Recife ou o Recife? Tanto faz

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Férias viraram pesadelo. Um passageiro estava com coronavírus. O navio que transportava turistas pelo litoral brasileiro ficou retido no porto … de Recife ou do Recife? A gramática abona ambas as formas. Mas, se você estiver na charmosa cidade de Manuel Bandeira, João Cabral, José Paulo Cavalcanti & cia. talentosa, diga o Recife. O artigo acaricia os ouvidos de adultos e crianças. Oba!

Histeria: etimologia

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“É histeria”, disse Bolsonaro ao se referir aos cuidados para frear a disseminação do coronavírus. Em consequência, furou a quarentena e foi pras ruas. Cumprimentou os manifestantes e tirou selfies com homens e mulheres. Ao recolher-se, ficou curioso. De onde vem a palavra histeria? O dicionário de etimologia responde: vem do grego hystera. Na língua de Platão e Aristóteles, hystera quer dizer útero. Por isso, […]

Historinha árabe

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

  A morte comunicou a Deus que ia matar 10 mil pessoas. Passado algum tempo, ela reencontra o Senhor. Irado, o Todo-Poderoso lhe diz: – Você mentiu. Disse que mataria 10 mil pessoas, mas matou 100 mil. A morte respondeu: – Disse a verdade: matei 10 mil. O restante morreu de medo.    

Crase: face a face

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Hoje estreia a CNN Brasil. Uma das atrações é o programa comandado por William Waak. Chama-se Face a Face. A questão: com crase ou sem crase? Palavras repetidas têm alergia ao acento grave. Não aceitam o sinalzinho nem a pedido dos deuses: face a face, cara a cara, semana a semana, frente a frente, uma a uma, gota a gota.