Porque, por que, porquê, por quê: quando usar?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

  O quarteto já frequentou o blog. Mas, volta e meia, leitores se enrascam no emprego deste ou daquele jeito. Com razão. O porquê dá nó nos miolos. Ora aparece junto. Ora separado. Ora com acento. Ora sem o chapeuzinho. Não há quem não hesite na hora de escrever uma forma ou outra. Muitos chutam. Mas, como a língua não é loteria, o que pode […]

Dois escorregões do Planalto: porque, porquê

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Seguuuuuuuuuuuuuuuuura! O Planalto postou este tuíte: “Nova Previdência. Entenda porque é tão importante”. Seguidores reclamaram. “O porquê”, disseram eles, “está errado”. O Planalto corrigiu. Assim: “Nova Previdência. Entenda porquê é tão importante”. Valha-nos, Deus! Errou duas vezes. Por quê? Porque o emprego dos porquês tem regras. Usa-se: Por que nas perguntas diretas: Por que a nova previdência é tão importante? quando o porquê for substituível por a […]

Por que, por quê, porque, porquê: quando usar

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Acredita? Ontem o porquê provocou polêmica no Twitter. O pomo da discórdia foi esta frase: “Nota-se porque o Brasil está no nível de educação em que está”. Um seguidor questionou a grafia. Muitos palpitaram. Uns disseram que era junto. Outros, separado. Alguns, com acento. Uns poucos, sem o chapeuzinho. E daí? Melhor saber o porquê dos porquês. Use: Por que nas perguntas diretas: Por que […]

Por que, por quê, porque, porquê: emprego

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Por que: nas perguntas diretas: Por que você se atrasou? Quando puder ser substituído por a razão pela qual: Explique por que (a razão pela qual) ele se atrasou.      Por quê: só no fim da frase: Você chegou atrasado por quê? Ele chegou atrasado. Gostaria de saber por quê.      Porque: nas respostas a perguntas ou na indicação de causa: Cheguei atrasado porque acordei tarde. “Eu canto porque […]

Os porquês

Publicado em Deixe um comentárioGrafia

Leitores pediram. Querem dicas para o emprego dos porquês. Ora o porquê aparece junto. Ora, separado. Ora com acento. Ora sem o chapeuzinho. Não há quem não hesite na hora de escrever uma forma ou outra. Muitos chutam. Mas, como a língua não é loteria, a Lei de Murphy entra em vigor. O que pode dar errado dá. Melhor não correr riscos. O caminho é […]