Terranova (23) Crédito: Miolo Wine Group/Divulgação

Colhidas antes da pandemia, uvas dão safra lendária de vinhos

Publicado em

Na contramão da tragédia que trouxe a epidemia do novo coronavírus ao Brasíl, o setor agrícola teve um desempenho bem acima de qualquer expectativa. Especialmente no Rio Grande do Sul, onde a vitivinicultura já está comemorando o resultado de uma ótima colheita. É “a safra da safra”, proclamou o enólogo Daniel Salvador, presidente da Associação Brasileira de Eventos (ABE), que teve de adiar para outubro (entre os dias 13 a 16) o 10º Brazil Wine Challenger, a ter lugar em Bento Gonçalves, por causa da pandemia. Nessa ocasião, serão degustadas amostras de centenas de países (ano passado foram 611 de 18 nações), entre elas os tops brasileiros.

O primeiro vinho da safra 2020 a chegar ao mercado foi o Miolo Gamay. Para o enólogo Adriano Miolo, que dirige o Grupo Miolo, a safra 2020 só é comparável em qualidade a de 2018, denominada “safra lendária”. E agora 2020, avalia o especialista, nos presenteia novamente com o desafio de elaborarmos grandes vinhos. “Isto significa que durante cinco anos teremos vinhos nobres no mercado”, comemora.

O excelente desempenho do setor teve o clima como principal aliado. No final de 2019 e no começo deste ano, a Serra Gaúcha teve clima seco e pouca chuva, o que contribuiu para a qualidade superior das uvas. Diante do isolamento social propiciado pela suspensão de muitas atividades, inclusive o comércio, as vendas de vinho passaram a ser feitas on-line. Só na loja virtual da Miolo, a venda cresceu 62% em abril e o líder de vendas foi justamente o Miolo Wild Gamay (R$ 52), que é 100% vegano e livre de alergênicos, não contém SO2 e é elaborado com leveduras selvagens, como todos os demais tops da grife: Sesmarias, Quinta do Seival Cabernet Sauvignon e Quinta do Seival Castas Portuguesas, que vêm por aí.

Crédito: Miolo Wine Group/Divulgação

Os vinhos brancos jovens estarão mais prontos em agosto e setembro e os tintos mais encorpados com aroma nítido e peculiar de sua maior complexidade vão chegar ao mercado a partir de 2021. Outra aposta da Miolo, que tem unidades em quatro diferentes regiões produtoras do Brasil, é o Miolo Reserva Sauvignon Blanc Colheita Noturna, que nasce de uvas colhidas à noite.

Combina com carne

Crédito: Fogo de Chão/Divulgação. Rodízio

Vinho combina com carne. Não é porque os restaurantes ainda estão fechados por conta do isolamento social que você deixará de saborear um rodízio no Dia das Mães. A rede Fogo de Chão se preocupou com esse aspecto e lançou no delivery um combo, disponível na plataforma iFood, para que as famílias possam curtir ao redor da mesa momentos diferenciados. O prato vem com 200g de costela de porco, 200g de linguiça, 400g de bife de chorizo e 300g de coxa de frango. Como acompanhamento, a farofa tradicional ou de ovos, arroz branco ou biro-biro, vinagrete, além de uma salada que você poderá escolher.

Sai tudo por R$ 199 e serve até quatro pessoas, mas se quiser adaptar o pedido para seis pessoas, o acréscimo será de R$ 80. Parte das vendas com o delivery está sendo revertida ao Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social (IDIS), organização pertencente ao grupo do Fundo Emergencial para Saúde que foi criado em função do coronavírus.

Outra opção de delivery que a rede oferece é Fogo To Go, veja o menu no site: www.fogodechao.com.br ou ligue para 3322-4666.