Língua: o melhor e o pior

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Esopo era grego. Virou escravo em Roma. Culto, autor de fábulas como “A raposa e as uvas”, ganhou o posto de mordomo na casa de uma das pessoas mais importantes do Império Romano. Um dia, recebeu esta incumbência: — Vou receber o imperador, os governadores de província, os generais do exército. Prepare um banquete com o que há de melhor: as melhores carnes, os melhores […]

Vogais: português e espanhol

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

No carnaval, máscaras fazem a festa. Invadem as ruas e exibem caras famosas ou sonhadas. Mulheres viram homens. Homens, mulheres. Meninos ganham os poderes do Super-Homem, a destreza do Homem Aranha ou a graça do Mickey. Meninas, a força da Pucca, a capacidade das Superpoderosas ou os malabarismos da Hannah Montana. Gente comum se transforma em celebridade. Anônimos invisíveis se tornam foco de mil olhares. […]

Consoantes usam máscara

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

As consoantes são loucas por disfarces. Com elas, retornam os tempos das saturnais romanas. Eram festas que celebravam a volta da primavera. A estação simboliza o renascer da natureza depois do rigor do inverno. Era período alegre. Os servidores públicos entravam em recesso. Os tribunais fechavam as portas. Nenhum criminoso podia ser punido. Libertavam-se os escravos pra assistir aos festejos. As famílias ofereciam banquetes. Durante […]

Samba: origem

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Abram alas, que o samba quer passar. E passa. Na terrinha tropical, começou com Donga. “Pelo telefone” abriu o caminho. Cartola, Pixinguinha, Mansueto de Menezes, Noel Rosa, Clementina de Jesus o seguiram. Hoje existe uma certeza: “Quem não gosta de samba / Bom sujeito não é / É ruim da cabeça / ou doente do pé”. E uma dúvida. Onde a palavra nasceu? Há uma […]

Carnaval: derivados

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O carnaval deitou e rolou nesta terra mestiça. Deu filhotes. Dele nasceu carnavalesco. O sufixo –esco é velho conhecido nosso. Aparece em adjetivos. Mas não qualquer adjetivo. Só nos derivados de substantivos. Quer dizer semelhante, parecido. Carnavalesco é semelhante a carnaval. Dantesco, a Dante. Burlesco, a burla (zombaria). Momesco, a momo. A família cresceu. Veio o neto — o advérbio carnavalescamente. Reparou? Ele é filho […]

Carnaval: etimologia e história

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Carnaval é coisa séria. Tão séria que a Igreja o controla. É a Santa Sé que manda na festa. Começa pelo calendário e chega ao nome. Ela diz: “O momo só pode reinar 40 dias antes da quaresma. Vai do Dia de Reis (6 de janeiro) à quarta-feira de cinzas. Depois disso, o mundo se veste de roxo”. Cadê autonomia? A quarta-feira de cinzas depende […]

Carnaval e segurança

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Carnaval é sinônimo de alegria, descontração, irreverência. Blocos, escolas e foliões aproveitam os dias de Momo para exercitar a liberdade. De certa forma, retomam o tempo das saturnais romanas. Era um período alegre. Os servidores públicos entravam em recesso. Os tribunais fechavam as portas. Nenhum criminoso podia ser punido. Libertavam-se os escravos para assistir aos festejos. As famílias ofereciam banquetes. Durante as celebrações, invertiam-se as […]

Março: etimologia

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Adeus, fevereiro. Bem-vindo, março. O nome do mês tem origem pra lá de especial. O pai dele é nada mais, nada menos que Marte. O deus da guerra é forte, valente e mau. Está sempre preparado pra luta. Dia e noite usa armadura e capacete. Na mão esquerda, carrega um escudo. Na direita, uma espada. Onde há confrontos, lá está ele. Aparece de surpresa, num […]

Jabuticaba: grafia e curiosidade

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Sem confusão, gente fina. Jabuticaba se escreve-se com u. Curiosidade  A jabuticaba é considerada a fruta mais brasileira que existe. Raramente consegue ser cultivada em outros países. Uma curiosidade: ao que se saiba, é a única árvore no mundo que se aluga. Isso mesmo: em algumas cidades, como Sabará, em Minas Gerais, os proprietários alugam o pé de jabuticaba por hora. O inquilino paga e […]