cunhou para a casa o conceito experience, “espécie de marketing sensorial, que explore todos os sentidos do cliente da forma mais rica”. Segundo ela, inclui o visual, mediante um projeto de impacto; o auditivo, no som acústico e música lounge, e o paladar, com um menu surpreendente.

A escolha do chef
Ao contrário do primeiro Sushi San, fundado há quase 22 anos pelos dois irmãos na 211 Sul (agora fechado para reforma), a casa nova não tem rodízio de sushis. Funciona com menu à la carte, no qual os itens são vendidos em pequenas porções ou unitários. “Assim, cada combinado será individual e exclusivo”, comenta Roberto Brito. No total, são mais de 200 novidades no cardápio entre sushis, sashimis, entradas, carpaccios, makimonos, temakis, robatas, pratos quentes contemporâneos, veganos e sobremesas.

O melhor mesmo é você deixar a escolha por conta do chef. Chama-se omakase, que quer dizer “deixo aos seus cuidados”, o menu de degustação da culinária japonesa com três opções nos valores de R$ 90 para oito etapas; R$ 130, para 12; e R$ 180, no total de 16 etapas.
Gourmets já estão se deliciando com as iguarias que Edu Viana é capaz de oferecer. Como a centolla, espécie de caranguejo que vem do Chile e pode ser vista já cozida na bancada do chef. A vieira trufada é outra pérola que enternece o estômago, sem falar no sushi unagui terrine, feito com enguia, abacate, foie gras e redução de vinho.

O desabastecimento causado pelo movimento dos caminhoneiros não atingiu a casa, “porque todo o fornecimento de peixe — inclusive o caranguejo — é feito por via aérea”, disse o chef, que apontou alguns atrasos nas encomendas. “Agora, porém, já está tudo normal”, garantiu Edu. Funciona todos os dias no jantar e no almoço, de terça a quinta, das 12h às 15h, e sexta a domingo até as 16h. Telefone: 3242-4034.