Chef Ronny Peterson Credito: Gui Teixeira/Divulgacao. Chef Ronny Peterson.

O voo solo do chef

Publicado em

Um ano atrás, surgiu na 411 Sul o A’ mano, tocado por cinco sócios: dois proprietários da churrascaria Otro Parrilla e três egressos do Gero — dois maîtres e um cozinheiro. O sucesso foi instantâneo. A casa continua bombando, mas o chef não está mais lá.

Nascido num lugarejo perto de Serra Talhada, o chef pernambucano Ronny Peterson (foto), aos 38 anos, embarca num voo solo. Ele até continua como executivo do restô anterior, onde deixou equipe treinada, mas todo o seu tempo agora é consumido na estreia do Aroma, sofisticado bistrô assinado por André Alf, que abriu as portas na 407 Sul, onde funcionou o Beco.

Passeio contemporâneo

Interpretando cardápio enxuto de poucos pratos, Ronny está fazendo “uma comida impecável”, na avaliação do empresário e restaurateur Celso Kaufman que, em quatro dias comeu lá duas vezes. Muito conhecido no circuito gourmet da cidade, Kaufman brinca que não pode elogiar porque “é amigo de todos os chefs”. Como destaque, apontou a vaca atolada feita com costela angus em crosta de pistache, aligot de mandioca e crocante de batata doce roxa por R$ 72.

Treinado nas cozinhas do grupo Fasano, onde atuou por muito tempo, o chef do Aroma contempla as culinárias brasileira, italiana e francesa. “Não quis limitar minha técnica e criatividade em uma cozinha só. Quero passear pela gastronomia contemporânea e entregar pratos com personalidade. Sair da minha zona de conforto”, explica Peterson.

Bom preço

Batata rústica defumada com queijo de cabra, gema caramelizada e trufas negras (R$ 46) é a senha para uma inesquecível refeição, cujo prato consistente pode ser uma massa (agnolotti com polenta e brie, ragu de galinha d’angola e crocante de quiabo) por R$ 67; um risoto de pato, calabresa e pêra caramelizada por R$ 77 ou ainda o principal, como barriga de porco marinada na cachaça, melado de cana e creme de milho trufado (R$ 79).

Credito: Gui Teixeira/Divulgacao. 

O prato mais caro, é o foie gras, claro. Vem no atum com risoto nero, aspargos, zeste de laranja e bacon por R$ 93. Outro must é o polvo braseado, cebola com musseline de baroa com pequi por R$ 84. Quem comparou os preços do Aroma com o de outros restaurantes tops da cidade achou “justos”. Até nas sobremesas que saem em média por R$ 32, como canoli com goiabada e creme de queijo da Serra da Canastra (foto) ou a baba ao rum calda de laranja, iogurte, mel e frutas vermelhas por R$ 31. Destaque para o bolinho quente de milho verde cremoso com doce de leite e sorvete de tapioca por R$ 33.

A casa funciona todos os dias: de segunda a quinta, das 12h às 15h e 19h a 0h; sexta e sábado de 12 às 17h e 19h a 0h e domingo, de 12h às 17h. Reservas: 99553-7663.