Copa do Mundo feminina de futebol na França: Marta é a maior artilheira da história dos mundiais
Copa das Copas A jogadora brasileira Marta em comemoração de gol

Por que a Copa da França será a maior edição feminina da história?

Publicado em Futebol

A França recebe a oitava edição da Copa do Mundo feminina de futebol da Fifa a partir desta sexta-feira (7 de junho) e promete fazer uma grande festa por todo o mês — a final será em 7 de julho. Pelo histórico de o país ter conquistado o primeiro título mundial em casa, na Copa masculina de 1998; a França aposta que a taça inédita da seleção feminina também possa sair na primeira vez que o país recebe o evento.

Além da empolgação do anfitrião, o Brasil também mostra que o maior torneio do futebol feminino também deixará o país em clima de Copa do Mundo. Afinal, é daqui a melhor jogadora do mundo e maior vencedora desse título na história. Aos 33 anos, Marta é a capitã da Seleção Brasileira em busca do título inédito. Veja por quê esta edição tem tudo para ser a Copa das Copa do futebol feminino.

Visibilidade da TV aberta

Os jogos do Brasil serão transmitidos em TV aberta. Será a primeira vez que a Copa do Mundo feminina será mostrada na Globo, a Banda também passará as partidas; toda a competição será exibida no SporTV.


Sucesso de público

Mais da metade dos ingressos de toda a competição foi vendida restando quase dois meses para a Copa. A Fifa divulgou que 720 mil ingressos haviam sido comprados. Bilhetes para jogos de estreia, semifinais e final se esgotaram em poucos dias.

FIFA/Divulgação


Temos a melhor do mundo!

A atacante Marta é a atual melhor do mundo. Camisa 10 e capitã do Brasil, a alagoana foi eleita pela Fifa a melhor jogadora pela sexta vez aos 33 anos, em setembro de 2018, e se recupera de uma lesão na coxa esquerda para buscar o título inédito da Seleção Brasileira feminina e, de quebra, defender o posto de artilheira da Copa do Mundo, com 15 gols.

Lucas Figueiredo/CBF


Dia de jogo do Brasil: folga no trabalho!

O grupo Boticário anunciou em 8 de março que adaptará os horários para os funcionários poderem assistir aos jogos do Brasil na Copa feminina. Ao total, 8 mil trabalhadores da empresa em São Paulo, Curitiba, Bahia e Espírito Santo vão ter a oportunidade de ver as partidas. O grupo ainda promoveu campanha para incentivar que outras empresas fizessem o mesmo. A Heineken foi uma das que aderiu. Em Brasília, servidores do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) entregaram um documento à Secretaria Geral pedindo a flexibilização do expediente no horário dos jogos do Brasil.

Fifa/Divulgação


Uniforme exclusivos

As duas principais patrocinadoras das seleções na Copa feminina (Nike e Adidas) lançaram uniformes exclusivos para as equipes femininas. É a primeira vez que a Seleção Brasileira tem um uniforme feito especialmente para elas.

 

Fifa/Divulgação

 

Estão de olho nelas

Marcas embalaram comerciais sobre a Copa do Mundo feminina e emocionaram ao contar a história de parte das guerreiras disputarão a maior competição do futebol no mundo. O Guaraná Antártica foi além e convidou outras empresas a também patrocinar à Seleção Brasileira feminina de futebol.

FIFA/Divulgação


Começo da igualdade financeira

A Adidas anunciou que dará a premiação bônus à seleção campeã na França com valor igual à oferecida ao campeão da Copa masculina, caso uma das equipes patrocinadas pela marca ganhe o mundial de 2019.

 

Fifa/Divulgação

Vale reiterar: “Não à violência”

A temática de assédio contra as mulheres foi bastante comentada durante a Copa do Mundo masculina 2018, na Rússia. O movimento “Deixa ela trabalhar”, contra o assédio a mulheres que trabalham com a imprensa esportiva, que teve início no mesmo período do mundial de 2018 e teve grande repercussão nas redes sociais.

Fifa/Divulgação


Programe-se

COPA DO MUNDO DA FRANÇA

Abertura: França x Coreia do Sul 
Sexta-feira (7/7), 16h (horário de Brasília)
Estádio Parc des Princes, em Paris
Transmissão no SporTV


JOGOS DO BRASIL

Brasil x Jamaica
Domingo (9/6), às 10h30 (horário de Brasília)
Estádio des Alpes, em Grenoble

Austrália x Brasil
Quinta-feira (13/6), às 13h
Estádio de la Mosson, em Montpellier

Itália x Brasil
Terça-feira(18/6), às 16h
Estádio du Hainaut

>Todos os jogos do Brasil serão transmitido por Globo, Band e SporTV. 

2 thoughts on “Por que a Copa da França será a maior edição feminina da história?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*