Nova edição de ‘Reinações de Narizinho’ discute racismo e machismo

Publicado em Deixe um comentáriofeminismo, história, ilustração, lançamento, leitura, livro, machismo, racismo, Sem categoria, violência

É interessante a solução encontrada por Marisa Lajolo e pela Companhia das Letras para lidar com o racismo incutido em Reinações de Narizinho. Ficou decidido que as personagens de Emília e Narizinho questionariam os termos polêmicos, mas também aqueles menos corriqueiros nos dias de hoje, além das palavras um pouco mais rebuscadas. A solução funciona muito bem nos dois últimos casos e é até divertida, mas nem sempre convence quando se trata do ranço racista do autor. É difícil justificar o injustificável, mas é melhor que se aponte os trechos e se fale sobre eles do que deixá-los soltos. É sempre bom lembrar, no Brasil de hoje e especialmente para as crianças, que racismo, preconceito e machismo existem, estão até na nossa literatura e não se pode fazer vista grossa para eles

Natália Borges Polesso fala sobre conflitos, diálogos e literatura

Publicado em Deixe um comentárioamor, contos, feminismo, história, literatura, livro, poesia, política

Depois de ganhar o Jabuti em 2016 na categoria contos com o livro Amora, a autora gaúcha Natália Borges Polesso, que participa hoje do Livre! Festival Internacional de Literatura e Direitos Humanos, acaba de concluir um romance de formação. Ela ainda não pode falar muito sobre o livro, mas adianta que é a história de uma menina da adolescência à idade adulta que precisa lidar com uma condição. A personagem tem epilepsia e os conflitos gerados a partir dessa condição são essenciais em sua vida. Para a autora, a construção dos personagens é algo fundamental.

Já fez sua lista de leitura para 2018? Veja aqui o que as editoras lançam este ano

Publicado em Deixe um comentárioensaio, fantasia, feminismo, filosofia, graphic novel, história, ironia, literatura, livro, machismo, quadrinhos, romance, Sem categoria

Quer preparar a lista de leitura para 2018? Tá na hora. O ano mal começou e ainda dá tempo de planejar o que ler. O Leio de tudo preparou uma seleção pinçada entre as previsões de lançamentos das editoras. Veja o que vem por aí.

Lacração, apropriação cultural, racismo e linchamento nas redes em novo livro de Francisco Bosco

Publicado em 1 Comentárioassédio, ensaio, feminismo, filosofia, livro, machismo, racismo, vítimas

O que o clipe de Mallu Magalhães, o caso do turbante de Thauane Cordeiro, as marchinhas de carnaval e o episódio da cantora baiana Marcia Castro têm em comum? Todos ganharam enorme repercussão graças ao que o filósofo Francisco Bosco chama de “novo espaço público brasileiro”. E todos representam uma nova maneira de lidar com as lutas identitárias. Foi para refletir sobre esse espaço e qual seu impacto na sociedade que Bosco escreveu A vítima tem sempre razão?.