Valer: conjugação

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Ele não vale nada. E eu? Eu.. ops!”  Valer a presenta irregularidade na 1ª pessoa do singular do presente do indicativo. O presente do subjuntivo, dela derivado, vai atrás. Nas demais formas, o verbo é regular: valho, vales, vale, valemos, valeis, valem; vali, valeste, valeu, valemos, valestes, valeram; valia, valias, valia, valíamos, valíeis, valiam; valerei, valerás, valerá, valeremos, valereis, valerão; valeria, valerias, valeria, valeríamos, valeríeis, […]

Se eu vir Maria? Se eu ver Maria?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

É comum confundir a conjugação de ver e vir: 1. O presente do indicativo de ver apresenta dificuldade na 3ª pessoa do plural — eles veem. (A reforma ortográfica cassou o acento do hiato eem.) 2. O futuro do subjuntivo também gera confusão. Se eu vir Maria? Se ver Maria? Acredite. A resposta está no pretérito-perfeito. Dele deriva o futuro do subjuntivo: eu vi, se […]

Incendiar e a gangue do MARIO

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

No fogaréu que tomou conta de prédio do centro de São Paulo, o verbo incendiar apanhou de gregos, romanos, baianos e sergipanos. Muitos esqueceram que  incendiar pertence à gangue do MARIO. Conhece? O nome da turma barra pesada se formou com a letra inicial de cada membro — mediar, ansiar, remediar, incendiar e odiar. Todos se conjugam como odiar: odeio (medeio, anseio, remedeio, incendeio), odeia […]

Convir: regência e conjugação

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Há verbos fáceis, que todos conjugam a torto e a direito sem dificuldade. É o caso de cantar, vender e partir. Há outros complicados. Convir é um deles. Embora seja pra lá de usado, muitos estremecem na hora de empregá-lo. Que tal desvendar-lhe os mistérios? Convir é transitivo indireto: A emenda convém aos partidos pequenos. Os senadores convieram na reforma do regimento. Conviemos com nossos […]

Intervir: conjugação

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O governo federal decretou intervenção em Roraima. O assunto, claro, mereceu destaque no noticiário. Aí, não deu outra. Gregos, romanos, baianos e sergipanos tropeçaram no verbo intervir. Muitos anunciaram que o Planalto “Interviu” no estado. Valha-nos, Deus. É a receita do cruz-credo.  Intervir é filhote de vir. Ambos se conjugam do mesmo jeitinho: venho (intervenho), vem (intervém), vimos (intervimos), vêm (intervêm); vim (intervim), veio (interveio), viemos […]

Ruir: conjugação

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

As chuvas de verão são certas como o suceder dos dias e das noites ou da mudança das fases da Lua. Regulares, transmitem a impressão de que figuram no calendário como o Natal, a Páscoa e o carnaval. Mas, apesar de previsíveis, pegam os governantes de calças curtas. Ruas viram lagos, rios transbordam, morros deslizam, carros se afogam, casas desmoronam, famílias se desalojam, pessoas perdem […]

Caber: conjugação

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Cuidado com a conjugação do verbo caber: caibo, cabe, cabemos, cabem; coube, coube, coubemos, couberam; cabia, cabia, cabíamos, cabiam; caiba, caiba, caibamos, caibais; coubesse, coubesse, coubéssemos, coubessem; couber, couber, coubermos, couberem; cabendo; cabido. Não caibo em mim de contente. E você? Espero que caiba.    

Caber: conjugação

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Caber é verbinho irregular. No presente do indicativo, o insubordinado é o eu (eu caibo). As outras pessoas frequentam a vala comum (cabes, cabe, cabemos, cabeis, cabem). O presente do subjuntivo é derivado da primeira pessoa do presente do indicativo. Rebelde, é todo irregular (que eu caiba, tu caibas, ele caiba, nós caibamos, eles caibam). O pretérito perfeito mantém-se indisciplinado do começo ao fim (eu coube, ele […]