Weintraub e a espada de Dâmocles

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Abraham Weintraub bateu asas e voou. Às escondidas, embarcou para Miami. Dizem que tinha medo. Medo de ser preso. Medo de ter o passaporte retido. Medo de não poder assumir o cargo no Banco Mundial. Enfim, tinha a espada de Dâmocles sobre a cabeça. Em bom português: sentia-se sob ameaça contínua, em perigo iminente e assustador. Será? Enquanto as especulações correm soltas, vale entrar no […]

Respeito à família: tensão, tensionar, distensionar

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“A demissão de Weintraub do Ministério da Educação era esperada para `distencionar´as estremecidas relações do Executivo com o Legislativo e, sobretudo, com o Judiciário”, exibiu a capa do Correio hoje. Cochilou. Esqueceu-se de pormenor pra lá de importante: as palavras têm pai e mãe. Tensão se escreve com s. A família também. É o caso de tensionar e distensionar.

Os Bolsonaros ou os Bolsonaro?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O título de coluna publicada hoje no Globo é “Os Bolsonaro”. Leitores atentos perguntaram: substantivo próprio tem plural? Tem. Ele não goza de privilégios. Flexiona-se como os substantivos comuns. Eça de Queirós deu o exemplo. Escreveu Os Maias. Nós vamos atrás: os Silvas, os Castros, os Câmaras, as Antônias. Há exceção? Há. Quando a flexão descaracteriza o nome, cessa tudo o que a musa antiga […]

O vai e vem da OMS ou o vaivém da OMS?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

E a Organização Mundial da Saúde, hem? No meio da pandemia, parece que perdeu o rumo. Vale o exemplo da cloroquina. A OMS autoriza pesquisas sobre a droga. Depois, suspende. Volta a autorizar. Torna a suspender. Ufa! Ao falar no assunto, jornais escrevem vai e vem. Outros preferem vaivém. E daí? Ambos merecem nota mil. Palmas pra eles. Por dentro Há os desatualizados. Eles ignoram […]

Juro ou juros?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O Conselho Monetário Nacional vem passando a faca na taxa de juros. Ontem, a Selic foi de 3% para 2,25%. Viva! É a menor da história. O assunto, claro, foi notícia. Pintou, então a dúvida: juro ou juros? Tanto faz. Mas, escolhido um, fique de olho na concordância: O juro caiu. Os juros caíram. O senhor do $ Com a queda da taxa de juros, […]

Preso ou prendido? Depende

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

A prisão de Fabrício Queiroz trouxe às manchetes o verbo prender. O danado é generoso. Tem dois particípios. Um regular, terminado em -ido como escolhido, batido, colhido. O outro irregular, mais curtinho. Quando usar um ou outro? Depende do auxiliar: 1. Com ser e estar, o pequenino tem vez: Queiroz foi preso pela polícia por causa do envolvimento no esquema das rachadinhas. Queiroz está preso. […]

Incendiar: conjugação e curiosidade

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Dizem que a pirotecnia de sábado na Praça dos Três Poderes poderia transformar o prédio do STF em chamas. Será? Pelo sim, pelo não, vale dar uma olhada no verbo incendiar. Ele se conjuga como odiar: odeio (incendeio), odeia (incendeia), odiamos (incendiamos), odeiam (incendeiam); odiei (incendiei), odiou (incendiou), odiamos (incendiamos), odiaram (incendiaram). E assim por diante. Curiosidade Naquele tempo, não havia perícia. Nem corpo de […]

Pirotecnia e o STF: origem

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Se o Brasil não existisse, precisava ser inventado. A quarentena serve de exemplo. “Fique em casa” é a ordem. Mas muitos não estão nem aí. Manifestantes tomam as ruas de Brasília e São Paulo. Alguns batem no governo. Outros aplaudem o hóspede do Planalto. Torcidas organizadas e ativistas antirracismo também desfilam na avenida. No sábado, a capital dos brasileiros se superou. Meia dúzia de gatos-pingados […]