Mudanças no Prêmio Jabuti: menos categorias e participação de independentes

Fernanda Gomes Garcia, diretora da CBL, Luis Antonio Torelli,  presidente da CBL, e Luiz Armando Bagolin, curador do Prêmio Jabuti
Publicado em Deixe um comentáriohistória, literatura, livro, poesia, quadrinhos

O 60º Prêmio Jabuti 2018 teve o número de categorias reduzido, mudanças na escolha dos vencedores e na seleção do júri e acréscimo de duas novas modalidades. Em coletiva realizada nesta terça (15/05), o presidente da Câmara Brasileira do Livro (CBL), Luís Antonio Torelli, e o curador do prêmio, Luiz Armando Bagolin, anunciaram uma reforma que definem como “racionalização” do prêmio. “Uma das novidades, que vem ao encontro do que a CBL prega, que é essa coisa de conquistar mais leitores, é que a gente também inclui no Jabuti 2018 o prêmio para a formação de leitores”, avisa Torelli.

Com humor, Julia Wähmann trata de perdas e demissão

Crédito: Mauro Pinheiro
Publicado em Deixe um comentáriohumor, literatura, livro, poesia, romance, Sem categoria, surreal

Você pode nunca ter sido demitido, pode já ter passado por isso algumas vezes (imagino que uma ou duas, no máximo, caso tenha nascido nos anos 1980) ou pode viver a expectativa disso há anos. E, com certeza, conhece alguém que já passou pela situação de ser dispensado. O fato é que você vai se identificar imediatamente com a personagem criada pela carioca Julia Wähmann nessa preciosidade que é o Manual da demissão. Então preste muita atenção quando colocar as mãos nesse livrinho: ele vai conversar diretamente com você e sim, vai fazer você rir de tão trágico o drama narrado. E ter algum carinho pela situação dolorida de ser dispensado.

Rupi Kaur e a poesia que veio da rede

Publicado em Deixe um comentárioliteratura, livro, machismo, poesia, racismo, Sem categoria, violência, vítimas

Vamos falar sobre essa moça, essa Rupi Kaur, nascida na Índia, de nacionalidade canadense, detalhe importante para os versos que ela escreve. Você já deve ter ouvido falar dela. Rupi ficou famosa nas redes sociais com poeminhas feministas, versos curtos, ora contundentes, ora simplórios e infantis demais, o que já rendeu boas críticas por aí. Milk and honey, publicado no Brasil como Outros jeitos de usar a boca, vendeu um milhão de cópias e saiu no Brasil em 2015. A nova edição da Planeta vem com capa dura e os poemas em inglês, língua original da escrita da autora. Falando de traumas, sobrevivência, dor e cura, mas também de amor, raça e relacionamentos, a poesia de Rupi causa uma certa emoção mesmo naqueles que não compartilham sua origem sofrida e complicada.

Ladainha, novo livro de Bruna Beber, é cheio de sutilezas

foto da poeta Bruna Beber
Publicado em Deixe um comentárioliteratura, livro, poesia

Sabe aquela poesia cheia de oralidade, cheia de imagens que evocam o tempo, os cheiros, os lugares, os gostos, tudo isso inserido em momentinhos do cotidiano que podem ser muito concretos ou simplesmente abstrações do pensamento? Então, é mais ou menos para um mundo assim que a poesia de Bruna Beber carrega o leitor em Ladainha, novo livro de poesia […]