Bolsonaro foi intempestivo? Nãoooooo!

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Ao adiar o aumento do diesel, o presidente foi intempestivo”, disseram gregos, romanos, troianos e baianos. Queriam dizer que ele tinha agido no impulso, sem medir os prós e os contras. Bobearam na escolha do vocábulo. Tempestivo e intempestivo não têm nada a verbo com temperamento. A duplinha pertence à família de tempo. Tempestivo significa no tempo certo, oportuno. O advogado apresentou o recurso tempestivamente […]

Governo … interviu ou interveio na Petrobras?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Ops! Bolsonaro mandou adiar o aumento do óleo diesel. A grita foi geral. Ele interviu ou interveio na Patrobras? Intervir se conjuga como o verbo vir: venho (intervenho), vem (intervém), vimos (intervimos), vêm (intervêm); vim (intervim), veio (interveio), viemos (interviemos), vieram (intervieram); vinha (intervinha); virei (intervirei); viria (interviria); vier (intervier), vier (intervier), viermos (interviermos), vierem (intervierem); viesse (interviesse). O gerúndio e o particípio têm a […]

Clareza: colocação dos termos

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Bolsonaro repete que nazismo é de esquerda no Museu do Holocausto”, escreveu O Globo em chamada de capa. Leitores ficaram com a pulga atrás da orelha. O nazismo só seria de esquerda no Museu do Holocausto? Não. Mas o texto diz que sim. Qual o problema? A colocação do termo “no Museu do Holocausto”. Pra acabar com a ambiguidade, ele tem de ser separado. Há […]

Dúvida de Bolsonaro: israelita ou israelense?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Malas prontas, passaporte em mão, Bolsonaro se encaminha para o aeroporto. Está feliz. Israel o espera com banda de música e tapete vermelho. No caminho, pinta a dúvida. Ele deve se referir ao povo israelense ou israelita? As duas formas lhe soam bem. Serão sinônimas? Não. Israelense é o natural ou o habitante daquele país do Oriente Médio. Israelita se refere à religião judaica ou […]

Bolsonaro: duas armadilhas

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“A língua é um sistema de possibilidades”, dizem os linguistas. Exibe opções. Os usuários escolhem a mais adequada. Falantes discordam. “A língua é um sistema ciladas”, afirmam eles. Grafias, concordâncias, regências, colocações estão cheias de pegadinhas. Exemplos não faltam. Um deles ganhou as manchetes de sexta-feira. O presidente Jair Bolsonaro festejava o Dia Internacional da Mulher. Entre irônico e divertido, disse esta frase: “Temos 22 […]

Crase: tropeço de Bolsonaro

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Era carnaval. A maior parte dos brasileiros ou estava pulando nos blocos, ou estava curando a ressaca. Não era o caso de Laís Menini. Ela, em casa, acompanhava o noticiário. Lia jornais,  blogues, sites, mídias sociais. De repente, parou num tuíte. Esfregou os olhos. Voltou ao texto — este, do presidente Jair Bolsonaro: “Como prometido, dando continuidade à obras, objetivamos dar início à outras, se […]

Bolsonaro agradece: regência

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Agradeço, em nome do povo brasileiro, ao Estado de Israel pelos serviços prestados em Brumadinho-MG em parceria com nossos guerreiros das Forças Armadas e Bombeiros”, tuitou o presidente. Viva! Bolsonaro acertou a regência de agradecer. O verbo pede objeto indireto de pessoa: Agradeceu ao pai. Agradeceu ao embaixador. Agradeço à direção da escola. Na substituição do alguém pelo pronome, é a vez do lhe: Agradeceu […]

Maiúsculas e minúsculas: siglas

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O presidente Bolsonaro deixou a unidade de terapia intensiva (UTI) do Hospital Albert Einstein. Agora está no quarto em processo de recuperação. Tevês, rádios, sites, blogues e jornais noticiaram o fato. Nas matérias divulgadas, sobressaíram dois pontos comuns: 1. o uso indevido das maiúsculas em unidade de terapia intensiva. Unidade de terapia intensiva é substantivo comum como ambulatório, sala de estar, consultório médico. Letras minúsculas, […]

Pleonasmo: Bolsonaro começa a despachar do hospital a partir de amanhã

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Bolsonaro começa a despachar do hospital a partir de amanhã.” Certo? A data sim. O português não. Por quê? A partir de é expressão de tempo. Quer dizer a começar em. Por isso, a partir de não combina com o verbo começar. É pleonasmo escrever: Bolsonaro começa a despachar do hospital a partir de amanhã. Os novos ônibus vão começar a circular a partir de […]

Crase: Bolsonaro se submete a cirurgia? À cirurgia?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Bolsonaro se submete a cirurgia para reconstruir trânsito intestinal”, escreveu o site do Correio Braziliense. Nota 10? Ou faltou o sinalzinho da crase? A presença ou ausência do acento dá recados diferentes: 1. Bolsonaro se submete a cirurgia para reconstruir trânsito intestinal. A ausência do acento diz que se trata de cirurgia não referida. Trata-se de procedimento indefinido: Bolsonaro se submete a (uma) cirurgia para […]