Verbos pecadores 13: pôr & filharada

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Eta família maltratada! Ela sofre mais que escravo no tronco. Apanha na grafia e na conjugação. Mas, como nesta vida tudo passa, o martírio do clã pode chegar ao fim. Basta aprender duas regras: Só o s tem vez. As formas em que soa o fonema z escrevem-se com s (pus, pôs, pusemos, puser, pusesse, compuser, depuséssemos). Por quê? Sem aparecer no infinitivo (pôr), a […]

Collor e o verbo pecador 10: perdoar

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

A história caiu no esquecimento. Mas, sem mais nem menos, o autor a revive. Em 1990, o presidente recém-eleito Fernando Collor decretou o confisco da poupança. Quem tinha algum dinheirinho no banco ficou com R$ 50. A medida não poupou ninguém. Muitos se suicidaram. Veio o arrependimento. O agora senador tuitou: “Eliminar a hiperinflação era o objetivo do meu governo. Acreditei que aquelas medidas radicais […]

Adequar: conjugação

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

  O jornal publicou: “O problema é que o sistema se adéqua”. Doeu. O verbo adequar provoca estragos. E põe estragos nisso. Advogados, ministros, jornalistas & cia. ilimitada tropeçam nele à direita, à esquerda, em cima e embaixo. Esquecem-se de pormenor pra lá de importante. Adequar só se conjuga nas formas em que a sílaba tônica cai fora do radical (adeq). O presente do indicativo […]

Ministro da Educação tropeça no verbo ver

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Entre na internet e veja como foi o último concurso público da Abin (Agência Brasileira de Inteligência). Se você ver, é um concurso que [não] tem praticamente nada de matemática e está lá falando governo estado-unidense. Então você, na seleção, já seleciona pessoas com viés de esquerda nos concursos, como é o Enem”, diz Weintraub. Ops! O ministro da Educação bobeou. Atirou na Abin e […]

Caber ou couber?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Põe a camiseta na mala se couber. Põe a camiseta na mala se caber. Qual a forma nota 10? Caber é cheio de irregularidades. Respeitar as manhas de tão instável criatura exige atenção plena. A mais importante é o cuidado com a conjugação. Guarde as formas: presente do indicativo (caibo, cabe, cabemos, cabem), pretérito perfeito (coube, coube, coubemos, couberam), pretérito imperfeito (cabia, cabia, cabíamos, cabiam), […]

Eu doo? Eu dôo?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

  Na época do Natal, o coração fica molinho, molinho. Creches, asilos, instituições de caridade fazem a festa. Ao usá-lo, lembre-se da mudança. O hiato o/o exibia vistoso chapeuzinho. A reforma ortográfica o cassou. A duplinha ficou assim, sem lenço e sem documento: voo, perdoo, abençoo, coroo.    

Verbos natalinos cear, presentear, passear: conjugação

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Presentear e cear pertencem ao vocabulário natalino. Ambos jogam no mesmo time. Cuidado com eles! Como passear, armam ciladas no presente do indicativo e do subjuntivo. O nós e o vós, orgulhosamente, esnobam o i. As outras pessoas carregam a vogalzinha com a resignação cristã: eu passeio (presenteio, ceio), ele passeia (presenteia, ceia), nós passeamos (presenteamos, ceamos), vós passeais (presenteais, ceais), eles passeiam (presenteiam, ceiam); […]

Viger: conjugação

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“A Lei Anticrime não está vigindo”, disse o repórter. Bobeou. Vigir não existe. A forma é viger. O dissílabo tem um defeitão. É intolerante. Detesta o a e o o. Só se conjuga nas formas em que essas vogais não aprecem depois do g. A 1ª pessoa do singular do presente do indicativo (eu vigo) não tem vez. Nem o presente do subjuntivo. Que eu […]