Erramos

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Além desses 800, outros 200 tinham chegado no mês passado, totalizando, portanto, mil homens”, escrevemos na pág. 6. O modismo outros sobra, não? Melhor: Além desses 800, 200 tinham chegado no mês passado, totalizando, portanto, mil homens.

Provir: como conjugá-lo?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Como conjugar o verbo provir? Provir é filhote de vir. Ambos se flexionam do mesmo jeitinho: eu venho, eu provenho, ele vem, ele provém, nós vimos, nós provimos, eles vêm, eles provêm. Olho no acento. Vem é monossílabo. Joga no time de bem e trem. Não ganha grampinho. Provém é oxítona. Pertence à equipe de porém e também. Exibe o agudo. Atenção! O plural não […]

Extorquir alguém? Nãoooooooooo!

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Que susto! Deu na TV: “Fiscais extorquiram delegada”. É difícil. Extorquir não é lá coisa boa. Significa obter por violência, ameaças ou ardis. O verbo tem uma manha. Seu objeto direto tem de ser coisa. Nunca pessoa. Extorque-se alguma coisa. Não alguém: Fiscais extorquiram dinheiro de delegada. A polícia tentou extorquir o segredo. Extorquiram a fórmula ao cientista.  

Erramos

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“O ex-presidente Lula assinou ontem, a intimação de sua sentença de nove anos e seis meses de prisão”, escrevemos na pág. 5. Reparou no frasecídio? Separamos o verbo do objeto. Xô, vírgula. Melhor: O ex-presidente Lula assinou ontem a intimação de sua sentença de nove anos e seis meses de prisão.

É proibido entrada? É proibida entrada?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Há mais mistérios entre o céu e a Terra do que imagina nossa vã filosofia”, disse Shakespeare. Ele devia estar pensando na concordância do é bom, é proibido, é feio, é necessário, é preciso & cia. A danada tem manhas. O adjetivo pode ficar invariável ou flexionar-se. Depende do recado. O imutável tem vez quando se deseja fazer referência de modo vago e geral. No […]