Concordância: assim como, bem como

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Com as expressões assim como  e bem como, o verbo pode ir para o singular ou plural. Observe a vírgula: Paulo, assim como Maria, estuda medicina. Paulo assim como Maria estudam medicina. Paulo, bem como Maria, estuda medicina. Paulo bem como Maria estudam medicina. Viu? Com vírgula, o termo vira adjunto adverbial. Sem a vírgula, compõe o sujeito. A oração passa a ter sujeito composto. […]

Oportunidade de o Brasil mostrar? Oportunidade do Brasil mostrar?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Olhos se arregalaram. Ouvidos se afinaram. Bocas se calaram. Ninguém acreditava. Mas é fato. A prova está lá, nos anais da Assembleia Geral da ONU. A razão do espanto: construção pra lá de sofisticada exibida pelo presidente. “Esta é a oportunidade de o Brasil se apresentar ao mundo”, disse Bolsonaro diante do plenário lotado. Por que de o Brasil?, perguntavam presentes e ausentes. Há explicação […]

É hora de ele cantar? É hora dele cantar?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Apesar do presidente da República não marcar presença nas manifestações a favor do próprio governo e de propostas como a Reforma da Previdência, o chefe do Executivo se manifestou em apoio aos atos”, escreveu o site do CB. Ops! Esqueceu-se de pormenor pra lá de importante. Antes do sujeito, não se usa a combinação da preposição com o artigo. Preposição e artigo ficam soltos. Assim: […]

Vírgula 1: pré-regras

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Guarde isto. O emprego da vírgula independe de respiração ou de preferências. Trata-se de pausa ditada pela sintaxe. Três regras orientam o emprego do sinalzinho. Ele separa: Termos coordenados Termos explicativos Termos deslocados Pré-regras No emprego da vírgula, há dois pecados mortais: Separar o sujeito do verbo. Cair na esparrela é como isolar a cabeça do corpo – mata a frase. Erro grosseiro, revela falta […]

Eu e mim: emprego

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Eu ou mim? Hum…a dificuldade não é só sua. Advogados, jornalistas, professores, todos têm dúvida. Até os charmosos galãs de novelas trocam os pronomes. E daí? O jeito é lembrar-se das velhas aulas de gramática. O professor, sério e altivo, explicava cheio de saber:  — O pronome mim detesta ficar só. Anda sempre de mãos dadas com a preposição. O professor (graças a Deus!) obrigava […]

Vírgula antes do e? Há condições

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Ibama multa Vale, e Justiça bloqueia R$ 6 bilhões”, escreveu O Globo. A vírgula antes do E chamou a atenção. Está correta? Está. Usa-se o sinalzinho antes da conjunção e se forem preenchidas três condições: 1. O e deve ligar duas orações com sujeitos diferentes. É o caso. O período tem duas orações: Uma: Ibama multa Vale (sujeito: Ibama) A outra: Justiça bloqueia R$ 6 […]

Verbo ser: 7 dicas de adeus às dúvidas

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Quase sempre o verbo ser joga em dois times. Pode concordar com o sujeito ou o predicativo (complemento do verbo). Mas há preferências. Observe a precedência seguinte: da pessoa sobre a coisa: Os filhos são sua alegria. do substantivo próprio sobre o comum: Helena era as delícias da casa. do concreto sobre o abstrato: A sua paixão são os livros. Os livros são sua paixão. […]

Bastar: singular ou plural?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Cuidado com a concordância quando o sujeito vem depois do verbo: Bastam algumas horas (algumas horas bastam), Bastam-me duas horas para concluir o trabalho (duas horas me bastam para concluir o trabalho). Seguido da preposição de, bastar é impessoal. Mantém-se na 3ª pessoa do singular: Basta de brigas. Basta de lamúrias. Basta de promessas.    

De…o, de…ele, de…este: o porquê do divórcio

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O sujeito é pra lá de elitista. Não se mistura nunca com a preposição. Por isso, antes dele, a combinação da preposição com o artigo ou pronomes não tem vez. Fica um lá e outro pra cá: Os trabalhadores  descartam a hipótese de o governo (sujeito) suspender o reajuste de salários. Apesar de o ministro (sujeito) negar, é certa a edição de nova medida provisória. […]