CBNFOT280220201731 Crédito: I9 Aceleradora/Divulgação. Favas Contadas. Ivone Carvalho ao centro ladeada pelo irmão Antonio, à esquerda, e pelo chef Marcos Espinoza

O mar é a inspiração do restaurante Sagrado Mar a ser lançado no Fashion Park, no Lago Sul

Publicado em

Fechada desde 2017, a cobiçada esquina do Fashion Park, no bloco F da QI 17 do Lago Sul, onde por último funcionou o El Negro (que sucedeu o Ares do Brasil, que sucedeu o Alice Brasserie), desde então causa curiosidade: quem vai se instalar lá? Na volta das minhas férias, ouvi a resposta na rua: “Foi a vizinha que comprou”.

A empresária Ivone Carvalho se lança na terceira empreitada gastronômica — as duas primeiras são o Bierfass e o Taypá — , ao lado do irmão Antonio e do chef peruano Marcos Espinoza, braço direito do restô andino, que vai comandar também as chapas do Sagrado Mar, previsto para abrir em maio ou até antes, no fim de abril.

“Nesses 10 anos que acompanho o Taypá, sempre senti falta na cidade de um bom espaço para comer peixes e frutos do mar”, justifica Espinoza, que compartilhou o sentimento com os dois sócios. Os três discutiram a ideia e em novembro “batemos o martelo”, revela o chef.

Menu diferenciado

Crédito: Liana Sabo/CB/D.A Press. A vieira, que reina no Taypá, estará presente no Sagrado Mar

“Dois restaurantes colados não vão concorrer entre si?” é a pergunta que se impõe diante do anúncio. “Eles terão cardápio totalmente diferente”, assegura Ivone, para quem o peruano há muito tempo consolidado não interfere em nada na nova proposta. “O foco do cardápio do Sagrado Mar será nos frutos do mar e na sazonalidade de peixes e mariscos,” acrescentou a restauratrice.

Depois do carnaval, o chef Marco Espinoza deu início aos testes dos pratos para a elaboração do menu. Segundo ele, a meta é “aproximar o gourmet brasiliense dos melhores sabores encontrados no mar”. Para tanto, ele garimpou no litoral de Santa Catarina o fornecedor da matéria-prima, que é a Atlanfish Pescados, empresa sediada em Florianópolis de peixes frescos e congelados, inteiros e manipulados, além de produtos para a gastronomia oriental, como algas.

“Nem ceviche, nem pisco”, garante o chef que, ao contrário do Taypá, não fará um menu fixo. No cardápio enxuto haverá sugestões de petiscos (para o happy hour), pratos principais e sobremesas, além de uma carne para quem não come pescados. Metade da equipe já está escolhida entre cozinheiros locais que trabalharão sob o comando do souschef peruano Ed Ventura, de 27 anos, vindo do Rio, com passagem por Chile e Argentina.

Fora do supermercado

Os pães de fermentação natural serão todos feitos na casa e a carta de vinhos não poderia ser mais exclusiva. Os rótulos serão fornecidos pela Vinhos SA, distribuidora recém-fundada por Ivone e Antonio Carvalho em parceria com os especialistas Alexandre Azevedo (ex-Videira Vinhos) e Evandro Alves. As letras SA do nome significam sociedade entre amigos, explica Alexandre, que há mais de 15 anos mantém amizade com os Carvalho.

O diferencial da nova empresa é que ela só vende vinho para pessoa jurídica e 95% do portfólio são “produtos que não estão à venda em supermercados”, diz o sommelier, que trabalhou em diversos restaurantes brasilienses. Três vinícolas brasileiras fazem parte do catálogo: Don Bonifácio, de Caxias do Sul; Valdemiz e Familia Bebber, de Flores da Cunha. A maioria dos vinhos importados do Velho Mundo vem pelas mãos da Premium, de Belo Horizonte. Telefone: (61) 99884-5034 (Alexandre Azevedo).