Os Bolsonaros? Os Bolsonaro?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

A família Bolsonaro é campeã das urnas. Além do Jair Messias, eleito presidente, a filharada fez a festa. Flávio foi o senador mais voltado do Rio. Carlos, o vereador mais guloso da Cidade Maravilhosa (2016). Eduardo, deputado federal ungido pelos paulistas, obteve o melhor desempenho de um candidato na história. O fato, claro, mereceu manchetes. Parte delas falava em os Bolsonaros. Outra parte, os Bolsonaro. […]

Hífen: sem-

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Motoristas irresponsáveis? Existem pra dar, vender e emprestar. Além de desrespeitar o limite de velocidade, estacionam como lhes dá na cabeça. Diante das escolas, veem-se carros em filas duplas e triplas. A meninada chama os condutores de “sem noção”. Ao escrever a duplinha, pintou a dúvida. Com hífen? Sem hífen? Sem-noção joga no time de sem-terra, sem-teto, sem-emprego. Eles são sem-sem: sem plural e sem […]

Pronúncia: Nobel & cia.

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Todos os anos a história se repete. Escolhe-se quem fez mais bonito nas diferentes áreas do saber. É o Prêmio Nobel. Valioso, ele é pra lá de cobiçado. Merece, por isso, ser pronunciado com todo o respeito. Oxítona, Nobel rima com papel e Mabel. A sílaba tônica é a última (bel). Atenção, muita atenção Acompanhado de prêmio, Nobel mantém-se invariável. Sozinho, tem plural: Ganhou dois […]

Substantivo próprio: plural

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O comentarista falava de Marina Silva. No entusiasmo, disse:  “Os Silva são diferentes”. Referia-se a dois personagens que têm histórias aparentemente semelhantes. Um: Luiz Inácio Lula da Silva. O outro: Marina Silva. Ele acertou no enfoque. Mas bobeou na língua. Substantivo próprio tem plural como o comum. Sempre que se fala no assunto, Os Maias, de Eça de Queiroz, vem à tona. Assim como a […]

Vira-casaca: plural e origem

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Vamos combinar? Todos os anos deveriam ser eleitorais. A razão é simples. Nos dias de campanha, somos pra lá de bem tratados. Viramos amigos, companheiros, colegas, parceiros, patriotas, etc. e tal. Não só. Cada candidato quer ser o melhor. Apresenta-se embalado para presente. Um dos atributos: não ser vira-casaca. A duplinha suscitou duas curiosidades. Uma delas: o plural. A resposta: vira-casacas. A outra olha pra […]

Gângster & cia. estrangeira: o porquê do acento

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

  A inglesinha gangster se naturalizou portuguesa. Daí por que ganhou acento como as palavras do time ao qual passou a pertencer. Paroxítona terminada em r, faz companhia a líder e fêmur. No plural, vira proparoxítona (gângsteres). Outras estrangeirinhas foram atrás — integraram-se à língua e à equipe. É o caso de hambúrguer (hambúrgueres), poliéster (poliésteres) e pôster (pôsteres).

Fênix: plural e curiosidade

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O plural de fênix? É fenix. Que bicho é esse? Fênix era um pássaro fabuloso. Enorme, parecia uma águia pra lá de especial — com penas vermelhas, azuis e douradas. Só havia uma fênix na face da Terra. Sem companheiro, cadê filhotes? Ela inventou, então, um jeito de se manter viva. Ao ficar velhinha, enganava a morte. Ia pra floresta e selecionava plantas cheirosas e […]