Vírgula 3: orações coordenadas

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

As orações coordenadas podem ser separadas por vírgula ou por conjunção coordenativa. No primeiro caso, chamam-se assindéticas: Cheguei, / vi, / venci. Acordei, / liguei a máquina, /comecei a escrever.   No segundo, sindéticas: Trabalhamos / e estudamos. Não trabalhamos / nem estudamos. Paulo fez campanha durante quatro anos, / mas perdeu a eleição. Não fale alto, / pois estamos em uma biblioteca. Fez competente […]

Vírgula 2: termos coordenados

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Coordenado significa colocado com, um ao lado do outro. É como os livros na estante. A gente os organiza um ao lado do outro – e eles mantêm a independência. Um não invade as páginas do outro. O mesmo ocorre com a língua. Termos (sem verbo) e orações (com verbo) podem coordenar-se. Basta ter mais de um: sujeito: Paulo, Luís e Maria foram ao cinema. […]

&: nome e origem

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O símbolo & tem nome. É e comercial. O criador: Marcus Tulius Tiro, encarregado de transcrever os discursos feitos no Senado de Roma. A criatura, que veio ao mundo 63 anos antes de Cristo, tinha uma função – tornar a escrita mais rápida. O & substituía o et (e em português). Com o tempo, o sinalzinho se especializou. Deixou os políticos pra lá e entrou, […]

Acho que: xô, achismo

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Reparou? Com o tal achar, o enunciado fica fraco, inconvincente. Em vez de “Acho que o Brasil entrará num período de crescimento sustentado”, basta “O Brasil entrará num período de crescimento sustentado”. Mais: o particularmente, que costuma acompanhar o verbo molengão, também sobra: (Eu, particularmente, acho que) O Brasil entrará num período de crescimento sustentado. (Acho que) A reforma da Previdência será aprovada no primeiro […]

Vírgula antes do e? Há condições

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Ibama multa Vale, e Justiça bloqueia R$ 6 bilhões”, escreveu O Globo. A vírgula antes do E chamou a atenção. Está correta? Está. Usa-se o sinalzinho antes da conjunção e se forem preenchidas três condições: 1. O e deve ligar duas orações com sujeitos diferentes. É o caso. O período tem duas orações: Uma: Ibama multa Vale (sujeito: Ibama) A outra: Justiça bloqueia R$ 6 […]

Ambiguidade: corto cabelo e pinto

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

A língua trai. Num piscar de olhos, trocamos letras, confundimos significados, ignoramos flexões, pisamos concordâncias, esnobamos regências. Pior: organizamos as palavras de tal forma que nossas frases transmitem recados diferentes dos que pretendemos. Dá-se, então, o que Mário Quintana explicou: “A gente pensa uma coisa, escreve outra, o leitor entende outra, e a coisa propriamente dita desconfia que não foi dita”. É o caso da […]

Vírgula e ambiguidade

Publicado em 1 Comentáriovírgula

O e pode ser precedido por vírgula? Em geral, a conjunção e dispensa a vírgula. Ela só é obrigatória quando permite, numa leitura rápida, dupla interpretação: Os Estados Unidos invadiram o Iraque, e a Rússia reagiu. Deu pra perceber? Sem a vírgula, temos a impressão de que os Estados Unidos invadiram o Iraque e a Rússia. O sinalzinho evita a ambiguidade.