Contundido, Gustavo Scarpa não vem jogado pelo Palmeiras.  Foto: Cesar Greco/Palmeiras
Scarpa Contundido, Gustavo Scarpa não vem jogado pelo Palmeiras. Foto: Cesar Greco/Palmeiras A novela Gustavo Scarpa pode ter um capítulo final nesta semana. Foto: César Grecco/Palmeiras

Caso Scarpa: defesa do jogador derruba liminar do Fluminense que bloqueava R$ 200 milhões

Publicado em Esporte

Em um contra-ataque elaborado desde a última terça-feira por três escritórios de três cidades diferentes — Rio, São Paulo e Brasília —, a defesa de Gustavo Scarpa derrubou a determinação de bloquear R$ 200 milhões (valor da multa rescisória) do meia e do Palmeiras. Na última sexta-feira, a juiz Dalva Macedo, da 70ª Vara do Trabalho do Rio, havia deferido a medida preventiva solicitada que apreendeu bens do jogador e do clube para cobrança futura da polêmica saída de Scarpa do Fluminense. No Twitter, o blog havia informado na última terça-feira que os advogados preparavam um contra-ataque pesado.

Tweet

O primeiro recurso da defesa do jogador havia sido negado pelo Tribunal Regional do Trabalho na última quarta-feira. Nesta quinta, a desembargadora Mery Bucker Caminha, vice-corregedora do Tribunal Regional do Trabalho, derrubou o a liminar de Dalva Macedo.

Em junho, o Tribunal Superior do Trabalho (TST) concedeu um Habeas Corpus a Scarpa para que ele fosse liberado do Fluminense. Para o advogado, Mauricio Corrêa da Veiga, do escritório Corrêa da Veiga Advogados, a decisão do desembargador assegurou a autoridade da decisão proferida pelo TST. Mauricio ainda afirma que a magistrada foi além de suas funções quando determinou a aplicação da multa.

“Corrigiu-se uma tremenda injustiça, na medida em que a magistrada de primeiro grau (Dalva Macedo) estava com sua jurisdição suspensa e jamais poderia ter apreciado a tutela de urgência de arresto”, comentou Mauricio Corrêa da Veiga , um dos advogados do caso Scarpa.

O blog teve acesso documento que derrubou o bloqueio dos R$ 200 milhões.