Concordância: verbo ser

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

É ou são? Ops! Trata-se do verbo ser. Ele é complacente. Ora aceita uma forma, ora outra. Ora as duas. Especial, recebe tratamento diferenciado. Na concordância, a gramática lhe reserva capítulo à parte. Hoje é 2 de setembro? Ou são 2 de setembro? Cem reais é muito? Ou são muito? É quase duas horas? Ou são quase duas horas? Dúvidas. Muitas dúvidas.  Sem rigidez O […]

Mais do mesmo: discurso político

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Sete candidatos. Duas horas de debate. Regras claras e tempo rigorosamente cronometrado. Eleitores atentos na televisão e nas mídias sociais. A expectativa: o confronto de programas de governo. Afinal, os postulantes têm um único objetivo — o assento no Buriti. Precisam do aval das urnas. De olho no voto, apresentam-se embalados para presente. Blindam-se com palavras. Imperam promessas genéricas, que soam como música aos ouvidos […]

Condolências & time plural: concordância

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Condolências se usa sempre no plural: Assinou o livro de condolências. Vai apresentar condolências à família. Time plural As palavras são criaturas dos homens. Como os criadores, têm manias. Algumas só se usam no plural. É o caso de anais, antolhos, cãs, condolências, exéquias, férias, fezes, núpcias, óculos, olheiras, pêsames, víveres. Os naipes do baralho também entraram na onda (dama de copas, rei de espadas, […]

A gente: concordância

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

A gente significa nós, mas exige o verbo na 3ª pessoa do singular: A gente vai sair mais tarde. A gente conseguiu entrar no cinema. Falou com a gente ontem à noite. “A gente nasce com um montão de palavras na barriga. Na vida, vai falando e gastando o estoque. Quando todas acabam, a gente morre” (pensamento africano).  

Concordância: nem um nem outro

Publicado em 1 Comentárioportuguês

A expressão nem um nem outro é seguida por substantivo no singular. O verbo pode ir para o singular se o fato expresso for atribuído a um só sujeito (Nem João nem Carlos se casará com Maria) e para o plural se atribuído a todos os sujeitos: Nem um nem outro candidato chegaram ao segundo turno. Nem uma nem outra entrevista foram ao ar.