Crase: tropeço de Bolsonaro

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Era carnaval. A maior parte dos brasileiros ou estava pulando nos blocos, ou estava curando a ressaca. Não era o caso de Laís Menini. Ela, em casa, acompanhava o noticiário. Lia jornais,  blogues, sites, mídias sociais. De repente, parou num tuíte. Esfregou os olhos. Voltou ao texto — este, do presidente Jair Bolsonaro: “Como prometido, dando continuidade à obras, objetivamos dar início à outras, se […]

A quaresma das letras: dígrafo

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

As letras têm a própria quaresma. Como os religiosos, submetem-se a sacrifícios. As ortodoxas chegam ao extremo. Emudecem. Escrevem-se, mas não se pronunciam. Chamam-se dígrafos. O nome diz tudo. São duas letras, mas um som. Dia, por exemplo, tem três letras. As três se pronunciam. Cada uma forma um fonema. Velha tem cinco letras. Mas quatro fonemas. O lh tem companheiros: ch (chefe), nh (tamanho), […]

Quaresma: maiúscula ou minúscula?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Quaresma? São os 40 dias que vão da quarta-feira de cinzas até a sexta-feira da Paixão. Para católicos e ortodoxos, o período se destina a penitências. A pessoa faz jejum, priva-se de carne e renuncia a prazeres. No 1º dia da provação, os fiéis vão à igreja. Lá, recebem cinza sobre a cabeça. O padre, então, lhes diz: ‘‘Lembra-te, homem, que és pó e ao […]

Língua: o melhor e o pior

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Esopo era grego. Virou escravo em Roma. Culto, autor de fábulas como “A raposa e as uvas”, ganhou o posto de mordomo na casa de uma das pessoas mais importantes do Império Romano. Um dia, recebeu esta incumbência: — Vou receber o imperador, os governadores de província, os generais do exército. Prepare um banquete com o que há de melhor: as melhores carnes, os melhores […]

Vogais: português e espanhol

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

No carnaval, máscaras fazem a festa. Invadem as ruas e exibem caras famosas ou sonhadas. Mulheres viram homens. Homens, mulheres. Meninos ganham os poderes do Super-Homem, a destreza do Homem Aranha ou a graça do Mickey. Meninas, a força da Pucca, a capacidade das Superpoderosas ou os malabarismos da Hannah Montana. Gente comum se transforma em celebridade. Anônimos invisíveis se tornam foco de mil olhares. […]

Consoantes usam máscara

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

As consoantes são loucas por disfarces. Com elas, retornam os tempos das saturnais romanas. Eram festas que celebravam a volta da primavera. A estação simboliza o renascer da natureza depois do rigor do inverno. Era período alegre. Os servidores públicos entravam em recesso. Os tribunais fechavam as portas. Nenhum criminoso podia ser punido. Libertavam-se os escravos pra assistir aos festejos. As famílias ofereciam banquetes. Durante […]

Samba: origem

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Abram alas, que o samba quer passar. E passa. Na terrinha tropical, começou com Donga. “Pelo telefone” abriu o caminho. Cartola, Pixinguinha, Mansueto de Menezes, Noel Rosa, Clementina de Jesus o seguiram. Hoje existe uma certeza: “Quem não gosta de samba / Bom sujeito não é / É ruim da cabeça / ou doente do pé”. E uma dúvida. Onde a palavra nasceu? Há uma […]

Carnaval: derivados

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O carnaval deitou e rolou nesta terra mestiça. Deu filhotes. Dele nasceu carnavalesco. O sufixo –esco é velho conhecido nosso. Aparece em adjetivos. Mas não qualquer adjetivo. Só nos derivados de substantivos. Quer dizer semelhante, parecido. Carnavalesco é semelhante a carnaval. Dantesco, a Dante. Burlesco, a burla (zombaria). Momesco, a momo. A família cresceu. Veio o neto — o advérbio carnavalescamente. Reparou? Ele é filho […]