Até a meia-noite? Até meia-noite?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Votaremos texto do 2º turno da reforma da Previdência até meia-noite, diz Onyx”. Essa é a manchete do site do Estadão. Reparou? O jornal tropeçou na indicação de horas. A razão: faltou o artigo, presença obrigatória. Assim: Trabalha entre as 2h e as 10h. Está aqui desde as 14h. O avião partiu às 4h e chegou às 6h. Votaremos o texto da reforma da Previdência […]

S. Dulce? Sta. Dulce?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Viva! A Bahia está em festa. O Brasil também. Em outubro, Irmã Dulce será canonizada. Virará santa, a Santa Dulce dos Pobres. Até lá, muito se falará sobre a obra da criatura que dedicou a vida a ajudar os pobres. Vale, pois, estar atento à abreviatura de santa. É a mesma de são e santo: S. Dulce dos Pobres, S. Antônio, S. João.    

Abreviatura: ponto, plural, acento

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

  A abreviatura é apressadinha. A língua colabora. Impõe regras para usá-las como manda o figurino. São três exigências. Uma: o ponto final. Outra: o s do plural. A última: o acento da grandona original: caps., cias., sécs., págs. Símbolos, pesos e medidas Hora, minuto, segundo, metro, quilograma, litro e respectivos derivados (quilômetro, grama, decilitro) jogam no time do sem-sem-sem — sem ponto, sem espaço […]

São Jorge: por que não Santo Jorge?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Hoje é Dia de São Jorge, padroeiro do Rio. No feriado da Cidade Maravilhosa, pintou a dúvida: por que São Jorge, não Santo Jorge? Porque a língua tem regras. O santo guerreiro as respeita. Nós também.  Ei-las: Santo tem vez antes de nomes iniciados por vogal ou h: Santo Antônio, Santo Agostinho, Santo Hilário. São se usa nos demais casos: São Bento, São Carlos, São […]

Professor: abreviatura

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Ervas daninhas aparecem de vez em quando. A mais recente atingiu a nobre figura do professor. Os manuais dizem que a abreviatura do mestre é prof. Mas, por alguma razão alheia à vontade de Deus e dos homens, começaram a brindá-lo com um ozinho (profº). O intruso aparece até em cartazes de faculdade. É a recita do cruz-credo. A língua detesta redundância. O masculino não […]