Criatividade chama a atenção na Cremeria Italiana

Publicado em

Basta uma olhada de relance no balcão de sabores para saber, de antemão, que não se trata de um sorvete comum. Confeccionados por dois mestres da gelateria Paolo Calanchini e Mirko Stortini, com mais de 20 anos de experiência na Itália, os gelatos têm produção artesanal. Não contêm aromatizantes, conservantes, corantes artificiais e gorduras hidrogenadas, daí podemos sentir com clareza o gosto de cada ingrediente. São encontrados na Cremeria Italiana, que abriu as portas há uma semana, na Bloco B da 206 Sul.
Além dos tradicionais gelatos, como o de pistache importado da Espanha, há dois ou três — caramelo salgado; e creme de mel, vinagre balsâmico e crocante de pistache — que ganham um sabor especialíssimo conferido pela flor de sal do Himalaia. Segundo os gelatiers — como são chamados os sorveteiros na Itália — o produto deles tem “em média, 50% menos gordura e açúcar do que o sorvete comum”. Eles são oferecidos em tamanhos pequeno, médio e grande, além do cone de biscoito, com valores entre R$ 13 e R$ 20. Para levar para casa, há embalagens de 500g e 1kg.

Café com waffle

11/12/2018. Crédito: Rodrigo Poncinelli/Divulgação. Brasil. Brasília – DF. Favas Contadas. Mirko Stortini, Antonello Monardo e Paolo Calanchini na Cremeria Italiana, na 206 sul.

Num ambiente totalmente remodelado, a casa também oferece café em mais de 10 modalidades, como espresso, macchiato, com creme, cappuccino, mocaccino e cioccolato com chantilly, entre outros, cujos preços variam de R$ 6 a R$ 18, o affogato al caffe. A bebida pode harmonizar com waffles (entre R$ 20 a R$ 29), petit gâteau com sorvete e calda de chocolate (R$ 19, brownies, tortas e até strudel de maçã por R$ 15, a fatia). Não falta tiramisù, a tradicional sobremesa italiana, com mascarpone feito na casa.
A sobreloja está reservada para cursos, que terão início no dia 21 de janeiro e as inscrições já estão abertas pelo e-mail info@projetogelatoitaliano.com.br. Assim, a dupla, que fala português (Paolo residiu em Niterói, desde 2002) quer abrir na cidade “a primeira escola-gelateria onde serão ministrados cursos teórico-práticos sobre as técnicas de elaboração em gelateria”. Funciona das 11h às 23h. Telefone: 3536-9693.