Harmonia: dicas

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Palavras e frases devem conversar sem tropeços, ecos ou repetições. O resultado é a harmonia. Como alcançá-la? Há caminhos. Um deles: o metro.  A colocação dos termos é a chave — o mais curto (com menor número de sílabas) deve vir na frente do mais longo. Leia em voz alta as duas frases: O presidente pediu aos deputados que votassem a PEC em regime de […]

Clareza: colocação dos termos

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Bolsonaro repete que nazismo é de esquerda no Museu do Holocausto”, escreveu O Globo em chamada de capa. Leitores ficaram com a pulga atrás da orelha. O nazismo só seria de esquerda no Museu do Holocausto? Não. Mas o texto diz que sim. Qual o problema? A colocação do termo “no Museu do Holocausto”. Pra acabar com a ambiguidade, ele tem de ser separado. Há […]

Sérgio Cabral: tropeção no pronome

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Sérgio Cabral resolveu soltar a língua. Abriu o jogo e contou tim-tim por tim-tim o esquema de propinas montado no governo do Rio. A certa altura do depoimento, avaliou os estragos da roubalheira. Disse: “Se nós não tivéssemos feito os contratos, teria-se feito mais na saúde”. Viu? O ex-governador pisou a língua. Tropeçou feio na colocação do pronome átono. Talvez tenha faltado à aula quando […]

Pronomes átonos: acerte sempre

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Na língua existem criaturas errantes. São os pronomes átonos. Me, te, se, lhe, o, a adoram bater perna. Ora aparecem antes do verbo. Ora, depois. Há também os que se metem no meio. Mas, apesar da flexibilidade, muitos abusam. Cometem pecados. Sete se destacam. 1. Iniciar a frase com o fracote O pronome se chama átono porque é fraco. Tão fraco que precisa de apoio. […]

Erramos: colocação

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Os simpáticos ao PT fazem hoje um ato pela democracia no Hotel Nacional, em Brasília”, escrevemos na pág. 5. Viu? A colocação dos termos deu ambiguidade ao período. Parece que o ato é pela democracia no Hotel Nacional. Não é isso. O jeito é apelar para a vírgula ou mudar a ordem do adjunto adverbial: Os simpáticos ao PT fazem hoje um ato pela democracia, […]

A língua dos mil verbos

Publicado em Deixe um comentárioetimologia

A língua é feita de palavras. Língua e palavra têm um denominador comum. São femininas e, por isso, plenas de poder. Como as bruxas medievais e as feiticeiras modernas, fazem e acontecem. Montadas na vassoura, voam, criam, recriam. E conjugam todos os verbos. O blogue lembra seis. Conversar é um deles. A língua adora bater papo. E, no vai e vem de histórias, incorpora palavras […]

Olho na colocação

Publicado em Deixe um comentárioGeral

Vamos combinar? As palavras são traidoras que só. Daí por que Mário Quintana escreveu: “A gente pensa uma coisa, escreve outra, o leitor entende outra, e a coisa propriamente dita desconfia que não foi dita”. Lidar com criaturas tão instáveis exige atenção plena. Um dos cuidados é a colocação. Postos em determinado lugar, termos da oração dão recados diferentes. A Folha de S. Paulo de […]