Crase: objeto direto, adjunto adverbial e superdica

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“A crase não foi feita pra humilhar ninguém.” A frase de Ferreira Gullar fez escola. José Cândido de Carvalho adaptou-a para o sinalzinho de pontuação responsável por um mar de vítimas. “A vírgula”, escreveu ele, “não foi feita pra humilhar ninguém”. É verdade. Uma e outra têm papel definido. Contribuem para a clareza da mensagem. Dois casos servem de exemplo. Um Circula na internet uma […]

Cargos e funções: feminino

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Cargos e funções se flexionam em gênero? Sim. Se exercidos por mulher, escrevem-se no feminino. Presidente (ou presidenta), agente administrativa, secretária-executiva servem de exemplo. Atenção ao exagero. Siga a índole da língua. Na concorrência de feminino e masculino, fique com o masculino plural. Filhos engloba filhos e filhas. Brasileiros, brasileiros e brasileiras. Amigos, amigos e amigas. Não caia no modismo irritante de discriminar — sem […]

Professor: abreviatura

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Ervas daninhas aparecem de vez em quando. A mais recente atingiu a nobre figura do professor. Os manuais dizem que a abreviatura do mestre é prof. Mas, por alguma razão alheia à vontade de Deus e dos homens, começaram a brindá-lo com um ozinho (profº). O intruso aparece até em cartazes de faculdade. É a recita do cruz-credo. A língua detesta redundância. O masculino não […]

Crase: em meio a lama, em meio à lama

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Em meio a lama, trabalho de resgate é extenuante e lento”, escreveu o Correio Braziliense. Pintou a dúvida. Com crase? Sem crase? Sem tempo a perder, alguém lembrou velho macete aprendido na escola primária — substituir a palavra feminina por uma masculina (não precisa ser sinônima, mas precisa ter o mesmo número). Se no troca-troca aparecer AO, sinal de que ocorre o casamento da preposição […]

Hífen: sem-

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Motoristas irresponsáveis? Existem pra dar, vender e emprestar. Além de desrespeitar o limite de velocidade, estacionam como lhes dá na cabeça. Diante das escolas, veem-se carros em filas duplas e triplas. A meninada chama os condutores de “sem noção”. Ao escrever a duplinha, pintou a dúvida. Com hífen? Sem hífen? Sem-noção joga no time de sem-terra, sem-teto, sem-emprego. Eles são sem-sem: sem plural e sem […]

Erramos: milhar

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Tenho total consciência de que os órgãos ambientais, o MP e o próprio Judiciário vão entender que ali moram algumas milhares de pessoas”, escrevemos na pág. 17. Ops! Tropeçamos no gênero. Milhar é substantivo masculino. O pronome concorda com ele. Assim: Tenho total consciência de que os órgãos ambientais, o MP e o próprio Judiciário vão entender que ali moram alguns milhares de pessoas.