Olha a segurança

Publicado em Deixe um comentárioGeral

  A Câmara aprovou o pacote de segurança. Entre as medidas, duas ganham destaque. Uma: acaba com o 2º julgamento automático pra quem é condenado a pena superior a 20 anos. A outra: tipifica o crime de seqüestro relâmpado. É aí que todo cuidado se impõe. No plural, as duas palavras ganham s: seqüestros relâmpagos. 

Como é?

Publicado em Deixe um comentárioGeral

  Com os substantivos compostos, todo cuidado é pouco. Cada caso é um caso. Vale o exemplo de bate-boca. A duplinha joga no time de arranha-céu, vira-lata, caça-níquel. O primeiro elemento é verbo. O segundo, substantivo. Só o nome carrega o s do plural: bate-bocas, arranha-céus, vira-latas, caça-níqueis. 

Adeus, Zélia

Publicado em Deixe um comentárioGeral

    Zélia Gatai partiu. No andar de cima, encontrou o maridão, Jorge Amado. Ele a esperava ansioso. Morto de saudade, queria revê-la vestida de mexicana. Não se decepcionou.    Enquanto eles passeiam de mãos dadas como fizeram durante 40 anos em Europa, França e Bahia, cá embaixo a família e os amigos se despedem da escritora que se foi. Daqui a algumas horas, o corpo de Zélia […]

Concordância privilegiada

Publicado em Deixe um comentárioGeral

      Na língua como na vida, nem todos são iguais perante a lei. Há exceções e concessões que os tornam mais iguais. Um dos privilegiados é o verbo ser. Expressões com ele construídas podem ir contra a regra da concordância. O predicativo, simplesmente, não concorda com o sujeito.       Você conhece os manhosos? Para acertar no diagnóstico, faça o teste. Leia […]

Maria Quarqué

Publicado em Deixe um comentárioGeral

  Mara Régia, Mara Maravilha pra quem a conhece, comanda o programa Natureza Viva, da Rádio Nacional da Amazônia. O programa se destina às comunidades ribeirinhas e florestais da região. Divulga os eventos ligados ao desenvolvimento sustentável e promove o intercâmbio de experiências. Os líderes rurais e a população em geral têm voz nas ondas que atravessam nove estados da Amazônia Rural. Cartas à redação […]

Mediar cia.

Publicado em Deixe um comentárioGeral

    Colômbia, Equador e Venezuela estão com as relações azedadas. A razão: a Interpol confirmou o já sabido. Quito e Caracas protegem os guerrilheiros das Farc. Pra evitar conflitos na América do Sul, a turma do deixa-disso busca um jeito de dar um jeito. Reunida em Lima, quer encontrar um mediador que saiba conjugar o verbo mediar. A tarefa não é fácil. Um a um, os candidatos tropeçaram na flexão. Talvez a tarefa […]

Cilada da preferência

Publicado em Deixe um comentárioGeral

  “Prefiro deixar o ministério do que deixar o juízo”, disse Marina Silva. Em entrevista coletiva, a então ministra do Meio Ambiente prestou contas à sociedade. Estava emocionada. No tumulto provocado pela enxurrada de perguntas, a agora senadora tropeçou na regência. Caiu na cilada do verbo preferir:   Quem prefere prefere uma coisa a outra (não do que outra): Prefiro vinho a cerveja. João Marcelo […]

Leitor se assusta

Publicado em Deixe um comentárioGeral

  “José Aparecido quer que o STF garante seu direito de manter-se em silêncio ao depor na CPI dos Cartões”, escrevemos na legenda da pág. 6. O assinante Esmeraldino Henrique da Silva leu. Ops! Levou um baita susto. É que atropelamos o subjuntivo. Melhor restituir a César o que é de César: José Aparecido quer que o STF garanta seu direito de manter-se em silêncio […]

Boa notícia

Publicado em Deixe um comentárioGeral

  Oba! Boa notícia na educação. Pesquisa mostra que cresce o número de brasileiros que concluem os estudos na idade correta. Rapazes e moças estão vencendo o atraso. Com eles, nós aprendemos uma regrinha básica de ortografia.   Atraso, atrasar, atrasado & cia. inimiga do relógio se escrevem com s. Filhotes da preposição tras, eles mantêm a marca da família. Os outros membros do clã […]