dicas

Publicado em Deixe um comentárioGeral

Recado “Escrita: arte de destelhar a casa sem que os transeuntes percebam.” Carlos Drummond de Andrade   O time da língua “Socooooooooooooooooooooooooorro!”, gritam os concurseiros de Europa, França e Bahia. O motivo: perdem pontos a rodo num tal item chamado coesão. Eles procuram o assunto nas gramáticas. Não encontram. Celsos Cunhas, Becharas, Cegallas não dedicam nenhum capítulo ao tema. Por quê? A razão é simples. […]

O time da língua

Publicado em Deixe um comentárioGeral

  “Socooooooooooooooooooooooooorro!”, gritam os concurseiros de Europa, França e Bahia. O motivo: perdem pontos a rodo num tal item chamado coesão. Eles procuram o assunto nas gramáticas. Não encontram. Celsos Cunhas, Becharas, Cegallas não dedicam nenhum capítulo ao tema. Por quê?   A razão é simples. Coesão está presente na morfologia, na sintaxe, nas figuras de linguagem. Ao estudar substantivos, verbos, pronomes, conjunções, preposições, coordenação, […]

Com nós ou conosco?

Publicado em Deixe um comentárioGeral

    Carlos Alberto está se preparando para concurso. Como a disputa é séria, o rapaz faz cursinho e estuda três horas em casa todos os dias. O ponto fraco dele é português. Por isso dedica à matéria atenção especial. Outro dia, estava revisando os pronomes pessoais. Viu escrita a duplina “com nós”. Achou esquisito. Na dúvida, mandou um e-mail pra coluna. Eis a pergunta: […]

O velho e o cão caçador — o respeito

Publicado em Deixe um comentárioGeral

Era uma vez um cachorro muito esperto. Chamava-se Lobo. O cão corria pelo jardim, ajudava o dono na caça, cuidava da casa. Quando um estranho chegava perto, ele latia. Ninguém  entrava sem autorização. Ladrão fugia de lá morto de medo. O tempo passou. Lobo ficou velhinho, velhinho. Um dia, o dono foi caçar no mato.  Quando viu o javali, mandou o cão pegar a caça. […]

Erramos

Publicado em Deixe um comentárioErramos, Geral

“O presidente tem um BlackBerry que o permite manter contato com os principais funcionários e um pequeno grupo de funcionários”, escrevemos na pág. 16. Viu? Tropeçamos na regência. Permitir é transitivo direto e indireto. Quem permite permite alguma coisa a alguém. O alguém, objeto indireto, é representado pelo pronome lhe. Melhor: O presidente tem um BlackBerry que lhe permite manter contato com os principais funcionários e […]

Humberto Seabra quer saber

Publicado em Deixe um comentárioGeral

Aprendi na escola que o verbo fazer é impessoal ao designar contagem de tempo. Daí se dizer: Faz dez anos que trabalho aqui. Faz dois meses que voltei de viagem. Faz pouco que cheguei. Mas acho estranho quando ouço os repórteres da previsão do tempo dizerem: “Faz 15° em Gramado, fez 40º no Rio, vai fazer 10° de madrugada”. O singular está certo? Certíssimo da […]