Vírgula 6

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Às vezes, a gente se vê diante de uma enrascada: *Meu filho Marcelo estuda na universidade. Marcelo é termo restritivo ou explicativo? Depende. Do quê? Do antecedente do termo Marcelo. Eu tenho um filho ou mais de um? Se um, o termo é explicativo. Pede vírgulas. Se mais de um, restritivo. Nada de vírgula. Exemplos não faltam: Minha mãe, Rosa, mora em São Paulo. Minha […]

Vírgula 5

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“A crase não foi feita pra humilhar ninguém”, escreveu Ferreira Gullar. “Nem a vírgula”, completou José Cândido de Carvalho. O autor de O coronel e o lobisomem sabia das coisas. Nos tempos em que a escola ensinava e aluno aprendia, ele entendeu as manhas da língua. Uma das descobertas foi a engenhosidade da vírgula. Descobriu que há situações e situações. O sinalzinho não cai do […]

Erramos

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

“A Anvisa aprovou o registro do medicamento Mevatyl composto por dois princípios ativos da maconha”, escrevemos na pág. 5. Faltou a vírgula. O sinalzinho é obrigatório na separação dos termos explicativos. Melhor: A Anvisa aprovou o registro do medicamento Mevatyl, composto por dois princípios ativos da maconha.

Ter que ou ter de?

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Ora aparece a duplinha ter de. Ora, ter que. Quando usar uma ou outra? Ter de e ter que são irmãzinhas gêmeas. Atualmente não há diferença entre uma ou outra. Ambas indicam obrigação de fazer alguma coisa: Com o horário de verão, temos de (ou temos que) acordar uma hora mais cedo. Você tem de decidir (ou tem que) que roupa usar.

Vírgula 4

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

A língua é igualzinha às pessoas. Não por acaso, convenhamos. Ela traduz nosso jeitão, a forma de cada um pensar e se exprimir por meio das palavras. Na expressão, existem estruturas mais simples e estruturas mais complexas. A escolha de uma ou outra diferencia os textos. São mais sofisticados os que dão preferência à coordenação. E mais acessível os que homenageiam a coordenação. O ideal? […]

Vírgula 3

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Há termos coordenados que suscitam perguntas mais frequentes que outros. Um deles é o etc. As três letrinhas dão nó nos miolos. Muitos arrancam os cabelos só de pensar no enfrentamento. Melhor respirar, parar e acreditar que, no fundo, se trata de cortina de fumaça. Basta conheceras as manhas do trio. Aí, a resposta vem fácil como andar pra frente. Etc. Sabia? Etc. é recurso […]

Vírgula 2

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Termos coordenados 1. Coordenado significa ordenado ao lado do outro. Imagine que você esteja no cinema. Há vários espectadores. Um é independente do outro. Tem a própria cabeça, o próprio tronco, os próprios membros, olhos, nariz, boca. Cada um escolhe o lugar e senta-se. Pra não ficarem embolados, o descanso da poltrona os separa. Ficam coordenados. Imitação Na língua também aparecem termos independentes. A única […]

Vírgula 1

Publicado em 2 Comentáriosportuguês

“Toda unanimidade é burra”, repetia Nelson Rodrigues. Será? O teatrólogo sem papas na língua talvez tenha razão. Por sorte é rara a opinião compartilhada por 100% das pessoas. Há sempre uma ou outra que discorda. Viva! A referência ao autor de Toda nudez será castigada não se deve ao acaso. Vem a propósito de uma quase unanimidade linguística. Trata-se do emprego dos sinais de pontuação […]

Sem nobreza

Publicado em Deixe um comentárioportuguês

Olho vivo, marinheiro de poucas viagens. Eles são 12. Repetem-se ano após ano. Uns têm 30 dias. Outros, 31. Só um se conforma com 28. De quatro em quatro anos, ganha um de presente. Fica com 29. Apesar das diferenças de tamanho, os meses têm um denominador comum. Escrevem-se com a letra inicial mixuruuuuuuuuuuuuuca: janeiro, fevereiro, março, abril, maio.