Sabor de remédio

Publicado em Deixe um comentário

Não é história que da internet nem foi um amigo de um amigo que me contou. Um médico me garantiu: o açúcar literalmente tem o poder de curar feridas. Falo dos grãozinhos brancos do açúcar que você usa para adoçar o café, de feridas sangrentas e de pele esfolada. A tese, defendida por alguns estudos, me explicou o doutor, é a […]

A África que não se registra

Publicado em Deixe um comentário

  Quando saí da antiga casa de Nelson Mandela, na periferia de Johannesburgo, fui surpreendida pelo abraço de um senhor negro, muito alto, que me ofertava seu sorriso xadrez pelo efeito dos dentes remendados com pedaços de ouro. Ele queria se certificar de que eu estava feliz ao cumprir meu objetivo: visitar o local onde morou o maior ícone político […]

Extrovetida, eu. Tímidos, vocês.

Publicado em Deixe um comentário

Dia desses promovi um encontro entre duas pessoas por quem nutro especial admiração e afeto. A conversa entre ambos fluiu em tom agradabilíssimo, com gestos de gentileza mútua. Fim da noite, selada uma possível amizade. Ufa! Para mim, desfecho perfeito. Mal eu desconfiava o turbilhão, e aí talvez eu apimente a definição por apreço aos exageros, que meus amigos contenham […]

Um doutor em alegria

Publicado em Deixe um comentário

Não sou do tipo que ri com facilidade. Sorrio sempre, mas rir, com vontade, de perder o fôlego e sentir a barriga doer, infelizmente, não é privilégio que me pertença naturalmente. Explico: não que seja antipática, mas para eu achar muita graça de alguma coisa é preciso ser realmente algo especial, o que não significa necessariamente, cômico. Meus amigos sabem […]

Sociedade dos Postadores Anônimos

Publicado em Deixe um comentário

Decidi fundar a Sociedade dos Postadores Anônimos. Ela não existe no papel, menos ainda fisicamente. As reuniões só acontecem dentro da minha cabeça. Sou a responsável pelo grupo composto de apenas um membro: eu mesma. O lema é: “Só por hoje não vou postar nas redes sociais”.  A ideia é que eu compartilhe menos a minha vida no instagram ou […]

Nossa morte de cada dia

Publicado em Deixe um comentário

“A morte é um dia que vale a pena viver”. Esse é o brilhante título do livro da médica Ana Cláudia Quintana. Ela lida com pacientes diagnosticados com doenças terminais. Gente que tem, pela medicina, dias contados para viver. Mas quem não teria? Só não sabemos quantos… Essa é a reflexão proposta pela profissional que encara a sentença de morte […]

A maturidade da infância

Publicado em Deixe um comentário

Quando comentei com um amigo que comecei a fazer aula de patinação e, finalmente, estava realizando um sonho de criança, ele, sem qualquer entusiasmo, respondeu: “Alguns sonhos a gente deixa na infância!” Não me aborreci com a insossa recomendação, pois, assim como ele, muitos realmente acreditam que crescer é se despedir, definitivamente, do menino ou da menina que fomos um dia. […]

Quando o corpo berra

Publicado em Deixe um comentário

  Sempre fui muito pudica em relação às necessidades fisiológicas do meu corpo. Sempre me envergonhei do funcionamento hidráulico e dos meus escapamentos internos. Mais vergonha ainda sempre me provocou aquilo que ele arremessa para o exterior. Talvez porque, desde criança, somos ensinados que todas as reações mais humanas, comum a todos nós, são também as mais instintivas, aquelas que […]

Um tributo aos chatos

Publicado em Deixe um comentário

Chato é predicado democrático, conjugado em todas as pessoas e em todos os gêneros. Eu sou chata, tu és chato, eles são chatos. Aliás, nós somos igualmente muito chatos. O que varia é a intensidade e a frequência da inconveniência. Eu mesma reconheço vários dos meus atos desagradáveis, mas, para algumas pessoas, chatice é substantivo superlativo. Ando cada vez mais […]

O homem que eu queria ser

Publicado em Deixe um comentário

O homem que eu gostaria de ser me encanta pela estética, pelos trejeitos e pelos gestos. Não conheço os dramas nem os segredos dele, caso contrário, deixariam de ser confidências. Desconheço também quais os pesos leva dentro de si, só estou certa de que, se eles existem, não roubam sua leveza. Sei de sua personalidade o que ele decide deixar […]