AntiSupremo? Nãooooooooo

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O jornal escreveu antiSupremo. Leitores estranharam. Com razão. Em português, não se usa letra maiúscula no meio da palavra. Como fazer se houver necessidade de antepor um prefixo a nome próprio? Apela-se para o hífen: anti-Supremo, anti-Bolsonaro, anti-Lula, super-Maria, super-Trump, super-TCU. Três regras de ouro Fora nomes próprios, há três regras de ouro para emprego do hífen. Elas se referem aos prefixos. O H é […]

Contraindicado ou contra-indicado?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Vivemos uma história inédita. Um vírus faz a festa sem que haja vacina ou remédio eficaz contra ele. Receitas não faltam. As pessoas ouvem dizer que tal ou qual medicamento evita a contaminação. Alguns correm atrás da novidade sem questionar. Outros perguntam se há contraindicação. Assim mesmo. O prefixo contra- só pede hífen quando seguido de a ou h. No mais, o tracinho não tem […]

Pé de moleque sem hífen. Cana-de-açúcar com hífen. Por quê?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O que é presença obrigatória na festa junina? Muitas coisas. A mais importante: pé de moleque. Olho vivo! A reforma ortográfica cassou o hífen do docinho gostoso. Ele nem ligou. Livre e solto, continua reinando Brasil afora.   Companhia A reforma ortográfica eliminou o tracinho dos compostos em geral por três palavras que, soltas, nada têm a ver uma com as outras. Mas, juntas, formam […]

Hífen: não

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O governo de São Paulo autorizou a volta dos treinos dos times de futebol. Entenda-se: a volta dos treinos sem torcida. A moçada caiu de pau. Falou em não presença. Certo? Certo. O não rejeita o hífen: não fumante, não governamental, não ingerência, não intromissão.  

Afro-brasileiro com hífen. Afrodescendente sem. Por quê?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O assassinato de George Floyd em Minneapolis, nos Estados Unidos, levantou onda de protestos no mundo. Movimentos antirracistas tomam as ruas de Europa, França e Bahia. Com eles, a palavra afrodescendente. Alguns a escrevem com hífen. Outros, sem o tracinho. E daí? Afro- é forma reduzida de africano. Pede hífen em duas ocasiões: 1. na formação dos adjetivos pátrios: afro-americano, afro-brasileiro, afro-germânico, afro-asiático, afro-baiano. 2. […]

Hífen: re-

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Três bancadas poderosas falam alto no Congresso. Elas receberam apelidos que começam com b: Bancada da Bala (segurança pública), Bancada do Boi (agronegócio), Bancada da Bíblia (religiosos). Com a saída de Sérgio Moro do ministério, a Bancada da Bala partiu pra luta. Solicitou a recriação do Ministério da Segurança Pública. O pedido sugere uma dica de grafia. O prefixo re-, que indica repetição, tem alergia […]

Hífen: vídeo

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Vídeo tem vida dupla. Numa é substantivo: sala de vídeo, gravado em vídeo, vídeo do programa, vídeo da reunião. Na outra, é elemento de composição. Pede hífen quando seguido de h e o. No mais, é colado como chiclete em cabelo crespo: video-homenagem, video-oferenda, videoconferência, videoexposição.