Plural: quebra-quebra & cia.

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Mais de 100 cidades dos Estados Unidos viraram praça de guerra. Manifestantes começam as passeatas pacificamente. De repente, alguém rompe a ordem. Começa o quebra-quebra. Vitrines, lixeiras, carros, meios-fios, tudo serve de alvo. A violência, que já dura uma semana, promete prosseguir. Vale, por isso, a diquinha. O plural de quebra-quebra é quebra-quebras. Quebra-quebra pertence à equipe dos substantivos compostos formados de palavras repetidas. É […]

Agradeceu-lhe? Agradeceu-o?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Trump presenteou o Brasil com 1.000 respiradores. Bolsonaro agradeceu. Vale dar uma olhadinha na regência de verbo tão educado. Agradecer pede objeto indireto de pessoa. Agradece-se a alguém por alguma coisa: Bolsonaro agradeceu a Trump pelo envio de respiradores. O filho agradece ao pai. Agradeceu ao ministro pela nota de apoio. Agradeço à direção da escola. Sem bobeira Na substituição do alguém pelo pronome, é […]

Hífen: re-

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Três bancadas poderosas falam alto no Congresso. Elas receberam apelidos que começam com b: Bancada da Bala (segurança pública), Bancada do Boi (agronegócio), Bancada da Bíblia (religiosos). Com a saída de Sérgio Moro do ministério, a Bancada da Bala partiu pra luta. Solicitou a recriação do Ministério da Segurança Pública. O pedido sugere uma dica de grafia. O prefixo re-, que indica repetição, tem alergia […]

Por que junho se chama junho?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Hera em grego. Juno em latim. Ela era a primeira-dama do Olimpo. Defensora incondicional do casamento, ao descobrir as traições do marido, Zeus, não punha em risco o próprio lar. Punia a outra e os filhos da outra. (Hércules foi uma das vítimas do ciúme da mulher traída.) Ela passou a ser considerada a protetora da maternidade. Para render-lhe loas, junho se chama junho.

Regência: agradar, desagradar

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“As investigações do TSE desagradarão os Bolsonaros”, escreveu Elio Gaspari na coluna de hoje. Leitores estranharam a regência do verbo. Está correta? Na acepção de satisfazer, contentar, há forte preferência pelo verbo transitivo indireto (agradar a, desagradar a): As negociações agradaram a gregos e troianos. As negociações desagradaram a gregos e troianos. As investigações do TSE agradarão aos Bolsonaros. As investigações do TSE desagradarão aos […]

Antirracismo: o porquê do rr

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

A morte cruel de George Floyd provocou explosão de revolta nos Estados Unidos. De norte a sul, de leste a oeste, manifestações antirracistas tomam conta das ruas. O assunto, claro, ganha espaço na mídia. A palavra antirracismo aparece em todas as reportagens. Com ela, a curiosidade: o porquê do rr. A presença da duplinha tem a ver com a pronúncia. Compare: carro, caro; morro, moro; […]

Plural: rubro-negro & cia.

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

A Avenida Paulista parecia uma praça de guerra. De um lado, manifestantes vestidos com as cores nacionais. De outro, manifestantes vestidos de preto. Os repórteres disseram que o segundo grupo era formado por torcidas organizadas de times de futebol. Uma delas, a do Corinthians. No Rio, também houve passeata. Era capitaneada pelos flamenguistas. Repórteres cobriram o evento. Lá e cá, ouvia-se o plural rubros-negros. Nada […]

Greta Thunberg e a polêmica linguística

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Greta Thunberg abraçou a causa do meio ambiente. A garota sueca ganhou manchetes em Europa, França e Bahia. Disputou até o Prêmio Nobel da Paz. Ela apareceu na capa de um livro exibindo este cartaz: “Nossa casa está em chamas. Ninguém é pequeno demais para fazer a diferença”. Alguns sentiram falta do advérbio “não” antes de “fazer”. Ele é necessário? No caso, parece que não. […]