Concordância: nome próprio plural

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Como fazer a concordância de substantivo próprio no plural? Guarde isto: 1. Se o nome é usado só no plural e precedido de artigo = o verbo concorda com o artigo. Em siglas, o artigo não aparece. Mas conta como se estivesse presente: Os Estados Unidos invadiram o Iraque. EUA decidem o campeonato. Os Andes ficam na América do Sul. O Amazonas banha o Brasil […]

Vendem-se carros? Vende-se carros?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Não é Antarctica. Mas virou unanimidade nacional. Aparece de norte a sul desta alegre Pindorama. Faixas, cartazes, classificados anunciam sem cerimônia. É “vende-se apartamentos” pra cá, “conserta-se roupas” pra lá, “aluga-se carros” pracolá, “prega-se botões” pra todos os lados. De tanto ver as pérolas, o olhar se acostuma. A crítica relaxa. Todos têm a impressão de que a forma merece nota 10. Mas é pura […]

Concordância: porcentagem

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Há um ano Brasília levou um baita susto. O impensável aconteceu. Viaduto do Eixão, a via mais importante da capital do país, desmoronou. Era madrugada. Ninguém morreu. Hoje a queda completa um ano. Depois de 365 dias, só 35% da obra… ops! Está pronta? Estão prontos? Trata-se da concordância de percentagem. Como lidar com ela? Se o número vem antes do verbo, prefere-se a concordância […]

EUA ameaçam Maduro? EUA ameaça Maduro?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Ops! Trata-se de nome próprio plural. Guarde isto: 1. Se usado só no plural e precedido de artigo = o verbo concorda com o artigo: Em siglas, o artigo não aparece. Mas conta como se estivesse presente: Os Estados Unidos ameaçam Maduro. EUA ameaçam Maduro. Os Andes ficam na América do Sul. O Amazonas banha o Brasil e países vizinhos. O Palmeiras disputa a taça. […]

Concordância: tal

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

As aparências enganam. E como! Vale o exemplo de tal. As três letrinhas parecem inofensivas. Mas não são. Roubam pontos em concursos, adiam promoções, destroem amores. A razão: muitos ignoram que as danadinhas se flexionam. Concordam em número com o substantivo a que se referem: Que tal o filme? Que tais os filmes? Que tais as férias? Foi difícil escolher os novos óculos tais as […]

Madre superiora. Escola superior: o porquê da concordância

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

  Por que se diz “madre superiora”, mas “escola superior”? Madre e escola são nomes femininos. Mas o segundo adjetivo é masculino. A razão? O superiora joga claro. Refere-se a madre. O superior brinca de esconde-esconde. Oculta entre o nome e o adjetivo, está a locução “de nível”: escola (de nível) superior, instituição (de nível) superior, mercadoria (de nível) superior.  

Tropeço na concordância e na crase

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“O Brasil apoiará política e economicamente o processo de transição para que a democracia e a paz social volte a Venezuela”, diz nota do governo. Viu os tropeços? São dois: 1. Concordância: …para que a democracia e a paz social voltem (sujeito plural — democracia e paz social — pede verbo no plural). 2. Crase: …para que a democracia e a paz social voltem à […]

Concordância: azul-celeste & cia.

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Menino veste azul? A ministra Damares Alves responde sim. Caetano Veloso & cia. ilimitada respondem não. Pelo sim, pelo não, vale lembrar as manhas da concordância da polêmica cor: 1. Quando estiver desacompanhado, azul se flexiona como os irmãozinhos dele: camisas azuis, vestidos azuis. 2. Nos adjetivos compostos azul-celeste, azul-ferrete, azul-marinho, mantém-se invariável. Singular e plural é tudo igual: blusa azul-celeste, blusas azul-celeste, calção azul-celeste, […]