Brasília ganha primeiro bar de queijos, o Teta Cheese

Publicado em

Brasília ganha, agora nos seus 58 anos, um endereço dedicado somente aos queijos, grande parte produzida com leite cru. É uma lojinha na 103 Sul com o sugestivo nome Teta Cheese Bar, lugar acolhedor onde o visual, os aromas e os sabores conspiram para surpreender. Lá, você pode escolher o produto para levar para casa. Mais que isso, pode degustar pratos elaborados com queijo e harmonizá-los não só com o companheiro ideal, que é o vinho, mas também com cervejas, que é a inovadora proposta.
O primeiro bar de queijo da cidade ainda tem outra característica: nada de produtos industrializados, imitações de gorgonzola ou marcas importadas. A casa oferece somente… queijos brasileiros, produzidos a maioria em pequenas propriedades rurais.

Descoberta

Aberto há um mês, o negócio é fruto da parceria de mineira de Uberlândia, Marina Cavechia, do publicitário gaúcho André Vasquez e do designer gráfico igualmente mineiro Pablo Julio. Formada em jornalismo, (começou no Rio Grande do Sul e concluiu o curso em Brasília), Marina foi estagiária do Correio Braziliense, mas há seis anos se interessou primeiro por cerveja (tem curso de sommelière), depois por queijo. Quando conheceu a loja A Queijaria, de Fernando Oliveira, na Vila Madalena, em São Paulo, focada somente em queijos brasileiros, “pirei e vi que existia um universo de queijo a ser descoberto”.
Assim que vagou a loja, anteriormente ocupada pelo restaurante Inácia, Marina alugou há 8 meses e deu início à reforma, na qual a empresa Bloco Arquitetos estendeu o pé direito, abriu uma janela e colocou mesas no jardim.

16/04/2018. Credito: Liana Sabo/CB/D.A. Press. Brasil. Brasilia - DF. Favas Contadas. Pablo Julio, Marina Cavechia e Andre Vasquez, socios da Teta Cheese Bar, na Superquadra 103 Sul.
16/04/2018. Credito: Liana Sabo/CB/D.A. Press. Brasil. Brasilia – DF. Favas Contadas. Pablo Julio, Marina Cavechia e Andre Vasquez, socios da Teta Cheese Bar, na Superquadra 103 Sul.

Destaques

São cerca de 50 tipos de queijos regionais autenticamente brasileiros ou de estilo europeu, produzidos em Minas Gerais, São Paulo, Santa Catarina, Distrito Federal e Goiás, como a Fazenda Vale do Roncador, na Cidade Ocidental, onde José Américo faz queijos em parceria com Marina. Segundo ela, por não terem tradição, vêm do território paulista os queijos mais inovadores. O Capril do Bosque, por exemplo, a 120km de São Paulo produz o Azul do Bosque, delicioso queijo de massa cremosa, potente e de mofo azul. Outro muito top é o de leite de búfala cru curado com cachaça de Cataia, feito em Jacupiranga (SP), que combina com a cerveja Saison.
Graças a um menu pedagógico, você pode selecionar as porções (todas pesam de 50g a 60g) e montar a sua tábua de queijos suaves, macios e intensos, curadinhos e extra-curados. Os preços das porções variam de R$ 14, como o queijo do Bello e Fazenda Canastra, ambos de Minas, a R$ 30, o Azul do Bosque.

Pratos quentes

O cardápio foi desenvolvido com a participação do consultor gastronômico Gabriel Rogério. Começa por entradas frias, como vinagrete de polvo (R$ 48); carpaccio de beterraba com boursin de queijo de cabra (R$ 18) e torre de abobrinha com o cabra fresco (R$ 28), passa por entradinhas quentes como queijo assado, croquetes de pastrami e bombons de muçarela de búfala empanados (R$ 25) e chega aos pratos quentes com pastas e carne. Polenta cremosa com ragú de linguiça vem com queijo tulha por R$ 30, enquanto arroz caldoso de costela cozida por oito horas até desfiar (R$ 36). O restaurante funciona de quinta a sábado, a partir das 17h, mas a loja abre de terça a sábado, a partir das 11h. Telefone: 3554-6970.