A moda e os estrangeirismos

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

A moda está na moda. São Paulo Fashion Week ocupou a semana. No mundo das passarelas, fala-se o inglês. Aqui e ali, o francês. Top models exibem o glamour de tecidos high-tech e o charme de grifes nacionais e internacionais. O look dos cabelos mudou. A escova obsessiva está out. O in são os cachos. O pink impera. Brindes causam frisson. Estrangeirismos As línguas adoram […]

Hífen: mão de obra e cor-de-rosa

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

A reforma ortográfica cassou o hífen de palavras compostas de dois ou mais vocábulos ligados por preposição, conjunção, pronome. Pé de moleque, mão de obra, dor de cotovelo, maria vai com as outras, testa de ferro, tomara que caia se escreviam com o tracinho. Agora mandaram-no passear. Exceções água-de-colônia, arco-da-velha, pé-de-meia. As cores entraram na faxina: cor de laranja, cor de carne, cor de vinho, […]

A placa do elevador: 5 erros

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Sabia? Os olhos funcionam como câmeras. Fotografam tudo o que veem. Nada escapa. Nem as palavras. Os ouvidos têm outros interesses. Eles não estão nem aí pras imagens. Só querem saber de sons. Como esponjas, absorvem o que ouvem. Resultado: a gente vê ou ouve mensagens de certas placas, certos avisos, certas propagandas pela primeira vez. Acha-as esquisitas. Mas depois, tantas vezes repetidos, os textos […]

Enem: erro mais cometido

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

O erro mais cometido na redação do Enem? É o emprego do onde. Pra acertar sempre, lembre-se: o onde indica lugar físico, concreto, palpável. Veja: A cidade onde moro tem 3 milhões de habitantes. O onde se refere a cidade. Cidade é lugar físico. Gonçalves Dias escreveu: Minha terra tem palmeiras Onde canta o sabiá. O onde está no lugar de palmeiras. Palmeiras é lugar […]