Por que água-de-colônia se chama água-de-colônia?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Água de colônia se chama água-de-colônia porque nasceu em Colônia, na Alemanha. Giovanni Maria Farina vivia em Piemonte, na fronteira da Itália com a Suíça. Mudou-se para Colônia no início do século 18. Inventor de perfumes, ele criou uma fragrância desconhecida, bem diferente dos aromas fortes e açucarados que enchiam os salões da nobreza europeia. A fórmula: óleos essenciais de frutas cítricas, como limão, laranja, […]

Adequar: conjugação

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

A censura na Bienal do Rio fez vítimas. Entre elas, a língua. O presidente do Tribunal de Justiça do Rio foi um dos algozes. Na sentença que proferiu, escreveu: “… é mister que os pais sejam devidamente alertados, com a finalidade de acessarem previamente informações a respeito do teor das publicações disponíveis no livre comércio, antes de decidirem se aquele texto se adequa ou não […]

Madrinha e madrasta: irmãs

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Madrinha e madrasta têm a mesma origem — a latina mater, que significa mãe. Embora sejam irmãs, as duas trilharam caminhos diferentes. A primeira, que quer dizer “outra mulher do pai”, ganhou acepção pejorativa. Tornou-se sinônimo de bruxa malvada. A segunda é diminutivo de mãe — mãezinha. Daí o peso da responsabilidade. Ela é a substituta da mãezona.

Madrasta: origem e história

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Coisa de conto de fadas? Não. A história aconteceu em Cuiabá. Madrasta envenenou a enteada de 11 anos para embolsar a herança da garota. A tragédia causou horror. E trouxe a palavra madrasta às manchetes. Vale, pois, saber de onde vem a trissílaba. Madrasta nasceu do latim matrasta. Quando veio ao mundo, no século XIII, o vocábulo era inocente. Significava nova mulher do pai. A […]

Bienal ou bianual?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

As duas palavras são sinônimas. Mas na língua vale o dito sobre a mulher de César. A primeira-dama do Império Romano não só tinha de ser honesta. Tinha de parecer honesta. A língua não só tem de ser correta. Tem de parecer correta. Por isso, pra evitar confusão, prefira a forma corrente. Use bienal pra indicar a cada dois anos.

Infantojuvenil ou infanto-juvenil?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

A decisão do prefeito do Rio de proibir a venda de livro na Bienal movimentou o Judiciário. Um juiz mandou liberar a negociação da obra. Houve recurso. O presidente do Tribunal de Justiça mandou recolher a história em quadrinhos Os vingadores. Justificou assim: “… em se tratando de obra de super-heróis, atrativa ao público infanto-juvenil, que aborda o tema da homossexualidade, é mister que os […]

Censura: etimologia

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Não à censura!”, gritavam manifestantes que se opunham ao recolhimento da obra Os vingadores, exposta na Bienal. O prefeito do Rio, Marcelo Crivella, diz que não é censura, mas respeito ao Estatuto da Criança e Adolescente (ECA). Juristas se dividem a respeito. E daí? Enquanto se discute tema tão espinhoso, curiosos questionaram a etimologia da incômoda trissílaba. Eis a resposta: a palavra vem do latim […]

Situação fático-jurídico? Nãooooooooooooo

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Situação fático-jurídico”, escreveu a procuradora-geral da República, Raquel Dodge.  Certo? Nãooooooo. Nos adjetivos compostos, só o último elemento se flexiona tanto em número quanto em gênero: bandeira verde-amarela — bandeiras verde-amarelas Símbolo verde-amarelo — símbolos verde-amarelos povo anglo-germânico — povos anglo-germânicos império austro-húngaro — impérios austro-húngaros relação euro-americana — relações euro-americanas literatura franco-germânica — literaturas franco-germânicas língua indo-europeia — línguas indo-europeias escola teuto-japonesa — escolas […]

Internet: maiúscula ou minúscula?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Eis a questão: internet ou Internet? Na origem, internet era nome próprio. Escrevia-se com a inicial maiúscula. Agora, dá nome a uma mídia, como rádio, jornal, televisão. Tornou-se substantivo comum. Sem pedigree, é senhora vira-lata. Grafa-se com letras pequeninas: Obtenho informações no jornal, no rádio, na tevê e na internet. Facebook joga em outro time. É nome próprio como Instagram, WhatsApp, Twitter, You Tube, TV […]