Raquel Dodge bateu na língua

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Decisão do STF “possui o potencial de afetar as milhares de condenações penais referentes a uma miríade de crimes”, escreveu Raquel Dodge. A procuradora-geral da República trocou os gêneros. Milhar, como milhão, é substantivo masculino: Cerca de dois milhares de pessoas assinaram o pedido. Decisão do STF possui o potencial de afetar os milhares de condenações penais. Um milhão de pessoas foram à manifestação. Duzentos […]

Ops! O ministro da Educação tropeça no z

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O ministro da Educação escreveu: “Com a redução de bolsistas de mestrado e doutorado, há paralização de pesquisas e risco de evasão de pesquisadores para atuação no exterior”. No parágrafo seguinte, escreveu de novo: “O referencial monetário apresentado ao MEC impossibilita a destinação de menos da metade do orçamento que as universidades e institutos possuem atualmente. Com isso, haverá a paralização de cursos, campi e possivelmente instituições inteiras”. Satisfeito, assinou […]

Calote: etimologia

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

A Argentina vai às urnas daqui a dois meses. Novo presidente será eleito. Mauricio Macri, candidato à reeleição, aparece atrás do opositor nas pesquisas eleitorais. Inflação, dólar nas alturas, salários menores que o mês contribuem para a queda da popularidade de Sua Excelência. O que fazer? Para dar alívio ao mercado, o hóspede da Casa Rosada pediu tempo ao FMI e aos credores. Quer prazo […]

Eduardo vai para os EUA? Nãooooooooo

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O site do CB escreveu: “Eduardo vai para os Estados Unidos encontrar Trump, diz Bolsonaro”. Certo? Nãooooooo! O jornal pisou a regência do verbo ir. Quer ver? Ir a indica deslocamento breve. Quem vai a algum lugar está passeando ou trabalhando. Volta em pouco tempo: Vou ao clube. Paulo vai ao cinema. Nós vamos à praia. Vou ao shopping fazer compras. Eduardo vai aos EUA […]

Bolsonaro agradeceu-lhe? Agradeceu-o?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Bolsonaro chamou Moro de patrimônio Nacional, citou o nome dele cinco vezes e o agradeceu por ter aceitado fazer parte da gestão”, escreveu o site da Folha. O gradeceu? Nãooooo! O verbo pede objeto direto de coisa e indireto de pessoa. Assim: Agradeceu o presente. Agradeceu ao ministro. Agradeceu o presente ao ministro. Na substituição do alguém pelo pronome, é a vez do lhe: Agradeço-lhe […]

Entre mim e ele? Entre eu e ele?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“Combater a corrupção é compromisso firmado entre mim e o presidente Bolsonaro”, disse Sérgio Moro. Viva! O ministro pertence ao seleto clube dos que usam o pronome mim como manda a norma culta. Depois de preposição, o mim pede passagem: Este livro é para mim. Ele gosta de mim. Referiu-se a mim. Trabalhou para mim. Combinação feita entre mim, você e o diretor.  

Gangue do MARIO: incendiar & cia.

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

A estiagem faz estragos. Resseca a pele, maltrata os cabelos, desidrata descuidados. O pior: faz arder nosso paraíso verde. A floresta em chamas acendeu suspeitas na cabeça do presidente. Bolsonaro disse que ONGs são responsáveis pelos estragos. Como? Segundo ele, as organizações não governamentais conjugam o verbo incendiar. Elas ateiam fogo no mundão sem fim de árvores e arbustos. De quebra, sobra pra bicharada. Será? […]

Anos sessenta ou anos sessentas?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Tendências vão e vêm. Roupas, cores, acessórios revivem anos idos e vividos. Ao falar nelas, impõe-se abrir os olhos e aguçar os ouvidos. Diga anos sessenta, anos oitenta, anos noventa e por aí vai. O singular do numeral se explica. Escondidinha, está a expressão “da década de”: anos (da década de) sessenta, anos (da década de) cinquenta, anos (da década de) vinte.