Sangue azul

Publicado em Deixe um comentárioGeral

  Ibero e ítalo são adjetivos aristocráticos. Só andam em duplas. É o caso de ibero-americano e ítalo-francês. A nobreza, você sabe, é muito zelosa da correta pronúncia das palavras. Para não incorrer em barbarismo fonético, grave isto: o adjetivo reduzido obedece à regra de pronúncia das palavras comuns. Por essa razão, a sílaba tônica de ibero é be (ibero), de ítalo é i (ítalo).   […]

Ingrid livre

Publicado em Deixe um comentárioGeral

  Viva! Ingrid Betancourt está livre. Depois de seis anos presa nas selvas colombianas, a ex-senadora conseguiu escapar dos seqüestradores. Muitos governos intercederam por ela. O francês se destacou. Não foi por acaso. Ela é franco-colombiana.   Reparou? Franco, que aparece em franco-colombiana, joga no time dos adjetivos nobres. Alatinados, eles assumem forma reduzida (sino, teuto, ibero). Como identificá-los? É fácil. Os aristocratas são sempre compostos. Andam acompanhados […]

Mais ou maior?

Publicado em Deixe um comentárioGeral

      O texto traz montões de dados. No fim, aparece a frase: “Para maiores informações, entre em contato telefônico”. João leu. Estranhou. Informação se mede por metro? Não. A forma é “mais informações”.      Por quê? A gente usa mais para palavras ou expressões que indicam quantidade. E maior para dar idéia de intensificação: Preciso de mais dinheiro. Para mais informações, telefone. Governo quer maior participação dos cidadãos. […]

O olho trai

Publicado em Deixe um comentárioGeral

É aluga-se casas pra cá. Conserta-se pneus pra lá. Vende-se frutas pracolá. De tanto ver o usurpador tão à vontade, o olho se acostuma. Convence-se de que o mau caráter é dono e senhor do pedaço. Aí não dá outra. Ao se deparar com o proprietário da construção, duvida da obra que se apresenta com escritura registrada em cartório.   É o caso de João […]

Não lese a língua

Publicado em Deixe um comentárioGeral

      Atenção, moçada. Lesa pode ser verbo. É a terceira pessoa do verbo lesar (eu leso, ele lesa). Também pode ser adjetivo. Aí, tem feminino e masculino (leso, lesa). Significa lesado: Ele está leso de uma perna. Ela está lesa de um braço.    Leso e lesa aparecem em várias palavras compostas. Cuidado! Use hífen e faça a concordância com o substantivo: lesa-pátria, lesas-pátrias, leso-patriotismo, […]

Visitinha trabalhosa

Publicado em Deixe um comentárioGeral

      Bateu um desejo na primeira-dama. Marisa Letícia morreu de vontade de dar umas voltinhas no Palácio do Planalto. Os assessores estremeceram. A razão do pânico: na nota à imprensa, deveriam dizer que a senhora Lula da Silva “irá a palácio” ou “irá ao palácio”? Consulta daqui e dali, eis a resposta: usa-se a palácio se a pessoa teve uma audiência no palácio. E ao […]

Mais do mesmo

Publicado em Deixe um comentárioGeral

  “Além de promover um número maior de paralisações, o funcionalismo também cruzou os braços por mais tempo”, escrevemos na pág. 15. Reparou? Desperdiçamos palavras. Além indica adição. Também idem. Em época de inflação alta, desperdiçar é proibido. Melhor usar um ou outro: Além de promover um número maior de paralisações, o funcionalismo cruzou os braços por mais tempo. O funcionalismo cruzou os braços por mais […]

Baita redundância

Publicado em Deixe um comentárioGeral

  “A meta de inflação se mantém a mesma”, repete a GloboNews desde ontem. Baita redundância, não? Se se mantém, só pode ser a mesma. Se não for a mesma, o verbo é outro. Pode ser mudar. É a mesma? Basta “a meta de inflação se mantém”. Não é a mesma? Partamos pra outro verbo: A meta de inflação muda.

Time seleto

Publicado em Deixe um comentárioGeral

  Há vícios que pegam. Um deles: trocar a terminação dos verbos terminados em -uir. A 3ª pessoa do singular do presente do indicativo termina em i (possui, contribui, substitui). Mas só se vê o e no lugar do i (possue, contribue, substitue). Cruz-credo!   O troca-troca tem explicação. Chama-se semelhança. Como os terminados em -uir pertencem à 3ª conjugação, os desavisados dã-lhes a desinência […]