Regência: implicar

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“A redução do crescimento chinês implica em forte desaceleração geral”, escreveu o colunista. Ele se esqueceu de pormenor pra lá de importante. Implicar implica e complica. Tem três regências: 1.No sentido de produzir como consequência, é transitivo direto. Não pede preposição: Guerra implica aumento da corrida armamentista. A mudança do ministro implicou alteração da equipe. A redução do crescimento chinês implica forte desaceleração geral. 2.Na […]

Paulo Guedes pisa a regência e a Constituição

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Empregada doméstica indo pra Disneylândia? Peraí”, disse Paulo Guedes. O ministro da Economia falava no dólar. A moeda americana estava tão desvalorizada que todo mundo ia … à Disney ou pra Disney? Depende. Ir a indica deslocamento breve. Quem vai a algum lugar está passeando ou trabalhando. Volta em pouco tempo: Vou ao clube. Paulo vai ao cinema. Nós vamos à praia. Vou ao shopping […]

Chegar em? Nãoooooooooo

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Chegam hoje em Anápolis os aviões com brasileiros repatriados da China”, escreveu o site do jornal. Ops! Tropeçou na língua. Bateu sem piedade na regência do verbo. Aviões chegam a algum lugar: Chegam hoje a Anápolis os aviões com brasileiros repatriados da China. O navio chegou a Santos. O presidente chegou a Brasília. A repórter chega ao gabinete do ministro.

Vocabulário amoroso: paquerar, abraçar, beijar

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

A novela começou com Jair Bolsonaro. Ele adora metáforas do vocabulário amoroso. Agora, encontrou a parceira ideal. Regina Duarte, convidada para assumir a Secretaria da Cultura, quer viver um grande amor. Dará certo? O primeiro passo é ter claro que o amor é cego, mas não é surdo. Impõe-se, por isso, todo o cuidado com as palavras. No início da relação, os verbos têm uma […]

Regência: pedir

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O verbo pedir se constrói com objeto direto de coisa e indireto de pessoa: Maria pediu uma bicicleta (obj. direito) a Papai Noel (obj. indireto). A mãe pede ao filho (obj. indireto) que não abuse do bom velhinho (obj. direto). Cuidado, pidão. Só use pedir para se estiver expressa ou subentendida a palavra licença: Pediu licença para sair. Pediu à mãe (licença) para escrever a […]

Extorquir: regência

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O rádio deu esta notícia: “Fiscais extorquiram comerciante”. Estranho, não? Extorquir não é lá coisa boa. Significa obter por violência, ameaças ou ardis. O verbo tem uma manha. Seu objeto direto tem de ser coisa, nunca pessoa. Extorque-se alguma coisa. Não alguém: Fiscais extorquiram dinheiro de comerciante. A polícia tentou extorquir o segredo. Extorquiram a fórmula ao cientista.

Bolsonaro foi à Ásia? Foi para a Ásia?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O presidente vai passar 15 dias na Ásia. Depois, voltará para esta alegre Pindorama. Daí a importância da regência. Em tempos bicudos, o erro na preposição pode ter consequências indesejáveis. Por isso, olho vivo: ir a = ir por pouco tempo. A volta é rapidinha: Foi ao cinema. Vamos ao clube. Iremos ao shopping amanhã. Vai a São Paulo consultar o médico. Vamos a Nova […]

Bolsonaro chegou ao Japão? No Japão?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Bolsonaro bateu asas e voou. Foi à Ásia. A viagem é notícia. Jornais, rádios e tevês anunciam o fato. Aí, não dá outra. Muitos tropeçam na regência do verbo chegar. Esquecem que a gente chega a algum lugar: Bolsonaro chegou ao Japão. O petróleo chegou à Bahia. O ministro chega hoje a Brasília. O avião chegará ao aeroporto de Campinas com atraso. Atenção Chegada joga […]